terça-feira, 17 de setembro de 2019

JOGADORES SUJOS

Quem tem ....., tem medo. Este, talvez, seja o melhor ditado para traduzir o pavor que muitos do governo, do Congresso e dos tribunais têm de investigações,  CPIs e mudanças nas leis que possam representar ameaça para quem fez coisa errada como, por exemplo, mentir, subornar ( ser subornado), apadrinhar e proteger aliados, beneficiar-se das instituições, lavar e rachar dinheiro público. E, claro, roubar na maior cara e mão grandes. Sendo assim, nada mais apropriado para esta classe de gatunos e canalhas do que o corporativismo calhorda, desclassificado, impiedoso e, principalmente, sujo feito por "representantes e defensores da sociedade" que, apesar da pressão e de todo o poder, devem estar se borrando de medo pois as coisas estão mudando. Pouco, mas reconheçamos que ainda tem gente boa por aí.

ELEITOR ARREPENDIDO

Nada como uma boa - e confiável - pesquisa de opinião para mostrar a cara de um governo.  E de seus governantes. Quando há tempo hábil, o resultado, se desfavorável,  permite, por exemplo, que hajam mudanças para que o navio e seu capitão encontrem um novo curso diferente daquele que pode levar à  colisão e ao naufrágio. No caso das 5.565 prefeituras existentes, muitas não conseguirão reverter o quadro e reeleger os alcaides, haja vista o mau desempenho de suas administrações e a rejeição  apontados nas tais pesquisas. Claro, e do pouco tempo para as próximas campanhas que acontecem daqui a nove meses ( uma gestação para o surgimento de novas aberrações). A corrupção,  a paralisação de serviços importantes, obras eleitoreiras, a manutenção de trens da alegria, comprometidos, principalmente, com as câmaras municipais, partidos políticos e os financiadores de caixas dois além do interesse pessoal acima do interesse público, são alguns dos motivos para que as pesquisas venham  refletindo o pouco caso do eleitor pelos quadros atuais e até da chamada " nova política ", nova forma para se enganar a população e colocar gente que, nos palanques, promete fazer diferente" mas que, ao assumir, deixa claro ser " do mesmo saco". E nem se precisa de pesquisas pra ver isto.

domingo, 15 de setembro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Ódios e paixões são péssimos conselheiros. Portanto, devemos analisar a política sem eles.

domingo, 8 de setembro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Há vales que vem pra nem, já dizia Pestalozzi.

domingo, 1 de setembro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

<p><noscript><img class=

INFERNO É AQUI

Dizem que de boa intenção o inferno tá cheio. Dependendo do governo, mais precisamente, do ministro da Economia, Paulo Guedes, isto encaixa como uma luva pois, além da Reforma da Previdência, que alegam "estar quebrada e vai salvar o País",  agora começam a planejar a privatização de 17 empresas que, na "melhor" das hipóteses, vai trazer mais insegurança, instabilidade e colocar na rua milhares e milhares de servidores públicos que, em situação de penúria, na " melhor" das hipóteses,  vai engrossar a fila do desemprego. É bem verdade que o Brasil tem acumulado - e enfrentado- historicamente, problemas com os modelos de Previdência e de estatização, corroídos e corruptos. Diferenças de opinião e sem essa de quaisquer viés político ou ideológico, o que se tem de levar em consideração é que a conta não pode ser paga, sempre, por quem produz em detrimento do que se pratica no inferno chamado Três Poderes e pelos demônios chamados de políticos, os ladrões,  perdulários, parasitas e marajás em sua grande maioria. Aliás, personagens de uma sub-raça que provocou todos os nossos problemas e que devem arder nas urnas. E no inferno.

domingo, 25 de agosto de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

És livre, escolhe, ou seja: inventa.
(Jean - Paul Sartre)

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

FILME PORNÔ

PERFEITO NAMORO

https://youtu.be/DjwPSqSCNLo

CARA DE PALHAÇO

Alexandre Frota, dublê de artista de TV, teatro, filmes pornôs e deputado federal, parece que agora está realizado pois conseguiu marcar seu nome no maior espetáculo da terra, isto é,  entrou para o circo chamado Congresso Nacional com seus multifacetados " artistas", o jogo das traições e vaidades, dos interesses  pessoais acima de tudo, corrupção quase generalizada, mordomias, etc. E estreou bem, uma vez que foi eleito através da suposta oposição ao PT, se dizendo fiel às propostas revolucionárias do PSL (de Bolsonaro) e tantas outras que acaba de virar as costas, ao entrar no PSDB ( de Aécio e FHC) - quase quase no DEM (de Rodrigo Maia), ignorando o voto daqueles que o consideravam diferente e contrário ao continuísmo dos últimos 20 anos. Como se vê,  a velha política e a arte de nos fazer rir continuam mostrando que o Congresso brasileiro é,  mesmo, um grande circo e nós palhaços das perdidas ilusões.

MIGALHAS ELEITORAIS

Há um ano do início do próximo processo eleitoral, quando as campanhas já estarão em curso para eleger prefeitos e vereadores em 5.570 municípios,  estará sendo testada -  pela primeira vez desde que o Congresso a aprovou, em 2015 - a minirreforma com todas as suas "migalhas" pois ficarão muito aquém do que a sociedade  espera de deputados e senadores. Ainda não será em 2020 que teremos eleições mais transparentes, isonômicas, motivacionais e, principalmente, com moralidade em relação ao processo de escolha de candidatos e demais  mudanças necessárias e urgentes, haja vista que quem as controla - e deles participa e/ ou indica sucessores -  são os próprios parlamentares, detentores de mandatos, "donos de partidos" - os caciques e seus protegidos -, portanto, os maiores interessados no continuísmo que, de alguma forma, os beneficia. Em que pese o muito que deve ser feito, algumas destas mudanças - as quais podemos chamar de pequenos ajustes - já poderão fazer diferença como, por exemplo,  a formação das chapas e suas políticas de alianças e as eventuais formações de coligações, esta despertando maior interesse para partidos e pré-candidatos uma vez que pode fazer alguma diferença (sabemos do jeitinho brasileiro) na hora de se definir quem vai para o trono, lugar para onde irão muitos dos prefeitos e vereadores que costumam se sentir assim, como discípulos de Nababo, Midas (ao contrário), verdadeiros reis e deuses quando vencem um pleito. Como vivemos no País da esperança e do futuro, vamos torcer para que chegue, logo, o dia da verdadeira reforma eleitoral onde não haja tanta corrupção, tanto desvio de dinheiro público, compadrio, nepotismo e políticos se achando acima do bem e do mal. E tanta gente participando da "festa da democracia".

segunda-feira, 19 de agosto de 2019

VELHO CONGRESSO

O Congresso Nacional (Câmara e Senado), que alguns diziam ter sido "renovado" a partir das eleições do ano passado, continua fazendo o que sempre fez. Nada ou muito pouco quando se trata de aprovar leis ou projetos de lei favoráveis à maioria da população. Atos contínuos naquela Casa, as intermináveis discussões, o uso indecoroso de câmeras e holofotes e, principalmente, das mordomias e da velha política - com seu toma lá dá cá - têm mostrado, que numa relação custo benefício, o Congresso Nacional serve pra muito pouco. Ou melhor, serve sim, para chancelar e carimbar o que quer o Executivo. Sejam reformas,  sejam abusos de autoridade, sejam o fim do Coaf, a volta de impostos do tipo CPMF, a prática do nepotismo e sabe Deus o que mais puder chegar por lá.

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

VERGONHA DE SER

Sou do tempo em que, além de aprender de verdade, a disciplina Moral e Cívica, OSPB e religião eram ensinadas na escola. Três qualidades - disciplina, moral e civismo - aliás,  cada vez mais raras nos dias atuais. Aprendíamos a respeitar, entre outros, as cores da bandeira, o hino nacional e, principalmente, aos próximos. Os animais e, até, os Três Poderes e a classe política.   Muita coisa aconteceu de lá pra cá  e, sem sermos saudosistas demais, muito raro nos empolgarmos com os símbolos da Pátria e praticarmos altruísmo, tampouco, nos preocuparmos com o que se passa ao nosso redor. Nem a copa do mundo de futebol - quando o escreve canarinho nos emocionava - nem olimpíadas e pan-americano (o Brasil ficou com um honroso e histórico 2° lugar e quase ninguém falou nada) faz com que a emoção de ser brasileiro transpareça nos levando às lágrimas como num passado recente ligado ao tempo em que se " aprendia" isto nas salas de aula e dentro dos lares.  Sinal dos tempos? Modernidade demais? Não. A corrupção praticada em todos os níveis e esferas, a criminalidade, o desemprego, as drogas, a falta de tempo para o diálogo, más escolhas políticas e uma Educação que visa, fria e exclusivamente, resultados, têm sido apontados como os principais culpados pela vergonha de, muitas vezes, sermos brasileiros. Assim, fica difícil se vislumbrar tempos melhores, com estruturas capazes de trazer de volta seres vivos que vivam de verdade.

SOIS REI

Diz o velho ditado que, contra a força, não há resistência. No caso do Congresso Nacional - e se aplica às assembleias e câmaras municipais - , contra o desejo do governo, quando quer aprovar algo como, por exemplo, a Reforma da Previdência, também. Difícil a maioria dizer não às emendas parlamentares e outras " tentações " peculiares à velha política.  Difícil a maioria ficar a favor da população quando se trata de defenderem seus próprios interesses, sejam políticos ou pessoais. Sendo assim, muito mais cômodo defender outro ditado que diz: manda quem pode, obedece quem tem juízo.

domingo, 11 de agosto de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Podemos ser remédio ou veneno. Depende da dose.