domingo, 17 de novembro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Agora só falta proclamar a República.  De verdade.

domingo, 10 de novembro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

O STF ( aquele que acabou com a prisão em segunda instância) acaba de transferir o julgamento sobre a redistribuição dos royalties - só do petróleo - para 22 de abril. Neste dia, pretendo estar a 8.670 km de distância para não ver mais uma injustiça daquele tribunal.

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

BOLA NAS COSTAS

Em relação à possível decisão do STF em redistribuir os royalties do petróleo ( o que pode acontecer a partir do próximo dia 20), mudando o atual sistema que compensa aos produtores de maneira diferenciada por causa do impacto que a exploração representa, o saudoso comentarista esportivo, Mário Vianna, diria que "não adianta chorar. A bola tá lá dentro". Isto porque, ao que tudo indica, estados e municípios produtores do Rio de Janeiro e do Espírito Santo, confirmada a decisão plenária do Supremo, poderão perder grande parte de sua receita. Fala-se em cerca de 80%, em alguns casos,  podendo levar à quase falência daqueles que dependem do precioso recurso vindo do mar utilizado, principalmente, em obras de infraestrutura, serviços de saúde,  educação,  segurança, etc., e, até,  na folha salarial de ativos e inativos uma vez que também incide sobre o ICMS pago a quem sofre as maiores consequências.  Ônus,  aliás, que a maioria dos ministros do STF parece desconhecer caso seja confirmada a injustiça de se fazer uma justiça demagógica que pouco ou nada vai ajudar mas que pode arruinar fluminenses e capixabas.

domingo, 3 de novembro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Os serviços públicos não melhoram por vários motivos. Primeiro, pela corrupção,  pelos desvios. Depois, porque há muito blábláblá....Na teoria é uma coisa, mas na prática...(é muito cargo comissionado, muita contratação política,  compadrio, etc.)

sexta-feira, 1 de novembro de 2019

STF MINÚSCULO

A se confirmarem os muitos prognósticos sobre a possível  soltura de Lula, podendo representar o maior escárnio e tapa na cara da sociedade, o supremo tribunal federal (stf) será o responsável por uma onda de instabilidade institucional que se avizinha (até os caminhoneiros já têm se manifestado). Por mais que alguns inocentes ( não se aplica a ministros do supremo) e muitos dos malandros petistas - sem esquecer dos oportunistas que viveram os quase 13 anos de ouro do período mais corrupto de nossa história - acreditem ou tentem induzir ao erro, a condenação do ex-presidente não foi, única e exclusivamente, política. O "cara" levou vantagem, inclusive financeira, sim. Triplex, Atibaias e outras que, agora, a justiça máxima do país tenta dizer que não são suficientes e legítimas para manter presos os condenados em segunda instância como Lula e cerca de outros 5 mil criminosos que, no seu entendimento, "não puderam se defender, adequadamente, não houve o trânsito e julgado, portanto, fazem jus  à revisão da atual jurisprudência. Gente que, ainda na avaliação destes mesmos, não roubou, não matou, não estuprou o suficiente para continuar encarcerada cumprindo o que determina uma lei que querem julgar improcedente. Quiçá injusta, por macular a imagem de um santo que nunca se apropriou de dinheiro público como Luiz Ignácio Lula da Silva. Pelo menos na avaliação de alguns liderados pelo outro presidente e petista, Dias Toffoli, arauto maior da justiça do brasil.

terça-feira, 22 de outubro de 2019

EM QUISSAMÃ O BURACO É MAIS EMBAIXO

"Duto que pariu"....rato é rato em todo lugar. Até no pequeno e pacato município fluminense de Quissamã, onde os roedores, não os mamíferos de quatro patas que transmitem doenças como leptospirose, e sim o bicho-homem, aquele que por dinheiro faz qualquer coisa. Roubam dinheiro público e privado de todo lugar. De cima, dos lados e até dos dutos da Petrobras que também passam por baixo da terra. Mas como a Justica tá mudando (pouco em se tratando do muito que se rouba) e tem, até,  " cavado" buracos atrás de provas que levem à prisão e ao extermínio desses espécimes, dias atrás 11 pessoas foram pegas com as mãos manchadas na massa, ou melhor, com as mãos no combustível que passa por lá a caminho das refinarias. Um trabalho exemplar que mostra que os agentes de endemias, pandemias e epidemias - como são a corrupção e a busca incessante pelo dinheiro fácil - e os de segurança não querem eliminar ou colocar atrás das grades somente ratos, ratinhos e ratões. Eles querem, ainda, tirar de circulação bagrinhos  tubarões e qualquer outro que se aproprie do que não é seu dando mau exemplo pra todo mundo.

terça-feira, 15 de outubro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

...e aí,  faltando menos de um ano para as eleições municipais (vereador e prefeito), a escória e até os "experts" da política - que têm solução para tudo (embora nunca fizeram nada por sua cidade) - reaparecem.

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

SEM-VERGONHAS

Existem inúmeras razões para que a sociedade rejeite a maioria dos políticos brasileiros. Com certeza, a corrupção ocupa o primeiríssimo lugar, uma vez que o envolvimento deles, de vereador a presidente da República, com a roubalheira descarada através, principalmente, da lavagem de dinheiro, do compadrio, do nepotismo e do toma lá dá cá, não consegue deixar as primeiras páginas de todo o noticiário. Todos os dias e em todos os lugares. No ranking da vergonhosa maneira como se pratica a política no País  - aliás,  a pior delas -, aparecem os benefícios,  as benesses, as muitas vantagens para quem exerce mandato. E, claro  o chamado custo-benefício, isto é, a fortuna que o contribuinte paga para ter milhares de pessoas produzindo pouco. Quase nada em muitos casos. É uma legião de aproveitadores (os detentores de mandato, seus "assessores e o pessoal das casas legislativas, assembleias, gabinetes, palácio,  etc) que, geralmente, fazem de tudo para se perpetuarem no poder. E, sempre, de uma forma, absurdamente, desproporcional levando-se em consideração a realidade nacional. Mas, agora, vendo que a população os ameaça, rejeitando muitos nas urnas e nas ruas e por causa da grave crise econômica que o Brasil enfrenta, onde os recursos para a gastalhança com essa gente também vêm diminuindo, o governo (leia-se presidentes Jair Bolsonaro, Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia) pensa em retomar sua luta contra o servidor público, aquele que se preparou para enfrentar as regras de uma seleção e, como tal, quando aprovado, passou a gozar de uma estabilidade que um possível "pacote de maldades" trama acabar. Como se vê,  sempre que se sente ameaçada, esta classe desclassificada de políticos arranja um bode expiatório e para querer justificar os "problemas do Brasil" , neste caso, "o gasto com os servidores, seu trabalho,  vantagens, etc", como se eles fossem santos e colocam os interesses coletivos acima dos pessoais. Coisa que não fazem e nunca farão pois são gastadores, perdulários e se acostumaram à mamar, e muito, nas tetas do Estado e a trabalhar pouco. Sem estudar, sem prestar concurso, sem se preocupar com a ética,  com ficha limpa, muitas vezes, e sem ter qualquer pudor ao fazê-lo. O máximo que fazem é prometer, mentir, roubar e distribuir grana (muitas vezes dinheiro público) para se elegerem. Uma vez eleitos, para continuar prometendo, mentindo, roubando e distribuindo dinheiro. E favores para, no futuro continuarem a....aí todos sabemos pra que.

SEMIDEUSES

Lula, como todo petista que se "preze", continua com o processo de vitimização rumo a um Planalto que vislumbra voltar. Se possível, em breve e nos braços do povo. Isto porque a Justiça vê grandes possibilidades de conceder-lhe o regime semiaberto e, com o STF e alguns ministros que temos (Gilmar é a favor da soltura, só pra variar), já já podendo subir em palanques e disputar eleições. Num país onde tudo pode e com uma população que acredita em todos (sejam ladrões,  corruptos, santos religiosos ou templários), o ex-presidente ser absolvido e consagrado nas urnas - caso a reintegração ocorra - é algo factível que pode reiterar a falta de seriedade do Brasil perante ao mundo.

terça-feira, 8 de outubro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

No jargão jornalístico, existe o "chumbeta", aquele personagem chato que costuma aparecer numa roda de amigos tentando plantar uma nota em alguma coluna. E nas redes sociais, principalmente, as exploradas por quem diz ser "entendido de política", existe aquele que inventa pesquisas, comentários,  etc. para dizer que seu(s) candidato(s) é (são) favorito (s). É o "chupeta".

domingo, 29 de setembro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Tem o cantor/compositor de um único sucesso, o ator de uma novela só, o escritor que emplaca um só livro...Mas também tem o vereador de um único mandato e o puxa-saco de governo e/ou "combatente" de redes sociais que costuma durar apenas quatro anos.

quinta-feira, 26 de setembro de 2019

MEU PIRÃO PRIMEIRO

A Câmara acaba de aprovar a votação do projeto que altera a legislação dos partidos e que promove uma minirreforma eleitoral (bem ao estilo do " MEU PIRÃO PRIMEIRO", isto é, usar a política em proveito próprio). Os deputados conseguiram manter a espinha dorsal da medida articulada pela Casa, mesmo após as tentativas do Senado de alterar significativamente o projeto. Dispositivos vistos como prejudiciais à transparência nas eleições, retirados na votação do Senado, foram resgatados pelos deputados – tal como a brecha que permite o caixa 2. O texto vai agora à sanção presidencial. Havia pressa para a aprovação do projeto entre as lideranças da Câmara, porque, para que as novas regras possam valer para as eleições municipais no ano que vem, a lei tem de ser publicada no máximo um ano antes de 4 de outubro de 2020. Ao final da tramitação, a medida acabou mantendo a maior parte das benesses aos partidos. Veja os principais pontos aprovados:
- Autorização para usar recursos públicos, do Fundo Partidário, para diversos fins: construção de sede partidária; pagamento de juros, multas e débitos eleitorais; compra ou locação de bens móveis e imóveis; pagamento de serviços advocatícios em processos individuais de candidatos relacionados às eleições; e pagamento para impulsionamento de conteúdos na internet.
- Anistia a multas eleitorais.
- Volta do tempo de propaganda partidária em rádio e TV.
- Brecha para aumento do valor destinado ao Fundo Eleitoral: o montante de recursos será definido na lei orçamentária para 2020, de acordo com o percentual de emendas de bancada com execução obrigatória.

MALDIÇÃO DO PETRÓLEO

Cada vez fica mais evidente que a Teoria da Maldição do Petróleo não é nenhum conspiracionismo, coisa da turma do contra. Ou das oposições. O Estado do Rio de Janeiro, bem como o Espírito Santo e a maioria de seus municípios - principalmente, aqueles que vivem  dos royalties pagos como forma de compensação - que o digam. Ainda mais agora, quando, no dia 20 de novembro, o Supremo Tribunal Federal (STF) - também conhecido por várias decisões  " surpreendentes, aliás, comuns à  cabeças e bumbuns de nenéns -  irá votar o referendo da liminar da ação relativa à Lei do Petróleo que trata da redistribuição dos royalties. Uma verdadeira catástrofe e algo que pode representar - e decretar - quase a falência dos produtores que, mesmo legal e discutível, desgraçadamente, passarão a ver seus recursos minguarem e sua população empobrecer passando a viver todos os problemas advindos, cujo reflexos dar-se-ão nos serviços públicos, nas estradas, na segurança, na saúde,  na educação, no pagamento de salários e aposentadorias e tudo que, com a diminuição drástica nos recursos previstos e garantidos, hoje, pela lei e pela Constituição que muitos parlamentares já manifestaram o interesse de querer modificar para tornar a distribuição "mais isonômica", poderão ir para o fundo de um poço ainda maior.  Tal qual um inferno, caso aprovada a mudança referendada pelo STF, a nova forma de partilha deverá gerar um caos maior nos dois  Estados produtores e nos municípios extremamente dependentes da compensação que, desafortunadamente, querem lhes tungar. Se existem males que perdurem para sempre e a tal da " maldição", só os próximos anos e as próximas gerações irão ver. E viver.

segunda-feira, 23 de setembro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Quem não tem competência,  não se estabelece. Esta deveria ser, SEMPRE, a regra no serviço público. SQN.

terça-feira, 17 de setembro de 2019

JOGADORES SUJOS

Quem tem ....., tem medo. Este, talvez, seja o melhor ditado para traduzir o pavor que muitos do governo, do Congresso e dos tribunais têm de investigações,  CPIs e mudanças nas leis que possam representar ameaça para quem fez coisa errada como, por exemplo, mentir, subornar ( ser subornado), apadrinhar e proteger aliados, beneficiar-se das instituições, lavar e rachar dinheiro público. E, claro, roubar na maior cara e mão grandes. Sendo assim, nada mais apropriado para esta classe de gatunos e canalhas do que o corporativismo calhorda, desclassificado, impiedoso e, principalmente, sujo feito por "representantes e defensores da sociedade" que, apesar da pressão e de todo o poder, devem estar se borrando de medo pois as coisas estão mudando. Pouco, mas reconheçamos que ainda tem gente boa por aí.