quinta-feira, 26 de março de 2020

POR QUE NÃO SE CALAS?

Não me encontro entre os 55% que votaram em Bolsonaro e sim entre os 21% que se abstiveram. Não que não tivesse opinião a respeito ou, muito pelo contrário, quisesse a continuação de governos corruptos, perdulários (como os do PT de Lula e Dilma) ou os sem-credibilidade e tapa-buracos (como o do PMDB de Temer). Isto porque no dia de votação me encontrava fora do domicílio eleitoral e não pude manifestar o " sonho" de ter um país mais justo, com leis mais severas, menos pressões de um Congresso acostumado aos achaques, direito a se defender em casos extremos usando métodos extremos, etc., coisas que, como muitos, eram possíveis de serem alcançadas. Só que, muito além das bobagens ditas e feitas pelo clã da família Bolsonaro, o Brasil começa a demonstrar que não sabe administrar crises graves como, por exemplo, a provocada pela pandemia do coronavírus e, aí, o caos só tende a aumentar e a população ficar mais deprimida, estressada e, pior, desassistida e morrendo mais por causa de irresponsabilidades. O " espetáculo" produzido, em cadeia de rádio e tv, pelo presidente nesta quarta-feira ( 24) e escrito pelo 01 Carluxo ( principal ghost writer), quando repetiu ser a doença " apenas uma gripezinha, desnecessário o confinamento de todos" e outras pérolas dignas, até, de teorias da conspiração, só reforça a vontade de muitos pelo seu impeachment, o que num momento dramático como este piora muito as coisas. Tendo sido a gota d'água para que pessoas bem-intencionadas e patriotas deixem de acreditar em sonhos e exijam atitudes responsáveis, constitucionais e republicanas.

quarta-feira, 25 de março de 2020

FLOR DA IDADE

Devemos reconhecer que o coronavírus tem criado problemas quase incontroláveis. Alguns que parecem transcender até mesmo a grave doença. Além do confinamento e do risco de ceifar mais vidas, inclusive, a de qualquer um de nós, tem surgido outro ligado à autoridade pública e à legalidade. Um exemplo que pode retratar o momento em que estão todos apavorados, estressados, e sem saber o que fazer - e a quem obedecer -, refere-se à crise de identidade e de autoridade pelo que estamos passando. E isto pode ser constatado, dia desses, quando dois funcionários de uma companhia de luz do Rio de Janeiro chegaram para cortar um fornecimento de energia na casa de um conhecido, o qual NUNCA recebeu sequer UMA conta, e para os quais fora apresentada uma medida sancionada pelo governador no dia 23, tendo sido ignorada, ironizada mesmo, pelos aludidos senhores da empresa, pelo visto, desinformados e andando às cegas, pois demonstravam serem uma espécie de donos da situação e do poder de permitir ou não que o usuário tenha ou não os devidos direitos, "até que o seu jurídico diga ao contrário" (lhes foi apresentada a lei através de site específico), uma vez que depois de grande entrevero resolveram ir embora sem cortar o fornecimento (mas com a pulga atrás da orelha e desconfiados se o decreto era ou não fake news, outro problema criado no País com ou sem coronavírus). Aliás, direitos que nem a boa intenção do governador do Rio faz prevalecer. A doença mata, sim. É um perigo iminente, sim. Mas seria bom para nós, eleitores, contribuintes, usuários, enfim, cidadãos, que os poderes se entendessem bem, e logo, - enquanto há tempo - para que todos sobrevivam ao Covid-19 e ao caos que vem sendo instalado porque o presidente, reciprocamente, não respeita o governador, que não respeita o presidente, que não respeita o prefeito, que não respeita ninguém. Tampouco, são respeitados. Nem amava as concessionárias, nem ninguém, fraseando a música de Chico Buarque, Flor da Idade.

MEDO GERAL

Muito louvável o que os governos estaduais - alguns municipais - estão fazendo para minorar o sofrimento da população em relação à disseminação do coronavírus. Só que os decretos e medidas provisórias, todos necessários, a bem da verdade e do estado em que o mundo se encontra, por entrarem em vigor bem no meio da pandemia, têm gerado apreensão e medo para muitos segmentos. Como os profissionais que têm de trabalhar mas não encontram condições de transporte, pois alguns meios estão escasseando e de segurança já que as ruas, vazias, estão à mercê da criminalidade e de dependentes químicos, por exemplo, motivos tanto quanto ou até maiores que a própria doença. Muitos desses trabalhadores " essenciais" vêm demonstrando pavor ao sair de casa e pedem que os governos estaduais, através das polícias militares e federal, através das forças armadas, dêem a tranquilidade que todos ( trabalhadores, famílias e pacientes) precisam.

segunda-feira, 23 de março de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

Nunca um clichê foi tão usado como agora: melhor ficar "preso" em casa do que num leito de hospital.

quinta-feira, 12 de março de 2020

ARROUBOS X ROUBOS

Dúvida que ronda lares, ruas e não sai da cabeça de milhões de brasileiros: o que é pior para o Brasil? Os arroubos do presidente Bolsonaro, que não consegue conter a língua afiada - nem as bobagens feitas e ditas pelos filhos -  e vem disparando sua fúria incontrolável (muitas até justificadas), ou os diversos desvios praticados, por exemplo, dentro e fora do Congresso, dos governos estaduais e municipais e outras anomalias como impedir que 
sejam feitas as verdadeiras reformas que o Brasil necessita? Como, por exemplo, a que coloca políticos  corruptos na cadeia e outros bandidos como assassinos, estupradores e sequestradores atrás das grades para sempre? A resposta, para a grande maioria de brasileiros e brasileiras que ainda vive ou sobrevive de seu trabalho e de sua honra, não poderia ser diferente daquela que aponte para o fim da escalada contínua da criminalidade e do que vem fazendo uma classe política constituída, legal, obrigatória e desgraçadamente, por representantes cujo objetivo é fazer da coisa pública sua privada, bem como dar boa vida aos apaniguados e suas famílias.  Sem esquecer da excrescência e dos excrementos oriundos dos partidos, aliás, sempre inteiros quando trata-se de achacar o Estado e os " chefes". Claro que ninguém se sente bem com as últimas bobagens praticadas pelo presidente da República e pelo que vociferam e fazem - ou fizeram - seus herdeiros políticos, no caso, os filhos de um a três. Tampouco,  seus colaboradores como os ministros da Fazenda, da Educação, do Meio Ambiente e, até, a "recém-casada" secretária da Cultura que fez a maior de todas ao se expor e acreditar em porteira fechada, carta branca, etc. Mas pensar que existe algo pior do que deixar o País refém dos políticos, de um STF que muitas vezes tem se apequenado e a maioria da população sem serviços básicos de qualidade apesar do muito dinheiro que é gasto - ao invés de investido - ( também conhecido como roubado), é uma bobagem muito maior do que vêm fazendo membros dos governos Federal, estaduais e municipais e as que saem da boca de Bolsonaro.

terça-feira, 10 de março de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

Alguém acredita que o Brasil vai atravessar bem uma crise mundial com um Congresso liderado por Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia, ambos do DEM?

segunda-feira, 2 de março de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

A natureza é sempre implacável quando há malfeitos. Por isso, cai tanta coisa quando vêm os fortes ventos e chuvas. Até os postes não resistem.

domingo, 16 de fevereiro de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

Deve-se perdoar os inimigos. Mas nunca esquecer seus nomes. ( John Kennedy)

terça-feira, 28 de janeiro de 2020

SANTO DO PAU OCO

Lula tem concedido várias entrevistas e, na maioria delas, feito várias críticas ao governo federal. E, como era de se esperar, ao presidente Bolsonaro o qual,  na visão do condenado em todas as instâncias - e, também, como era de se esperar, devidamente libertado pelo STF - " tem a obrigação de governar para a população, principalmente, a mais pobre", aliás, tese pela qual comungam todas as pessoas decentes deste País. Engraçado ver o ex e padrinho do poste posando de arauto da Justiça e defensor dos menos favorecidos. Logo ele que foi, e, não nos esqueçamos, está sendo acusado de roubar muito, muuuuuuito  dinheiro de todas as classes. Mais engraçado, ainda, vê-lo praticando a velha política, falando impropérios, sendo redundante, cara de pau e hipócrita e também encontrando algumas caixas de ressonância que tanto ajudaram a destruir o Brasil, numa tentativa desesperada de voltar a gozar de tudo que o poder costuma proporcionar aos políticos de um modo geral. Igualzinho a uma grande gama deles que têm ou querem voltar a usufruir dos benefícios de mandatos eletivos.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

Em alguns lugares, a temporada de caça aos patos (eleitores) já está aberta.

segunda-feira, 23 de dezembro de 2019

EXPECTATIVA EM QUISSAMÃ

Marcado para ter início no dia 18 de dezembro, o prazo das inscrições para o concurso público da prefeitura de Quissamã foi alterado. Ele agora ocorre de 02 a 17 de janeiro e é uma boa expectativa de emprego para logo após os festejos natalinos e de réveillon. Isto para quem não exagerar nas comemorações e cumprir com todos os pré-requisitos de um certame que promete ser bem disputado.

PRA COMEÇAR A SEMANA

A "rachadinha" é mais uma das grandes safadezas da classe política. Igual a tantas outras que todo mundo sabe que existe mas ninguém consegue provar. Só às vezes.

segunda-feira, 16 de dezembro de 2019

CONCURSO EM QUISSAMÃ

Se você tem vontade de trabalhar em um município que, entre outras vantagens, possui índice zero de criminalidade e a população tem acesso a serviços públicos de qualidade como saúde e educação onde o atendimento procura ser o mais abrangente e eficiente possível ( palavra de quem é servidor desde o primeiro concurso feito em 1994), a prefeitura de Quissamã (RJ) acaba de disponibilizar concurso público para o preenchimento de vagas para diversos cargos de nível médio,  técnico e superior. Uma boa para quem pretende estabilidade no emprego (regime estatutário) e quer desenvolver suas habilidades em um munícipio jovem ( emancipado desde 1990) que emprega recursos dos royalties do petróleo. As inscrições podem ser feitas a partir de quarta-feira (18) e maiores informações obtidas através do site www.quissama.rj.gov.br

domingo, 15 de dezembro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Se não existisse o inseto, não haveria o inseticida.

terça-feira, 10 de dezembro de 2019

LADRÕES AOS BORBOTÕES

Enquanto juízes têm determinado a soltura de presos condenados em segunda instância, aos borbotões, como retaliação à jurisprudência do STF que optou por mais esta injustiça e aberração, também proliferam no País, inclusive, nos podres poderes da República, safados e ladrões de dinheiro público aos borbotões. Todos os dias, em todos os lugares. Em todos os níveis e esferas. Desde o vereador de município pequeno e longínquo,  ao ministro da mais alta Corte, o "negócio é manter o negócio" com fins bem lucrativos. Para eles,  claro. Mas ainda tem salvação.  Basta a população fazer o que se faz em casos assim: se manifestar, de alguma forma, e exigir que os agentes públicos não cometam desvios, não tenham privilégios que os protejam das garras da lei. E não roubem. Coisa que, infelizmente, nem a maioria da população, dos representantes do povo e dos guardiões da Constituição não parecem estar dispostos a fazer.