segunda-feira, 25 de outubro de 2021

NOME EM VÃO

"Conhecerás as mentiras e (mesmo assim) elas me elegerão". Esta parece que deverá ser a principal passagem da bíblia de Bolsonaro e de sua camarilha na campanha à reeleição ano que vem, já que em 2018 lhe deu vitória nas urnas. Esta e tantas outras usadas nestes quase três anos de descaso, incompetência, corrupção, toma lá, dá cá e outros crimes praticados. Só não se sabe se suas palavras e atos insanos, imorais, inclusive, pecaminosos continuarão a enganar os trouxas e os incautos que ainda acreditam e insistem ser ele o "salvador da pátria, o rei Midas, o santo homem (número cada vez menor, graças a Deus!) capaz de dar um jeito no país arrasado, colocar as instituições cada uma em seu lugar, acabar com a corrupção (inclusive da famiglia), manter os preços dos combustíveis sob controle, os empregos, os investimentos (sem a grana desviada para os offshores), dólar em queda, bolsas em alta, isto é, tudo que o messias tupiniquim não conseguiu e nem conseguirá neste plano. Nem com reza forte.

domingo, 24 de outubro de 2021

PRA COMEÇAR A SEMANA

Quando o "combustível" não é de qualidade, a clientela procura outro "posto".

segunda-feira, 18 de outubro de 2021

PRA COMEÇAR A SEMANA

Ciro Gomes (PDT) ainda tem motivos para se firmar como uma excelente opção em 2022. E tempo. Isto se deixar de fazer o que "marqueteiros" mandam. É bom alguém dizer em seu ouvido que, se continuar com estratégias erradas, o próprio presidente do partido, Carlos Lupi, pode lhe deixar a ver navios. Ano que vem será travada uma guerra, possivelmente, sem precedentes e não é hora de se lançar balões de ensaio, tampouco, fazer política com o fígado.

sábado, 16 de outubro de 2021

AMIGOS PARA SEMPRE

Quem acha que existe algo impossível na política, ou é tolo ou idiota. Quando se trata de união para chegar à vitória nas urnas, nada de partido x, partido y, nada de esquerda ou direita, nada de permanentes diferenças entre fulano e sicrano pois os caras fazem qualquer coisa para manter o poder próximo, acessível, duradouro e afável aos seus interesses. Até pacto com o diabo e vários daqueles deuses - que compram inclusive amor eterno - , se for necessário. Como vêm fazendo pré-candidatos e caciques que já começam a mexer num tabuleiro onde todos objetivam "comer" os peões, no caso, os eleitores. Tolos e idiotas que acreditam no impossível político e ideologia capaz de afastar adversários para sempre.

domingo, 10 de outubro de 2021

PRA COMEÇAR A SEMANA

Não odeie o jogador. Odeie o jogo. (Neil Strauss)

terça-feira, 5 de outubro de 2021

AGRADANDO AO CHEFE

Audaciosa, ridícula e imoral - além de desnecessária para o País -, a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) que pretende aumentar, dos atuais 11 para 15, o número de ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Ela não é nova, pois foi protocolada, em 2013, na Câmara dos Deputados e, agora, certamente, para atender mais um dos desejos alucinantes e espertos delírios do presidente da República - aliás, delirium tremens - acaba de ser desengavetada por dois daqueles deputados bolsonaristas que fazem de tudo para agradar às chefias. Mesmo com a aparente convicção de que, hoje, seria difícil aprovar a sandice, é bom se ficar atento uma vez que aquela "casa do povo" - também conhecida como casa-da-mãe-joana - tem o costume de aprovar coisas assim a toque de caixa e no apagar das luzes. Tudo para agradar às chefias.

segunda-feira, 4 de outubro de 2021

TERCEIRAS VIAS

Pelo andar da carruagem - já que o assunto "eleições" só começa lá pra abril, maio -, a maioria do eleitorado não deseja nem a reeleição de Bolsonaro, tampouco a volta de Lula em 2023. As discussões sobre o tema, desde as redações dos jornais, passando pelas redes sociais e locais de lazer (aglomerados por gente que já decretou o "fim da pandemia"), bem como as últimas pesquisas, mesmo apontando para uma polarização entre os dois, deixam claro que ainda é grande o número de eleitores indefinidos, insatisfeitos e que outras "vias" poderão atingir, novamente, recorde de candidatos, tal qual 1989 quando 23 tentaram o cargo máximo no Executivo nacional. Até lá, é claro que muitos fatores deverão nortear as pré-campanhas, definir nomes, apoios, coligações e tudo mais que compõe o cenário eleitoral e qualquer aposta, neste momento, é temerária e pode fazer muita gente perder muito na bolsa de apostas num país que, tradicionalmente, costuma errar feio quando insiste em apontar vitórias antecipadas. Outros, como o relatório da CPI da Covid-19, surpresas vindas do STF e do TSE, decisões pessoais, amadurecimento de candidaturas novas e até o surgimento de algum radicalismo e extremismo ainda maior que o atual são outros elementos possíveis e prováveis neste jogo do poder no Brasil.

domingo, 3 de outubro de 2021

PRA COMEÇAR A SEMANA

Antigamente, sabíamos os nomes dos ministros e até da maioria de secretários estaduais e municipais. Agora, mesmo com todos os meios de comunicação, muitas vezes, não conhecemos quase ninguém. Sinal dos tempos ou desinteresse e pouco caso da população em relação à política?

sábado, 2 de outubro de 2021

SONHO DE GOLPE

Tem gente que insiste na possibilidade de o presidente Bolsonaro "dar um golpe" ainda maior do que a insegurança institucional, a fome, o desemprego, a inflação, a submissão do Congresso Nacional e a corrupção promovidas por ele e boa (sic) parte de seu governo nestes quase três anos de muito caos. Só mesmo o desejo de rasgar a Constituição e colocar mais fogo no país, como vêm fazendo o pior presidente da história e aqueles nazifascistas que se mantêm numa trincheira de pura ignorância, ceticismo e cegueira total em relação aos verdadeiros problemas nacionais. Como desejam, também, os maus militares, aliás, maus brasileiros que, em seus delírios, sonham em ver sangue derramado e derrotados inimigos imaginários de uma Pátria que lhes traga novas "vitórias" pessoais.

terça-feira, 28 de setembro de 2021

MIL FRACASSOS

Acho que nunca na história deste país um governo chega aos 1000 dias sem ter nada de importante para comemorar. Por mais que se queira encontrar algo que tenha sido feito no período, simplesmente, é uma daquelas tarefas a serem examinadas com lupas superpotentes e uma boa vontade digna de bolsonaristas radicais. Aliás, coisa que a maioria vem deixando de ser logo desde os primeiros 100. Por outro lado, se atentarmos para o desempenho ridículo do "mito" e seus colaboradores diretos, principalmente, os aduladores e os lambe-botas de capitão expulso do Exército, o número de fracassos, acordos espúrios, crimes e tragédias chega a ultrapassar a marca " comemorada" pelo desgoverno, muito próxima aos 600 mil mortos que o genocida também ajudou a alcançar.

segunda-feira, 27 de setembro de 2021

PSICÓLOGO PRA QUÊ?

Há quase 40 anos, nos é dirigida a seguinte pergunta: quando uma pessoa precisa de um psicólogo? Neste período, além das muitas dúvidas e dos frequentes equívocos, também convivemos com as mais diversas respostas (vindas de todas as matizes), pois sempre acontecem fatos novos que recomendam reflexões acerca do assunto. Como agora, durante a pandemia, pela qual todos ainda atravessamos e cujas sequelas têm forte tendência de nos trazer ainda mais problemas emocionais, resultando na necessidade de se procurar um profissional da Psicologia e congêneres. Muitas situações de sofrimento na vida fazem com que se precise deles, entre elas, estresse, depressão, fobias, traumas, frustrações, receios, etc., das quais tem-se aquelas emoções que podem passar à desordens psíquicas como o medo que se transforma em ansiedade e em transtornos como o de Pânico, por exemplo, comuns em momentos como o que vivemos. Questões envolvendo o retorno às escolas, ao trabalho presencial (fim do home office) e ao "velho normal" - que dificilmente voltará em sua "velha plenitude" - têm sido uma das tônicas principais em nosso trabalho. Nesse mesmo diapasão, a tristeza diante da perda de alguém também pode causar profunda melancolia e, consequentemente, a famigerada depressão, considerada o "mal do século" e eterno desafio para todos. Têm, ainda, o estresse que, não tratado, pode resultar em Burnout, o desemprego, dívidas acumuladas, desentendimentos nos relacionamentos, no trabalho, a cobrança excessiva, a autoestima comprometida, oscilações no sono, alimentação e outros sintomas orgânicos oriundos da saúde mental, enfim, independente de quaisquer epidemias, não faltam motivos para que alguém procure um psicólogo. Incertezas em relação à Covid-19, e se teremos algo semelhante em breve, são outros pontos que podem resultar em forte desequilíbrio pessoal, afetando indivíduos em todos os setores da sociedade. Estes são alguns problemas que podem ser analisados e conduzidos por profissionais que trabalham a busca pela melhoria da saúde mental, como psicólogos, terapeutas, neurologistas, psiquiatras, enfermeiros especializados, todos profissionais que nos auxiliam a entender que emoções são essas, porquê nos tiram do prumo, como fazer para manejá-las e sair da crise e tantas outras razões para que um profissional da área entre em campo para organizar pensamentos e emoções com a certeza de que haverá uma escuta atenta. Sem julgamento. Vinda junto às incertezas, tal qual a mente humana, o infinito do horizonte, a profundeza dos oceanos, o abismo do precipício, cenários que nos levam a um lugar sem restrições para compreender a psiquê, atuar no tratamento e prevenção de doenças e melhorar a qualidade de vida.

domingo, 26 de setembro de 2021

PRA COMEÇAR A SEMANA

Bolsonaro está completando mil dias de um governo cheio de razões para "comemorar". Os milhares de mortos, a inflação, o desemprego, o relatório da CPI do Senado, o toma lá, dá cá e o resultado das últimas pesquisas de intenção de voto.

sexta-feira, 24 de setembro de 2021

A CAMINHO DO PENTA

Estivemos ontem (23) com o médico e deputado federal Chico d'Angelo (PDT-RJ), atual vice líder da oposição na Câmara, que cumpre o quarto mandato (tudo indica a caminho do 5°) e que faz parte de várias comissões da Casa como membro titular, entre elas a de Seguridade Social e Família, Planos de Saúde, etc., além de integrar a Comissão Externa de Enfrentamento à Covid-19 e outras como suplente. Na pauta, não poderiam faltar críticas em comum ao desastroso governo Bolsonaro e, claro, as eleições de 2022. E até as de 2024.

terça-feira, 21 de setembro de 2021

VERGONHA NACIONAL

Que vergonha assistir aqueles jecas que "invadiram" Nova Iorque comendo pizza com as mãos porque foram barrados nos restaurantes por não usarem máscaras e não apresentarem certificado de vacinação. Que vergonha ver o presidente Jair Bolsonaro, Jeca Tatu chefe, sendo gozado por onde passa, inclusive, pelo premier Boris Johnson que o aconselhou a se vacinar. Que vergonha ver que a novela O Bem Amado, grande sucesso mundial nas TVs, voltou à cena para mostrar que aquele episódio da Invasão a NY é um capítulo atual da vida nacional. Que vergonha ter um presidente como Bolsonaro que, quando não fala e faz bobagens, só tem ajudado a tornar o Brasil párea do mundo nos ridicularizando, inclusive, na ONU, sede que reúne homens e mulheres que querem melhorar o planeta. Sem brincadeiras e cenas patéticas. Sem as palhaçadas de um Jeca Tatu, um Bozo, um Odorico Paraguaçu.

domingo, 19 de setembro de 2021

PRA COMEÇAR A SEMANA

Não apreciar pedidos de impeachment é apoiar a prática de (supostos) crimes. É dar carta branca para (supostos) criminosos.