domingo, 17 de novembro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Agora só falta proclamar a República.  De verdade.

domingo, 10 de novembro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

O STF ( aquele que acabou com a prisão em segunda instância) acaba de transferir o julgamento sobre a redistribuição dos royalties - só do petróleo - para 22 de abril. Neste dia, pretendo estar a 8.670 km de distância para não ver mais uma injustiça daquele tribunal.

quinta-feira, 7 de novembro de 2019

BOLA NAS COSTAS

Em relação à possível decisão do STF em redistribuir os royalties do petróleo ( o que pode acontecer a partir do próximo dia 20), mudando o atual sistema que compensa aos produtores de maneira diferenciada por causa do impacto que a exploração representa, o saudoso comentarista esportivo, Mário Vianna, diria que "não adianta chorar. A bola tá lá dentro". Isto porque, ao que tudo indica, estados e municípios produtores do Rio de Janeiro e do Espírito Santo, confirmada a decisão plenária do Supremo, poderão perder grande parte de sua receita. Fala-se em cerca de 80%, em alguns casos,  podendo levar à quase falência daqueles que dependem do precioso recurso vindo do mar utilizado, principalmente, em obras de infraestrutura, serviços de saúde,  educação,  segurança, etc., e, até,  na folha salarial de ativos e inativos uma vez que também incide sobre o ICMS pago a quem sofre as maiores consequências.  Ônus,  aliás, que a maioria dos ministros do STF parece desconhecer caso seja confirmada a injustiça de se fazer uma justiça demagógica que pouco ou nada vai ajudar mas que pode arruinar fluminenses e capixabas.

domingo, 3 de novembro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Os serviços públicos não melhoram por vários motivos. Primeiro, pela corrupção,  pelos desvios. Depois, porque há muito blábláblá....Na teoria é uma coisa, mas na prática...(é muito cargo comissionado, muita contratação política,  compadrio, etc.)

sexta-feira, 1 de novembro de 2019

STF MINÚSCULO

A se confirmarem os muitos prognósticos sobre a possível  soltura de Lula, podendo representar o maior escárnio e tapa na cara da sociedade, o supremo tribunal federal (stf) será o responsável por uma onda de instabilidade institucional que se avizinha (até os caminhoneiros já têm se manifestado). Por mais que alguns inocentes ( não se aplica a ministros do supremo) e muitos dos malandros petistas - sem esquecer dos oportunistas que viveram os quase 13 anos de ouro do período mais corrupto de nossa história - acreditem ou tentem induzir ao erro, a condenação do ex-presidente não foi, única e exclusivamente, política. O "cara" levou vantagem, inclusive financeira, sim. Triplex, Atibaias e outras que, agora, a justiça máxima do país tenta dizer que não são suficientes e legítimas para manter presos os condenados em segunda instância como Lula e cerca de outros 5 mil criminosos que, no seu entendimento, "não puderam se defender, adequadamente, não houve o trânsito e julgado, portanto, fazem jus  à revisão da atual jurisprudência. Gente que, ainda na avaliação destes mesmos, não roubou, não matou, não estuprou o suficiente para continuar encarcerada cumprindo o que determina uma lei que querem julgar improcedente. Quiçá injusta, por macular a imagem de um santo que nunca se apropriou de dinheiro público como Luiz Ignácio Lula da Silva. Pelo menos na avaliação de alguns liderados pelo outro presidente e petista, Dias Toffoli, arauto maior da justiça do brasil.

terça-feira, 22 de outubro de 2019

EM QUISSAMÃ O BURACO É MAIS EMBAIXO

"Duto que pariu"....rato é rato em todo lugar. Até no pequeno e pacato município fluminense de Quissamã, onde os roedores, não os mamíferos de quatro patas que transmitem doenças como leptospirose, e sim o bicho-homem, aquele que por dinheiro faz qualquer coisa. Roubam dinheiro público e privado de todo lugar. De cima, dos lados e até dos dutos da Petrobras que também passam por baixo da terra. Mas como a Justica tá mudando (pouco em se tratando do muito que se rouba) e tem, até,  " cavado" buracos atrás de provas que levem à prisão e ao extermínio desses espécimes, dias atrás 11 pessoas foram pegas com as mãos manchadas na massa, ou melhor, com as mãos no combustível que passa por lá a caminho das refinarias. Um trabalho exemplar que mostra que os agentes de endemias, pandemias e epidemias - como são a corrupção e a busca incessante pelo dinheiro fácil - e os de segurança não querem eliminar ou colocar atrás das grades somente ratos, ratinhos e ratões. Eles querem, ainda, tirar de circulação bagrinhos  tubarões e qualquer outro que se aproprie do que não é seu dando mau exemplo pra todo mundo.

terça-feira, 15 de outubro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

...e aí,  faltando menos de um ano para as eleições municipais (vereador e prefeito), a escória e até os "experts" da política - que têm solução para tudo (embora nunca fizeram nada por sua cidade) - reaparecem.

quarta-feira, 9 de outubro de 2019

SEM-VERGONHAS

Existem inúmeras razões para que a sociedade rejeite a maioria dos políticos brasileiros. Com certeza, a corrupção ocupa o primeiríssimo lugar, uma vez que o envolvimento deles, de vereador a presidente da República, com a roubalheira descarada através, principalmente, da lavagem de dinheiro, do compadrio, do nepotismo e do toma lá dá cá, não consegue deixar as primeiras páginas de todo o noticiário. Todos os dias e em todos os lugares. No ranking da vergonhosa maneira como se pratica a política no País  - aliás,  a pior delas -, aparecem os benefícios,  as benesses, as muitas vantagens para quem exerce mandato. E, claro  o chamado custo-benefício, isto é, a fortuna que o contribuinte paga para ter milhares de pessoas produzindo pouco. Quase nada em muitos casos. É uma legião de aproveitadores (os detentores de mandato, seus "assessores e o pessoal das casas legislativas, assembleias, gabinetes, palácio,  etc) que, geralmente, fazem de tudo para se perpetuarem no poder. E, sempre, de uma forma, absurdamente, desproporcional levando-se em consideração a realidade nacional. Mas, agora, vendo que a população os ameaça, rejeitando muitos nas urnas e nas ruas e por causa da grave crise econômica que o Brasil enfrenta, onde os recursos para a gastalhança com essa gente também vêm diminuindo, o governo (leia-se presidentes Jair Bolsonaro, Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia) pensa em retomar sua luta contra o servidor público, aquele que se preparou para enfrentar as regras de uma seleção e, como tal, quando aprovado, passou a gozar de uma estabilidade que um possível "pacote de maldades" trama acabar. Como se vê,  sempre que se sente ameaçada, esta classe desclassificada de políticos arranja um bode expiatório e para querer justificar os "problemas do Brasil" , neste caso, "o gasto com os servidores, seu trabalho,  vantagens, etc", como se eles fossem santos e colocam os interesses coletivos acima dos pessoais. Coisa que não fazem e nunca farão pois são gastadores, perdulários e se acostumaram à mamar, e muito, nas tetas do Estado e a trabalhar pouco. Sem estudar, sem prestar concurso, sem se preocupar com a ética,  com ficha limpa, muitas vezes, e sem ter qualquer pudor ao fazê-lo. O máximo que fazem é prometer, mentir, roubar e distribuir grana (muitas vezes dinheiro público) para se elegerem. Uma vez eleitos, para continuar prometendo, mentindo, roubando e distribuindo dinheiro. E favores para, no futuro continuarem a....aí todos sabemos pra que.

SEMIDEUSES

Lula, como todo petista que se "preze", continua com o processo de vitimização rumo a um Planalto que vislumbra voltar. Se possível, em breve e nos braços do povo. Isto porque a Justiça vê grandes possibilidades de conceder-lhe o regime semiaberto e, com o STF e alguns ministros que temos (Gilmar é a favor da soltura, só pra variar), já já podendo subir em palanques e disputar eleições. Num país onde tudo pode e com uma população que acredita em todos (sejam ladrões,  corruptos, santos religiosos ou templários), o ex-presidente ser absolvido e consagrado nas urnas - caso a reintegração ocorra - é algo factível que pode reiterar a falta de seriedade do Brasil perante ao mundo.

terça-feira, 8 de outubro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

No jargão jornalístico, existe o "chumbeta", aquele personagem chato que costuma aparecer numa roda de amigos tentando plantar uma nota em alguma coluna. E nas redes sociais, principalmente, as exploradas por quem diz ser "entendido de política", existe aquele que inventa pesquisas, comentários,  etc. para dizer que seu(s) candidato(s) é (são) favorito (s). É o "chupeta".

domingo, 29 de setembro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Tem o cantor/compositor de um único sucesso, o ator de uma novela só, o escritor que emplaca um só livro...Mas também tem o vereador de um único mandato e o puxa-saco de governo e/ou "combatente" de redes sociais que costuma durar apenas quatro anos.

quinta-feira, 26 de setembro de 2019

MEU PIRÃO PRIMEIRO

A Câmara acaba de aprovar a votação do projeto que altera a legislação dos partidos e que promove uma minirreforma eleitoral (bem ao estilo do " MEU PIRÃO PRIMEIRO", isto é, usar a política em proveito próprio). Os deputados conseguiram manter a espinha dorsal da medida articulada pela Casa, mesmo após as tentativas do Senado de alterar significativamente o projeto. Dispositivos vistos como prejudiciais à transparência nas eleições, retirados na votação do Senado, foram resgatados pelos deputados – tal como a brecha que permite o caixa 2. O texto vai agora à sanção presidencial. Havia pressa para a aprovação do projeto entre as lideranças da Câmara, porque, para que as novas regras possam valer para as eleições municipais no ano que vem, a lei tem de ser publicada no máximo um ano antes de 4 de outubro de 2020. Ao final da tramitação, a medida acabou mantendo a maior parte das benesses aos partidos. Veja os principais pontos aprovados:
- Autorização para usar recursos públicos, do Fundo Partidário, para diversos fins: construção de sede partidária; pagamento de juros, multas e débitos eleitorais; compra ou locação de bens móveis e imóveis; pagamento de serviços advocatícios em processos individuais de candidatos relacionados às eleições; e pagamento para impulsionamento de conteúdos na internet.
- Anistia a multas eleitorais.
- Volta do tempo de propaganda partidária em rádio e TV.
- Brecha para aumento do valor destinado ao Fundo Eleitoral: o montante de recursos será definido na lei orçamentária para 2020, de acordo com o percentual de emendas de bancada com execução obrigatória.

MALDIÇÃO DO PETRÓLEO

Cada vez fica mais evidente que a Teoria da Maldição do Petróleo não é nenhum conspiracionismo, coisa da turma do contra. Ou das oposições. O Estado do Rio de Janeiro, bem como o Espírito Santo e a maioria de seus municípios - principalmente, aqueles que vivem  dos royalties pagos como forma de compensação - que o digam. Ainda mais agora, quando, no dia 20 de novembro, o Supremo Tribunal Federal (STF) - também conhecido por várias decisões  " surpreendentes, aliás, comuns à  cabeças e bumbuns de nenéns -  irá votar o referendo da liminar da ação relativa à Lei do Petróleo que trata da redistribuição dos royalties. Uma verdadeira catástrofe e algo que pode representar - e decretar - quase a falência dos produtores que, mesmo legal e discutível, desgraçadamente, passarão a ver seus recursos minguarem e sua população empobrecer passando a viver todos os problemas advindos, cujo reflexos dar-se-ão nos serviços públicos, nas estradas, na segurança, na saúde,  na educação, no pagamento de salários e aposentadorias e tudo que, com a diminuição drástica nos recursos previstos e garantidos, hoje, pela lei e pela Constituição que muitos parlamentares já manifestaram o interesse de querer modificar para tornar a distribuição "mais isonômica", poderão ir para o fundo de um poço ainda maior.  Tal qual um inferno, caso aprovada a mudança referendada pelo STF, a nova forma de partilha deverá gerar um caos maior nos dois  Estados produtores e nos municípios extremamente dependentes da compensação que, desafortunadamente, querem lhes tungar. Se existem males que perdurem para sempre e a tal da " maldição", só os próximos anos e as próximas gerações irão ver. E viver.

segunda-feira, 23 de setembro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Quem não tem competência,  não se estabelece. Esta deveria ser, SEMPRE, a regra no serviço público. SQN.

terça-feira, 17 de setembro de 2019

JOGADORES SUJOS

Quem tem ....., tem medo. Este, talvez, seja o melhor ditado para traduzir o pavor que muitos do governo, do Congresso e dos tribunais têm de investigações,  CPIs e mudanças nas leis que possam representar ameaça para quem fez coisa errada como, por exemplo, mentir, subornar ( ser subornado), apadrinhar e proteger aliados, beneficiar-se das instituições, lavar e rachar dinheiro público. E, claro, roubar na maior cara e mão grandes. Sendo assim, nada mais apropriado para esta classe de gatunos e canalhas do que o corporativismo calhorda, desclassificado, impiedoso e, principalmente, sujo feito por "representantes e defensores da sociedade" que, apesar da pressão e de todo o poder, devem estar se borrando de medo pois as coisas estão mudando. Pouco, mas reconheçamos que ainda tem gente boa por aí.

ELEITOR ARREPENDIDO

Nada como uma boa - e confiável - pesquisa de opinião para mostrar a cara de um governo.  E de seus governantes. Quando há tempo hábil, o resultado, se desfavorável,  permite, por exemplo, que hajam mudanças para que o navio e seu capitão encontrem um novo curso diferente daquele que pode levar à  colisão e ao naufrágio. No caso das 5.565 prefeituras existentes, muitas não conseguirão reverter o quadro e reeleger os alcaides, haja vista o mau desempenho de suas administrações e a rejeição  apontados nas tais pesquisas. Claro, e do pouco tempo para as próximas campanhas que acontecem daqui a nove meses ( uma gestação para o surgimento de novas aberrações). A corrupção,  a paralisação de serviços importantes, obras eleitoreiras, a manutenção de trens da alegria, comprometidos, principalmente, com as câmaras municipais, partidos políticos e os financiadores de caixas dois além do interesse pessoal acima do interesse público, são alguns dos motivos para que as pesquisas venham  refletindo o pouco caso do eleitor pelos quadros atuais e até da chamada " nova política ", nova forma para se enganar a população e colocar gente que, nos palanques, promete fazer diferente" mas que, ao assumir, deixa claro ser " do mesmo saco". E nem se precisa de pesquisas pra ver isto.

domingo, 15 de setembro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Ódios e paixões são péssimos conselheiros. Portanto, devemos analisar a política sem eles.

domingo, 8 de setembro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Há vales que vem pra nem, já dizia Pestalozzi.

domingo, 1 de setembro de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

<p><noscript><img class=

INFERNO É AQUI

Dizem que de boa intenção o inferno tá cheio. Dependendo do governo, mais precisamente, do ministro da Economia, Paulo Guedes, isto encaixa como uma luva pois, além da Reforma da Previdência, que alegam "estar quebrada e vai salvar o País",  agora começam a planejar a privatização de 17 empresas que, na "melhor" das hipóteses, vai trazer mais insegurança, instabilidade e colocar na rua milhares e milhares de servidores públicos que, em situação de penúria, na " melhor" das hipóteses,  vai engrossar a fila do desemprego. É bem verdade que o Brasil tem acumulado - e enfrentado- historicamente, problemas com os modelos de Previdência e de estatização, corroídos e corruptos. Diferenças de opinião e sem essa de quaisquer viés político ou ideológico, o que se tem de levar em consideração é que a conta não pode ser paga, sempre, por quem produz em detrimento do que se pratica no inferno chamado Três Poderes e pelos demônios chamados de políticos, os ladrões,  perdulários, parasitas e marajás em sua grande maioria. Aliás, personagens de uma sub-raça que provocou todos os nossos problemas e que devem arder nas urnas. E no inferno.

domingo, 25 de agosto de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

És livre, escolhe, ou seja: inventa.
(Jean - Paul Sartre)

sexta-feira, 23 de agosto de 2019

FILME PORNÔ

PERFEITO NAMORO

https://youtu.be/DjwPSqSCNLo

CARA DE PALHAÇO

Alexandre Frota, dublê de artista de TV, teatro, filmes pornôs e deputado federal, parece que agora está realizado pois conseguiu marcar seu nome no maior espetáculo da terra, isto é,  entrou para o circo chamado Congresso Nacional com seus multifacetados " artistas", o jogo das traições e vaidades, dos interesses  pessoais acima de tudo, corrupção quase generalizada, mordomias, etc. E estreou bem, uma vez que foi eleito através da suposta oposição ao PT, se dizendo fiel às propostas revolucionárias do PSL (de Bolsonaro) e tantas outras que acaba de virar as costas, ao entrar no PSDB ( de Aécio e FHC) - quase quase no DEM (de Rodrigo Maia), ignorando o voto daqueles que o consideravam diferente e contrário ao continuísmo dos últimos 20 anos. Como se vê,  a velha política e a arte de nos fazer rir continuam mostrando que o Congresso brasileiro é,  mesmo, um grande circo e nós palhaços das perdidas ilusões.

MIGALHAS ELEITORAIS

Há um ano do início do próximo processo eleitoral, quando as campanhas já estarão em curso para eleger prefeitos e vereadores em 5.570 municípios,  estará sendo testada -  pela primeira vez desde que o Congresso a aprovou, em 2015 - a minirreforma com todas as suas "migalhas" pois ficarão muito aquém do que a sociedade  espera de deputados e senadores. Ainda não será em 2020 que teremos eleições mais transparentes, isonômicas, motivacionais e, principalmente, com moralidade em relação ao processo de escolha de candidatos e demais  mudanças necessárias e urgentes, haja vista que quem as controla - e deles participa e/ ou indica sucessores -  são os próprios parlamentares, detentores de mandatos, "donos de partidos" - os caciques e seus protegidos -, portanto, os maiores interessados no continuísmo que, de alguma forma, os beneficia. Em que pese o muito que deve ser feito, algumas destas mudanças - as quais podemos chamar de pequenos ajustes - já poderão fazer diferença como, por exemplo,  a formação das chapas e suas políticas de alianças e as eventuais formações de coligações, esta despertando maior interesse para partidos e pré-candidatos uma vez que pode fazer alguma diferença (sabemos do jeitinho brasileiro) na hora de se definir quem vai para o trono, lugar para onde irão muitos dos prefeitos e vereadores que costumam se sentir assim, como discípulos de Nababo, Midas (ao contrário), verdadeiros reis e deuses quando vencem um pleito. Como vivemos no País da esperança e do futuro, vamos torcer para que chegue, logo, o dia da verdadeira reforma eleitoral onde não haja tanta corrupção, tanto desvio de dinheiro público, compadrio, nepotismo e políticos se achando acima do bem e do mal. E tanta gente participando da "festa da democracia".

segunda-feira, 19 de agosto de 2019

VELHO CONGRESSO

O Congresso Nacional (Câmara e Senado), que alguns diziam ter sido "renovado" a partir das eleições do ano passado, continua fazendo o que sempre fez. Nada ou muito pouco quando se trata de aprovar leis ou projetos de lei favoráveis à maioria da população. Atos contínuos naquela Casa, as intermináveis discussões, o uso indecoroso de câmeras e holofotes e, principalmente, das mordomias e da velha política - com seu toma lá dá cá - têm mostrado, que numa relação custo benefício, o Congresso Nacional serve pra muito pouco. Ou melhor, serve sim, para chancelar e carimbar o que quer o Executivo. Sejam reformas,  sejam abusos de autoridade, sejam o fim do Coaf, a volta de impostos do tipo CPMF, a prática do nepotismo e sabe Deus o que mais puder chegar por lá.

quarta-feira, 14 de agosto de 2019

VERGONHA DE SER

Sou do tempo em que, além de aprender de verdade, a disciplina Moral e Cívica, OSPB e religião eram ensinadas na escola. Três qualidades - disciplina, moral e civismo - aliás,  cada vez mais raras nos dias atuais. Aprendíamos a respeitar, entre outros, as cores da bandeira, o hino nacional e, principalmente, aos próximos. Os animais e, até, os Três Poderes e a classe política.   Muita coisa aconteceu de lá pra cá  e, sem sermos saudosistas demais, muito raro nos empolgarmos com os símbolos da Pátria e praticarmos altruísmo, tampouco, nos preocuparmos com o que se passa ao nosso redor. Nem a copa do mundo de futebol - quando o escreve canarinho nos emocionava - nem olimpíadas e pan-americano (o Brasil ficou com um honroso e histórico 2° lugar e quase ninguém falou nada) faz com que a emoção de ser brasileiro transpareça nos levando às lágrimas como num passado recente ligado ao tempo em que se " aprendia" isto nas salas de aula e dentro dos lares.  Sinal dos tempos? Modernidade demais? Não. A corrupção praticada em todos os níveis e esferas, a criminalidade, o desemprego, as drogas, a falta de tempo para o diálogo, más escolhas políticas e uma Educação que visa, fria e exclusivamente, resultados, têm sido apontados como os principais culpados pela vergonha de, muitas vezes, sermos brasileiros. Assim, fica difícil se vislumbrar tempos melhores, com estruturas capazes de trazer de volta seres vivos que vivam de verdade.

SOIS REI

Diz o velho ditado que, contra a força, não há resistência. No caso do Congresso Nacional - e se aplica às assembleias e câmaras municipais - , contra o desejo do governo, quando quer aprovar algo como, por exemplo, a Reforma da Previdência, também. Difícil a maioria dizer não às emendas parlamentares e outras " tentações " peculiares à velha política.  Difícil a maioria ficar a favor da população quando se trata de defenderem seus próprios interesses, sejam políticos ou pessoais. Sendo assim, muito mais cômodo defender outro ditado que diz: manda quem pode, obedece quem tem juízo.

domingo, 11 de agosto de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Podemos ser remédio ou veneno. Depende da dose.

quarta-feira, 7 de agosto de 2019

"SALVADORES DA PÁTRIA"

Se você, trabalhador e contribuinte brasileiro, algum dia se sentir prejudicado - ou beneficiado - pela Reforma da Previdência, que acaba de ser aprovada em segundo turno pela Câmara, não se esqueça quais foram os deputados - liderados pelo presidente Rodrigo Maia - responsáveis pela façanha que eles e o governo dizem que "vai salvar o País" (mas que não vão mexer em nenhuma de suas mordomias, benesses, direito de trocar o voto por uma emenda parlamentar, etc):

                      AVANTE
André JanonesMGNão
Chiquinho BrazãoRJSim
Greyce EliasMGSim
Leda SadalaAPSim
Luis TibéMGSim
Pastor Sargento IsidórioBANão
TitoBASim
Total Avante: 7
CIDADANIA
Alex ManenteSPSim
Arnaldo JardimSPSim
Carmen ZanottoSCSim
Da VitóriaESSim
Daniel CoelhoPESim
Marcelo CaleroRJSim
Paula BelmonteDFSim
Rubens BuenoPRSim
Total CIDADANIA: 8
DEM
Alan RickACSim
Alexandre LeiteSPSim
Aníbal GomesCESim
Arthur Oliveira MaiaBASim
Bilac PintoMGSim
Carlos Henrique GaguimTOSim
David SoaresSPSim
Dr. Zacharias CalilGOSim
Efraim FilhoPBSim
Eli Corrêa FilhoSPSim
Elmar NascimentoBASim
Fernando Coelho FilhoPESim
Geninho ZulianiSPSim
Hélio LeitePASim
Jose Mario SchreinerGOSim
Juninho do PneuRJSim
Juscelino FilhoMASim
Kim KataguiriSPSim
Leur Lomanto JúniorBASim
Luis MirandaDFSim
Norma AyubESSim
Olival MarquesPASim
Onyx LorenzoniRSSim
Paulo AziBASim
Pedro LupionPRSim
Pedro PauloRJSim
Professora Dorinha Seabra RezendeTOSim
Rodrigo MaiaRJSim
Sóstenes CavalcanteRJSim
Tereza CristinaMSSim
Total DEM: 30
MDB
Alceu MoreiraRSSim
Baleia RossiSPSim
Carlos BezerraMTSim
Carlos ChiodiniSCSim
Celso MaldanerSCSim
Daniela do WaguinhoRJSim
Darcísio PerondiRSSim
Dulce MirandaTOSim
Elcione BarbalhoPASim
Fábio RamalhoMGSim
Fabio ReisSESim
Flaviano MeloACSim
Giovani FeltesRSSim
Gutemberg ReisRJSim
Hercílio Coelho DinizMGSim
Herculano PassosSPSim
Hermes ParcianelloPRSim
Hildo RochaMASim
Isnaldo Bulhões Jr.ALSim
João Marcelo SouzaMASim
José PriantePASim
Juarez CostaMTSim
Lucio MosquiniROSim
Márcio BiolchiRSSim
Marcos Aurélio SampaioPISim
Mauro LopesMGSim
Moses RodriguesCESim
Newton Cardoso JrMGSim
Raul HenryPESim
Rogério Peninha MendonçaSCSim
Vinicius FarahRJSim
Walter AlvesRNSim
Total MDB: 32
NOVO
Adriana VenturaSPSim
Alexis FonteyneSPSim
Gilson MarquesSCSim
Lucas GonzalezMGSim
Marcel van HattemRSSim
Paulo GanimeRJSim
Tiago MitraudMGSim
Vinicius PoitSPSim
Total NOVO: 8
Patriota
Alcides RodriguesGOSim
Dr. FredericoMGSim
Fred CostaMGSim
Marreca FilhoMASim
Pastor EuricoPESim
Total Patriota: 5
PCdoB
Alice PortugalBANão
Daniel AlmeidaBANão
Jandira FeghaliRJNão
Márcio JerryMANão
Orlando SilvaSPNão
Perpétua AlmeidaACNão
Professora MarcivaniaAPNão
Renildo CalheirosPENão
Total PCdoB: 8
PDT
Afonso MottaRSNão
Alex SantanaBASim
André FigueiredoCENão
Chico D`AngeloRJNão
Dagoberto NogueiraMSNão
Damião FelicianoPBNão
Eduardo BismarckCENão
Fábio HenriqueSENão
Félix Mendonça JúniorBANão
Flávio NogueiraPISim
Gil CutrimMASim
Gustavo FruetPRNão
Idilvan AlencarCENão
Jesus SérgioACSim
Leônidas CristinoCENão
Mário HeringerMGNão
Marlon SantosRSSim
Paulo RamosRJNão
Pompeo de MattosRSNão
Robério MonteiroCENão
Sergio VidigalESNão
Silvia CristinaROSim
Subtenente GonzagaMGSim
Tabata AmaralSPSim
Túlio GadêlhaPENão
Wolney QueirozPENão
Total PDT: 26
PHS
Igor KannárioBASim
Total PHS: 1
PL
Abílio SantanaBASim
Altineu CôrtesRJSim
Bosco CostaSESim
Capitão AugustoSPSim
Christiane de Souza YaredPRSim
Cristiano ValePASim
Dr. JazielCESim
Edio LopesRRSim
Fernando RodolfoPESim
Flávia ArrudaDFSim
Gelson AzevedoRJSim
GiacoboPRSim
Giovani CheriniRSSim
João Carlos BacelarBASim
João MaiaRNSim
José RochaBASim
Josimar MaranhãozinhoMASim
Junior LourençoMASim
Júnior ManoCESim
LaurieteESSim
Lincoln PortelaMGSim
Luiz Carlos MottaSPNão
Luiz NishimoriPRSim
Magda Mofatto (#)GOSim
Marcelo RamosAMSim
Marcio AlvinoSPSim
Miguel LombardiSPSim
Pastor GildenemyrMASim
Paulo Freire CostaSPSim
Policial Katia SastreSPSim
Raimundo CostaBASim
Sebastião OliveiraPESim
Sergio ToledoALSim
Soraya SantosRJSim
TiriricaSPNão
Wellington RobertoPBSim
Zé VitorMGSim
Total PL: 37
PMN
Eduardo BraideMANão
Total PMN: 1
Podemos
Aluisio MendesMASim
BacelarBANão
Diego GarciaPRSim
Igor TimoMGSim
José MedeirosMTSim
José NeltoGOSim
Léo MoraesROSim
Pr. Marco FelicianoSPSim
Renata AbreuSPSim
Ricardo TeobaldoPESim
Roberto de LucenaSPSim
Total Podemos: 11
PP
Adriano do BaldyGOSim
Afonso HammRSSim
Aguinaldo RibeiroPBSim
AJ AlbuquerqueCESim
André AbdonAPSim
André FufucaMASim
Angela AminSCSim
Arthur LiraALSim
Átila LinsAMSim
Beto RosadoRNSim
Cacá LeãoBASim
Celina LeãoDFSim
Christino AureoRJSim
Claudio CajadoBASim
Dimas FabianoMGSim
Dr. Luiz Antonio Teixeira Jr.RJSim
Eduardo da FontePENão
Evair Vieira de MeloESSim
Fausto PinatoSPSim
Fernando MonteiroPENão
Franco CartafinaMGSim
Guilherme DerriteSPSim
Guilherme MussiSPSim
Hiran GonçalvesRRSim
Iracema PortellaPISim
Jaqueline CassolROSim
Jerônimo GoergenRSSim
Laercio OliveiraSESim
Marcelo AroMGSim
Margarete CoelhoPISim
Mário Negromonte Jr.BANão
Neri GellerMTSim
Pedro WestphalenRSSim
Professor AlcidesGOSim
Ricardo BarrosPRSim
Ricardo IzarSPSim
Ronaldo CarlettoBASim
SchiavinatoPRSim
Total PP: 38
PRB
Aline GurgelAPNão
Amaro NetoESSim
Aroldo MartinsPRSim
Benes LeocádioRNSim
Capitão Alberto NetoAMSim
Carlos GomesRSSim
Celso RussomannoSPSim
Cleber VerdeMASim
Gilberto AbramoMGSim
Hélio CostaSCSim
Hugo MottaPBNão
Jhonatan de JesusRRSim
João CamposGOSim
João RomaBASim
Jorge BrazRJSim
Julio Cesar RibeiroDFSim
Lafayette de AndradaMGSim
Luizão GoulartPRSim
Manuel MarcosACSim
Márcio MarinhoBASim
Marcos PereiraSPSim
Maria RosasSPSim
Milton VieiraSPSim
Ossesio SilvaPESim
Roberto AlvesSPSim
Rosangela GomesRJSim
Severino PessoaALSim
Silas CâmaraAMSim
Silvio Costa FilhoPESim
Vavá MartinsPASim
Vinicius CarvalhoSPSim
Total PRB: 31
PROS
Acácio FavachoAPSim
Boca AbertaPRSim
Capitão WagnerCENão
Clarissa GarotinhoRJNão
Eros BiondiniMGSim
Gastão VieiraMASim
Toninho WandscheerPRSim
Uldurico JuniorBASim
Vaidon OliveiraCESim
Weliton PradoMGNão
Total PROS: 10
PSB
Alessandro MolonRJNão
Aliel MachadoPRNão
Átila LiraPISim
Bira do PindaréMANão
Camilo CapiberibeAPNão
Cássio AndradePANão
Denis BezerraCENão
Elias VazGONão
Emidinho MadeiraMGSim
Felipe CarrerasPESim
Felipe RigoniESSim
Gervásio MaiaPBNão
Gonzaga PatriotaPENão
Heitor SchuchRSNão
Jefferson CamposSPSim
JhcALNão
João H. CamposPENão
Júlio DelgadoMGNão
Lídice da MataBANão
Liziane BayerRSSim
Luciano DucciPRNão
Luiz Flávio GomesSPNão
Marcelo NiloBANão
Mauro NazifRONão
Rafael MottaRNNão
Rodrigo AgostinhoSPSim
Rodrigo CoelhoSCSim
Rosana ValleSPSim
Tadeu AlencarPENão
Ted ContiESSim
Total PSB: 30
PSC
André FerreiraPESim
Euclydes PettersenMGSim
Gilberto NascimentoSPSim
Glaustin FokusGOSim
Osires DamasoTOSim
Otoni de PaulaRJSim
Paulo Eduardo MartinsPRSim
Total PSC: 7
PSD
Alexandre SerfiotisRJSim
André de PaulaPESim
Antonio BritoBASim
Cezinha de MadureiraSPSim
Charles FernandesBASim
Danrlei de Deus HinterholzRSSim
Darci de MatosSCSim
Delegado Éder MauroPASim
Diego AndradeMGSim
Domingos NetoCESim
Edilázio JúniorMASim
Evandro RomanPRSim
Expedito NettoRONão
Fábio FariaRNSim
Fábio MitidieriSESim
Fábio TradMSSim
FlordelisRJSim
Francisco Jr.GOSim
Haroldo CathedralRRSim
Hugo LealRJSim
Joaquim PassarinhoPASim
José NunesBASim
Júnior FerrariPASim
Marco BertaiolliSPSim
Marx BeltrãoALSim
Misael VarellaMGSim
Otto Alencar FilhoBASim
Paulo MagalhãesBASim
Reinhold Stephanes JuniorPRSim
Ricardo GuidiSCSim
Sargento FahurPRSim
Sidney LeiteAMSim
Stefano AguiarMGSim
VermelhoPRSim
Wladimir GarotinhoRJNão
Total PSD: 35
PSDB
Adolfo VianaBASim
Aécio NevesMGSim
Beto PereiraMSSim
Bruna FurlanSPSim
Carlos SampaioSPSim
Célio SilveiraGOSim
Celso SabinoPASim
Daniel TrzeciakRSSim
Domingos SávioMGSim
Edna HenriquePBSim
Eduardo BarbosaMGSim
Eduardo CurySPSim
Geovania de SáSCSim
Lucas RedeckerRSSim
Luiz CarlosAPSim
Mara RochaACSim
Mariana CarvalhoROSim
Nilson PintoPASim
Paulo Abi-AckelMGSim
Pedro Cunha LimaPBSim
Roberto PessoaCESim
Rodrigo de CastroMGSim
Rose ModestoMSSim
Ruy CarneiroPBSim
Samuel MoreiraSPSim
ShéridanRRSim
Tereza NelmaALNão
Vanderlei MacrisSPSim
Vitor LippiSPSim
Total PSDB: 29
PSL
Abou AnniSPSim
Alê SilvaMGSim
Alexandre FrotaSPAbstenção
Aline SleutjesPRSim
Bia KicisDFSim
Bibo NunesRSSim
Cabo Junio AmaralMGSim
Carla ZambelliSPSim
Carlos JordyRJSim
Caroline de ToniSCSim
Charlles EvangelistaMGSim
Chris ToniettoRJSim
Coronel ArmandoSCSim
Coronel ChrisóstomoROSim
Coronel TadeuSPSim
Daniel FreitasSCSim
Daniel SilveiraRJSim
Delegado Antônio FurtadoRJSim
Delegado Marcelo FreitasMGSim
Delegado PabloAMSim
Delegado WaldirGOSim
Dr. Luiz OvandoMSSim
Dra. Soraya ManatoESSim
Eduardo BolsonaroSPSim
Fabio SchiochetSCSim
Felício LaterçaRJSim
Felipe FrancischiniPRSim
Filipe BarrosPRSim
General GirãoRNSim
General PeternelliSPSim
Guiga PeixotoSPSim
GurgelRJSim
Heitor FreireCESim
Helio LopesRJSim
Joice HasselmannSPSim
Julian LemosPBSim
Júnior BozzellaSPSim
Léo MottaMGSim
Loester TrutisMSSim
Lourival GomesRJSim
Luciano BivarPESim
Luiz LimaRJSim
Luiz Philippe de Orleans e BragançaSPSim
Major Vitor HugoGOSim
Marcelo Álvaro AntônioMGSim
Márcio LabreRJSim
Nelson BarbudoMTSim
Nereu CrispimRSSim
NicolettiRRSim
Professor JozielRJSim
Professora Dayane PimentelBASim
SandersonRSSim
Total PSL: 52
PSOL
Edmilson RodriguesPANão
Fernanda MelchionnaRSNão
Glauber BragaRJNão
Ivan ValenteSPNão
Luiza ErundinaSPNão
Marcelo FreixoRJNão
Sâmia BomfimSPNão
Talíria PetroneRJNão
Total PSOL: 8
PT
Afonso FlorenceBANão
Airton FaleiroPANão
Alencar Santana BragaSPNão
Alexandre PadilhaSPNão
Arlindo ChinagliaSPNão
Assis CarvalhoPINão
Benedita da SilvaRJNão
Beto FaroPANão
Bohn GassRSNão
Carlos VerasPENão
Carlos ZarattiniSPNão
Célio MouraTONão
Enio VerriPRNão
Erika KokayDFNão
Frei Anastacio RibeiroPBNão
Gleisi HoffmannPRNão
Helder SalomãoESNão
Henrique FontanaRSNão
João DanielSENão
Jorge SollaBANão
José Airton CiriloCENão
José RicardoAMNão
Joseildo RamosBANão
Leonardo MonteiroMGNão
Luizianne LinsCENão
MarconRSNão
Margarida SalomãoMGNão
Maria do RosárioRSNão
Natália BonavidesRNNão
Nelson PellegrinoBANão
Nilto TattoSPNão
Odair CunhaMGNão
Padre JoãoMGNão
PaulãoALNão
Paulo GuedesMGNão
Paulo PimentaRSNão
Paulo TeixeiraSPNão
Pedro UczaiSCNão
Professora Rosa NeideMTNão
Reginaldo LopesMGNão
Rogério CorreiaMGNão
Rui FalcãoSPNão
Valmir AssunçãoBANão
Vander LoubetMSNão
VicentinhoSPNão
Waldenor PereiraBANão
Zé CarlosMANão
Zé NetoBANão
Zeca DirceuPRNão
Total PT: 49
PTB
Eduardo CostaPASim
Emanuel Pinheiro NetoMTSim
Luisa CanzianiPRSim
Marcelo MoraesRSSim
Maurício DziedrickiRSSim
Nivaldo AlbuquerqueALSim
Paes LandimPISim
Paulo BengtsonPASim
Pedro Augusto BezerraCESim
Pedro Lucas FernandesMASim
SantiniRSSim
Wilson SantiagoPBSim
Total PTB: 12
PV
Célio StudartCENão
Enrico MisasiSPSim
LeandrePRSim
Professor Israel BatistaDFNão
Total PV: 4
REDE
Joenia WapichanaRRNão
Total REDE: 1
S.Part.
Luiz Antônio CorrêaRJSim
Total S.Part.: 1
Solidariedade
Augusto CoutinhoPESim
Aureo RibeiroRJSim
Bosco SaraivaAMSim
Dr. LeonardoMTSim
Dra. Vanda MilaniACSim
Eli BorgesTOSim
Genecias NoronhaCESim
Gustinho RibeiroSESim
Lucas VergilioGOSim
Marina SantosPISim
Otaci NascimentoRRSim
Paulo Pereira da SilvaSPNão
Tiago DimasTOSim
Zé SilvaMGSim
Total Solidariedade: 14

NAVALHA NA CARNE

A recente tragédia que aconteceu no bairro do Leblon, no Rio, quando duas pessoas foram mortas por um morador de rua desorientado, supostamente, usuário de drogas e, certamente, doente mental, reacendeu a discussão do porte e posse de armas opcional, isto é, para quem queira e preencha todos os pré-requisitos para usá-las. Isto porque o tal assassino esfaqueou dois homens sem qualquer possibilidade de defesa já que nenhum dos dois pode fazer nada para defender sua própria vida pois estavam de peito aberto. E mãos vazias. O episódio de horror também coloca no foco das discussões, prestes a voltar ao plenário do Congresso Nacional em breve, outro ponto relevante e emblemático, uma vez que causou mais três vítimas: uma esfaqueada pelo agressor e duas por tiros vindos de policiais que tentavam pará-lo. Como se vê,  ainda vai passar muita água por baixo da ponte até que se encare o assunto de frente, sem demagogia, fazendo prevalecer a vontade de uma maioria que deseja ter o direito de defender sua vida e a dos seus. Se quiser.

RISO AMARELO

O episódio envolvendo o deputado da boquinha- no caso dele, um verdadeiro bocão- tá dando o maior bochicho. Isto porque o pastor Marcos Feliciano, do Podemos-SP ( partido que, pelo visto, pode tudo), acaba de fazer a maior graça e rir do pobre do contribuinte brasileiro pois pagou R$157 mil por um tratamento dentário, devidamente, ressarcido pela Câmara Federal. Mais uma daquelas grandes aberrações nacionais que ninguém consegue eliminar da vida nacional e mais uma das grandes injustiças que o governo e os parlamentares querem perpetuar através de reformas como a da Previdência e outros métodos nefastos de manter as mordomias como a de nos fazer rir sem graça alguma.

segunda-feira, 5 de agosto de 2019

BIOMETRIA EM QUISSAMÃ

Hoje fiz o que cerca de 65% dos eleitores de Quissamã (RJ) já fizeram. Fui até o cartório (255a. Zona) para a identificação biométrica. Uma exigência da lei para tornar o processo eleitoral ainda mais seguro e dinâmico. Não foi nada difícil ( basta levar RG, CPF, título e comprovante de residência), não doeu e não gastei nada. Outro detalhe é que o atendimento pode ser agendado pelo site do TRE. Ou não, pois a turma do Cartório do município- que abrange também o vizinho Carapebus - tem feito seu trabalho com eficiência para que o momento máximo da democracia seja alcançado em sua plenitude até dezembro, prazo final para o cadastramento que é  obrigatório.

domingo, 4 de agosto de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Faltando menos de um ano para o início da próxima campanha eleitoral (municipal), a chapa começou a esquentar jogando m#*$@ no ventilador de muita gente. (blogueiros e " jornalistas" que o digam)

segunda-feira, 29 de julho de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Quem acha que existe ética, norma, regra, critério numa disputa política, pode ir tirando o cavalinho da chuva. Vale tudo... até mulher com mulher!

sexta-feira, 26 de julho de 2019

MILAGRE DA MULTIPLICAÇÃO

A população brasileira não está tão mal assim. Pelo menos para o governo que deve liberar, nos próximos dias, ATÉ R$500 das contas ativas e inativas do FGTS,  salvando, assim, a Pátria, isto é, "permitindo que os trabalhadores quitem, por exemplo, suas dívidas com cartões,  condomínios  atrasados, faturas e contas", enfim, e, com essa grana TODA, saindo da grande inadimplência em que vivem. Isto só pode ser uma grande brincadeira do ministro Paulo Guedes que deve estar achando que os problemas econômicos do Brasil e de seu povo são tudo fake news.

segunda-feira, 22 de julho de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

A vida não tem controle remoto. Você tem que levantar ( a bunda da cadeira) e mudar.

quinta-feira, 18 de julho de 2019

FAMÍLIA QUE PERMANECE UNIDA

Isso que o Bolsonaro tá fazendo é uma grande injustiça (pra não ser indelicado e dizer que foi uma grande sacanagem, putaria...) para com a própria família.  Onde já se viu um pai privilegiar um único filho bem assim, aos olhos de todo o mundo, e ainda achar que é a coisa mais natural do mundo. Lançar um balão de ensaio para nomear Eduardo como embaixador do Brasil nos EUA e deixar os outros dois, que também são políticos com muitos votos - vereador e senador -, e, cheios de " qualidades", inclusive tendo sido eleitos por méritos pessoais, chupando dedo quando há um País inteiro de oportunidades ( pra não dizer todo um planeta, afinal, para um presidente como ele parece não haver limites). O presidente deveria repensar melhor e fazer outras nomeações o mais rápido possível pois o tempo urge e, agora,  só faltam uns três anos para um novo processo eleitoral. Que tal colocar o Flávio na Fazenda e o Carlos nas Comunicações,  já que o primeiro costuma fazer milagres na Economia e o segundo lidar muito bem com a mídia,  com as redes sociais, com as massas? Que tal aproveitar o bom momento de um Congresso Nacional feliz com as verbas para as emendas parlamentares - além dos condicionais apoios de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre- e inserir, desde já, seus outros filhos menores no mercado de trabalho para ver se, a exemplo do que não vai acontecer com a maioria dos trabalhadores brasileiros, " contemplados" com a Reforma da Previdência, não morrem antes de se aposentar?

REPÚBLICA DE BANANAS

Bolsonaro pode se queixar de tudo. Que a velha política (toma lá dá cá) é difícil de ser combatida; que a corrupção no Brasil é endêmica e cultural; que há muita banana pra ser descascada ( além dos pepinos, abacaxis e até laranjas); que a maioria das promessas de campanha, nem de longe, poderão ser cumpridas por causa disto; que, no final, quem manda é o Congresso; que o Supremo é intocável; que não nasceu pra ser presidente, etc. Só não pode dizer que não sabia, pois tá no jogo há mais de 30 anos dentro de um sistema e jogando um jogo cujo placar é sempre de uma grande goleada contra a Nação. Ao se colocar com o slogan Brasil Acima de Tudo e Deus Acima de Todos, Bolsonaro conseguiu convencer a maioria de que iria  entrar de sola na corrupção, aprovar as reformas, para mudar o País, dar direitos à população, inclusive, de se defender e melhorar sua vida,  principalmente, dos mais sofridos. Só que não. Em seis meses, o que se consegue ver é um cenário do mais por menos;  a oposição fazendo o barulho falso e inútil de sempre; tudo parado em função da aprovação de uma reforma da Previdência que não salvará o Brasil de mordomias, privilégios, usurpação e desvios dos mais variados; o entra e sai de ministros; muita mídia e blá blá blá,  enfim, que continuaremos a ser uma República de Bananas, aliás,  bananas estas que Bolsonaro tem descascado, engolido ( muitas a tira-gosto) e escorregado nas próprias cascas que vem jogando no chão e as quais podem provocar traumas graves como, por exemplo, a volta de viés ideológicos e de máquinas carcomidas e corruptas dos governos anteriores.

PERU FESTEIRO

Com quase 58 milhões de votos e carregando a esperança de "revolucionar" o Brasil - com ou sem armas - Bolsonaro tem conseguido, no máximo, se transformar num "Peru Festeiro" que, como dizia minha avó, era quando alguém fazia e acontecia, pulava pra lá e pra cá, gritava, esperneava... e, no final, nada". O autêntico Peru Festeiro. Durante a campanha do ano passado, o então candidato dizia, por exemplo, que ia acabar com a velha política do toma lá dá cá e o que se tem visto é um aumento significativo de emendas parlamentares visando comprar votos para aprovar a Reforma da Previdência e deixar o campo limpo para o futuro; discussão do porte e posse de armas relegada a um segundo plano; desemprego, taxa de juros e dólar próximos ao patamar dos governos passados; ministros denunciados e, devido às frituras e desentendimentos, vivendo numa verdadeira Torre de Babel; a volta dos pardais eletrônicos com mais velocidade ainda; manutenção dos gastos injustificáveis,  como da TV estatal que continua "no ar", mas sem audiência (o mesmo para as mordomias nos Três Poderes); ser contra a reeleição,  mas já fala em 2022 e tantos outros estardalhaços e fakes midiáticos que só têm causado confusão.  Sem falar nas pérolas ditas - e feitas - como nomear ministros para o STF " terrivelmente evangélicos; bom seria que o sargento-traficante fosse pego na Indonésia; nomear filhos num ministério ou embaixada não é nepotismo", etc. Uma pena, pois a população, de um modo geral, acreditou que Bolsonaro não ia ser tão político ao ponto de falar e prometer aquilo que não pode ou não vai fazer. Bem ao estilo dos perus festeiros que minha vó tanto falava.

segunda-feira, 15 de julho de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Viver é a coisa mais rara do mundo. A maioria das pessoas apenas existe". (Oscar Wilde)

segunda-feira, 8 de julho de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

O Brasil vivendo um turbilhão de denúncias e outros problemas relacionados ao governo Bolsonaro e o ministro Sérgio Moro sai de férias.  Huuuuuuum!

segunda-feira, 1 de julho de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Na onda dos "arraiá, dos quentão e das fogueira", tem muita gente do governo com a batata assando.

terça-feira, 25 de junho de 2019

FACA NA GARGANTA

O que acaba de acontecer com os jornalistas Marco Antonio Villa e Paulo Henrique Amorim, o primeiro, demitido, o outro," colocado na geladeira" e depois sofrendo infarte fulminante,  não é inédito - e nunca será - no Brasil. Qualquer um que tenha lado, principalmente, contrário ao atual regime, sofre - e sempre sofrerá- tais consequências.  Isto quando não é " executado", ou retirado de circulação,  para sempre. O Brasil, desde o mais alto escalão dos poderes, até aquele mais longínquo e pequenino município,  tem tais características pois não admite " interferência " em seus assuntos, interesses,  negócios e até mesmo quem costuma influenciar cidadãos que não pactuam das irregularidades,  crimes praticados, condutas erradas e costuma botar a boca no trombone. Assim, os inimigos da verdadeira democracia, agem de forma a inibir quem pensa diferente, estando eles, os jornalistas ou quaisquer outros profissionais com tais prerrogativas, certos ou errados, como, muitas vezes, se posicionam Villa, Amorim e tantos outros, punindo desta forma. Com demissão, geladeira ou uma vala de cemitério, como acabou acontecendo com o ex-funcionário da Record do bispo Macedo . 

RAINHA DE ARAQUE

Bolsonaro não é, tampouco se parece com uma rainha da Inglaterra. Mas se depender do Congresso Nacional, já já ele estará nesta condição haja vista a maioria dos deputados e senadores, corruptos, viciados e acostumados ao toma lá dá cá (apesar da "renovação") continuar minando seu governo e derrubando projetos, feitos durante promessas de campanha, que poderiam dar novo ânimo ao País. Um deles, relativo à  posse de armas, acaba de ser rejeitado pela maioria dos senadores - devendo acontecer o mesmo na Câmara- que demonstra ser a favor da continuidade delas nas mãos dos criminosos, como acontece, e sem direito de defesa ( ou livre escolha) para o cidadão de bem que queira se defender e a sua família. Mas também o que se poderia esperar de um poder legislativo que tem à frente um deputado investigado e que se elegeu por muito pouco e um senador, engavetador e ruim de voto, pois teve mau desempenho nas eleições pra governador de seu estado, que está lá só Deus sabe porquê. Sendo assim, presidente, pelo andar da "carruagem real", é bom estar preparado para governar sem o manto, o cedro e a coroa. E sem a caneta.

DIREITO À VIDA

Há uma semana, executaram um jornalista em Maricá ( na verdade foram dois em menos de um mês), no Estado do Rio de Janeiro. Mas mataram - e estão matando todos os dias -  também, crianças, idosos, recém-nascidos, policiais, médicos, pedreiros, donas de casa, desempregados, etc. Estão matando "todo mundo" Brasil afora. E ninguém faz nada. Quando muito, muito pouco. Quase nada. Os que deveriam socorrer a sociedade, efetivamente, no caso, os legisladores, parecem não estar nem aí pois quando se tenta aprovar leis que poderiam auxiliar a Justiça e as forças de segurança a diminuir a criminalidade, recomeça a cantilena de sempre ao dizerem que são contra, por exemplo, se armar o homem de bem que queira se defender, a prisão perpétua, excludentes de ilicitude e, até, propostas como as do ministro Sérgio Moro relacionadas à Lava Jato e ao combate ao crime organizado, os quais muitos políticos temem e tremem de medo pelas razões que todos conhecemos. Sendo assim, a guerra civil continuará matando, todos os dias, milhares de brasileiros e brasileiras de todas as idades, de todas as raças, de todas as religiões, de todas as profissões. De todas as formas. E ninguém fará nada. Ou muito pouco.

segunda-feira, 24 de junho de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Ao assistir Quissamã apresentando propostas para mudança de regime trabalhista (celetista para estatutário), logo nos lembramos de Willian Shakespeare, na Tragédia de Hamlet: " Ser ou não ser, eis a questão".

domingo, 16 de junho de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Bolsonaro tem dado um bom exemplo para os governantes em geral: não rezou na cartilha, como Levy, rua!

sábado, 15 de junho de 2019

QUISSAMÃ TEM HISTÓRIA

Pisei em Quissamã, então 4° distrito de Macaé, pela primeira vez em 1978. Era bem jovem, segundanista em Psicologia e, talvez, naquela oportunidade, quando aceitei convite para lá passar o Carnaval, tenha despertado em mim o espírito desbravador de hoje que já nos permitiu conhecer cinco dos seis continentes - a Antártida acho que não vai dar - e considerável parte do País, sempre com a sagaz curiosidade típica de quem quer, de alguma forma, conhecê-la e, quando possível, dela fazer parte. Quiçá, mudá-la?!?!  Até aquela data nunca tinha ouvido falar daquele "lugarzinho" (apenas no sentido interiorano, gentil e singelo e por sua população, à  época, de cerca de 11, 12 mil habitantes ) bucólico, aprazível, de tradições familiares, religiosas e tão cheio de cultura e muitas histórias para contar e ouvir. E ensinar. Como, por exemplo, a dos Sete Capitães, com as terras em sesmarias dadas a eles pelos relevantes serviços prestados, no século XVII, durante a invasão dos holandeses e dos piratas ingleses, quando foram recompensados com terras do Norte Fluminense, inclusive Quissamã, outrora Aldeia Nova, Povoação de Nossa Senhora do Desterro e Freguesia de Quissamã. Sem falar na origem de seu nome que se deve a um escravo encontrado por eles, junto aos índios, vindo de cidade africana, homônima (sem o circunflexo), localizada a 80 km de Luanda, capital de Angola, outra de suas muitas peculiaridades que, aliás, deveriam ser mais e melhor reproduzidas e exploradas, pois, nestes tempos de rápido processo de civilização - muitas vezes tão rápido que faz aumentar nossa falta de memória - andam um pouco esquecidas com risco de se perder, ou mesmo se modificarem, no meio dos muitos caminhos de um progresso, vindo através da terra, do ar, do mar, bem como do barro e até mesmo pelas estradas de asfalto produzidas por uma civilização que muitas vezes não dá o devido valor à própria história. Na semana que Quissamã completa seu 30° aniversário de emancipação político-administrativa (12 de junho) comemorando as muitas conquistas - das quais fui testemunha ocular, seja como turista, de um passado recente, ou como cidadão, servidor, eleitor, contribuinte, etc, que espero continuar sendo por um bom tempo -  muita coisa se passou pela mente desde aquela " primeira vez" no ano de 1978, do século XX (quem sabe, ainda, nas muitas cenas de déjà vu desde então?). Além da constatação dos tempos, indiscutivelmente, promissores, quando Quissamã, sua gente e os " filhos adotivos" passaram a contar com muito mais qualidade de vida, preocupa -me, hoje, sobremaneira, outro grande patrimônio, que são as páginas de sua história, ser esquecido ou deixar de retratar toda a verdade como só acontece quando ela é contada com todos os detalhes, seus personagens e feitos principais. Inclusive com todos os acertos e, principalmente, seus erros para que não aconteça, com nossa estimada Quissamã, aquilo que o pensador Edmund Burke temia quando alguém, deliberada ou instintivamente, tentava apagar ou esconder: "um povo que não conhece a sua história está condenado a repetí-la". E que viva a história. E que viva Quissamã. E que a verdade prevaleça. Sempre!

JOGO COM PRORROGAÇÃO

Sem qualquer tipo de machismo, misoginia ou outro rótulo que muitas vezes tentam impingir, mesmo perpetrar, contra alguém,  principalmente, quando há algum tipo de disputa, como fizeram com o presidente Bolsonaro durante a campanha.  Sem qualquer tipo de trocadilho também,  mesmo porque o assunto é sério.  Mas a pergunta curta e grossa que não quer calar: que diabos uma mulher adulta, bonita e, certamente, bem vivida, aceita passagem para Paris, com todas as mordomias e os deslumbres ( sem falar nos possíveis vislumbres) advindos da viagem para a Cidade-Luz, devidamente pagos, para "ficar" com um dos caras mais famosos e ricos do futebol mundial, inclusive solteiro e "pegador" e apenas para conversar, namorar, ser cantada, ouvir promessas e juras de amor ou, no máximo,  para ser cantada e dar uns "amassos". E quem, em sã consciência, acredita que a Justiça, no final, vai acreditar na história do estupro levando um craque, que não é nenhum santo, a ficar preso por um suposto crime? Acho que a moça conseguiu apenas seus cinco minutos de fama, prorrogáveis por mais algum tempo. No máximo, ir para os pênaltis . Pênalties estes que têm sido as intermináveis idas e vindas dos dois envolvidos às delegacias e a todas as demais instâncias que vêm dando espaço a uma coisa que podia ter sido resolvida na cama mesmo. As quais, salvo as exceções de sempre, ninguém aguenta mais.

domingo, 9 de junho de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

"Dessa vida nada se leva. A gente só deixa".(Uma das máximas do companheiro, jornalista Paulo Freitas, que acaba de fazer o passamento e, nesta hora, já está cercado de espíritos de luz do Astral Superior.

segunda-feira, 3 de junho de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Aquele "minitrio de Quissamã " nunca mais será o mesmo. Literalmente.

quarta-feira, 29 de maio de 2019

DESTINO DA RÁDIO

O rádio brasileiro volta a ficar mais pobre. A mesmice de sempre, além  de uma inútil caixa de ressonância chapa branca, local para rasgação de seda ou alimentar fogueira de vaidades. Mas não foi só pela morte de um dos maiores comunicadores de todos os tempos, como o Ricardo Boechat, da Band News, que faleceu em acidente aéreo recentemente. Agora, foi a vez da censura se manifestar da forma mais vil e perigosa num veículo de comunicação, ao demitir um outro " monstro  da latinha", Marco Antonio Villa, muito provavelmente, por suas posições duras e coerentes contra as coisas que julgava erradas, entre elas, do governo Bolsonaro e alguns de seus protagonistas ou gurus, como os ministros das Relações Exteriores e da Educação e de um filósofo que vive nos EUA. Como acaba de fazer a Jovem Pan.Tanto uma perda, como outra, guardadas todas as proporções, deixaram um grande vazio para milhões de brasileiros que, ao ficarem sem ouvir o contraditório com tanta propriedade feita pelos dois, muito provavelmente, deixarão de ouvir verdades nas manhãs de segunda a sexta-feira que voltarão a ficar pobres. A mesmice de sempre.

SEM REFORMA

Pergunta que não quer calar: a Reforma da Previdência sairá? SIM, diz a maioria dos experts porque grande parte da mídia quer; a população acredita que é necessário para a volta dos investimentos e tapar o rombo da roubalheira que é enorme e o toma lá dá cá surgirá, como sempre, mais intensamente e às escancaras. Mas será aprovada e justa? NÃO, dirão os mais realistas, acostumados a ter um País de abissais diferenças e culturas onde na briga do peixinho e do marisco com o mar sabemos o que acontece. O rochedo, no  caso, o Centrão - mais também o Direitão  e o Esquerdão -   e outras categorias, políticas ou não, "especiais" ou não, sairão ilesos e intactos, sem contribuir ou deixar que mexam em seu pirão. Afinal, dizem eles, democracia é assim : "existe quando nós determinamos o que é bom para o povo. Entretanto, se determinarem o que devemos fazer é ditadura.  Ou anarquia".

MALES DO BRASIL

A todo momento se diz que os maiores responsáveis pelos principais problemas do País são os políticos. Até o presidente Bolsonaro, que é um deles há mais de 30 anos, falou isto dia destes. E é verdade mesmo pois um cara, ao ser eleito, por exemplo, vereador daquele pobre e longínquo município, logo começa a trilhar o caminho do compadrio, da imoralidade, do corporativismo, do peculato. Do toma lá dá  cá e da roubalheira, sem falar nos milhões e milhões de reais, inutilmente, gastos, para manter suas mordomias e de suas famílias como vem sendo denunciado agora através das redes sociais que a todo momento mostram quanto se gasta com salários e aposentadorias de deputados e senadores, ativos, inativos ou mortos, planos de saúde  vitalícios,  etc. (tem, ainda, o STF, tanto quanto "corrompido" pelas mazelas nacionais). Com raríssimas exceções, esta classe de gente, quase sempre, desqualificada e sem compromisso com a coisa pública (que pense no público, de fato) nunca faz algo que preste. Por mais que nos esforcemos, difícil encontrar projetos importantes, sérios e duradouros que tenham modificado a vida dos cidadãos. Para melhor. Mas para não dizer que esta turma nada ou pouco faz - o que não deixa de ser uma grande verdade - , o Congresso, num daqueles momentos de rara lucidez, aprovou o fim da cobrança de malas despachadas pelas companhias aéreas e a manutenção dos 22 ministérios que corria sério risco de caducar, levando à volta dos 29 dos governos anteriores.

PAÍS LOTEADO

Tem gente por aí,  principalmente, pessoas que fazem parte do grupo do " quanto pior, melhor", dizendo que a eleição de Bolsonaro dividiu o País.  Tirando a turma referida acima e os outros segmentos que têm os mesmos interesses pessoais com o insucesso do governo - e da maioria deles, seja nos estados, seja nos municípios - aliás,  qualquer um que se baseie na vontade expressa nas urnas, todos sabem que o Brasil está dividido faz tempo. Certo ou errado, esta forma de se fazer e pensar em democracia ( que é muito ruim mas ainda é o melhor que temos) deveria apontar numa mesma direção que é um País de menos desigualdades sociais, que passe por reformas urgentes, necessárias e profundas e onde não se roube tantos "dinheiros públicos", divulgado ou não "pelas mídias". Mas como tudo isto está bem longe de se tornar realidade, as desigualdades permanecem, as reformas sem viés, ideologia, interesses pessoais, toma lá dá cá e tantos outros métodos nocivos prevalecem, a roubalheira continua, todos trazendo consigo as divisões, estados rebelados ( como a maioria do Nordeste) além das manifestações meio sem sentido como as dos dias 26 e 31 onde pretendeu-se (em parte se conseguiu) mostrar o desejo de boa parte da população por mudança na forma de agir e no caráter das instituições mas que deve ser apenas um tiro no pé ou saindo pela culatra pois, gostemos ou não, a própria classe política e a Constituição estão por trás, ao lado, na frente e a proteger as desigualdades, as divisões e a roubalheira que reina em cada canto de um País loteado e entregue às "criminalidades". E às facções.

segunda-feira, 27 de maio de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

Tem muito tiro saindo pela culatra por aí.

domingo, 19 de maio de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

A Câmara Federal, principalmente, o "Centrão" de Rodrigo Maia, está com o dedo no gatilho disposto a atrapalhar o governo Bolsonaro. Até o decreto da posse e do porte de armas pode cair.

sexta-feira, 17 de maio de 2019

BALA NA AGULHA

Tem muita gente com o pescoço na guilhotina e com a língua queimada quando trata-se de analisar os primeiros quatro meses do governo de Jair Bolsonaro, aquele que prometia " revolucionar", mudando tudo que estava política,  ideológica ou até constitucionalmente errado, e aprovar leis - ou baixar medidas provisórias-  como, por exemplo, a do porte e da posse de arma para cidadãos de bem; rever a Lei Rouanet; isolar a mídia tendenciosa; abrir a caixa preta do BNDES; criar novos impostos para os muito ricos; socorrer endividados ( rever a alta carga tributária) e aos empresários,  de imediato, para gerar empregos; diminuir o número de ministérios; acabar - ou diminuir - com a velha política ( toma lá dá cá); dar total apoio total aos superministros Moro e Guedes; extinguir a TV estatal (NBR); deixar as investigações (do tipo COAF) cortar na própria  carne,  se preciso for, etc. Mas é bom "já ir se acostumando " pois, da cabeça e da cúpula dos ministérios, deverão sair mais coisas bem na contramão das promessas de campanha.  Apesar do pouco tempo, têm sido muitas as denúncias ( possível laranjal familiar), falas despropositadas, demissões/convites pra deixar o governo, " fiz que ia mas não fui" e outras atitudes, no mínimo, curiosas que quem apostava em algo, radicalmente, diferente do habitual já começa a se arrepender. Mas nem tudo está perdido, uma vez que todas as esperanças recaem nos contingencionamentos e nas reformas ( pelo menos na da Previdência) que Bolsonaro e seus aliados dizem ser a solução de todos os problemas. E, mais, porque milhões de brasileiras e brasileiros continuam torcendo e acreditando que pior do que estava não pode ficar. Tampouco, voltar a ser igual aos últimos 20 anos de corrupção que reinou nos braços criminosos do PT.

PROMESSA INDECENTE

Não que o juiz Sérgio Moro não tenha todos os predicados e qualificação profissional para ser um dos indicados ( devem ser dois) do presidente Bolsonaro para ocupar vaga no Supremo Tribunal Federal (STF). O problema está no fato de a revelação ter sido feita logo nos primeiros meses em que ele vem tentando moralizar e dinamizar o Ministério da Justiça e Segurança Pública, podendo caracterizar uma possível barganha e, até, servir de " munição" para os adversários do governo e do País. O momento requer muita cautela pois, estes inimigos do Brasil, querem que, indiscutivelmente, o maior nome do staff presidencial perante o mundo do crime e da própria imprensa internacional deixe de desempenhar sua função para qual foi convidado por aquele que prometeu combater a corrupção e o toma lá dá cá, aliás, coisa que o convite parece evidenciar num momento em que o governo - e os seus principais artífices e protagonistas - precisa de calma, muita calma, para tentar recuperar o tempo perdido e os milhões e milhões roubados.

sexta-feira, 10 de maio de 2019

TEMPO DE GENERAIS

Antigamente, não muito antigamente, no tempo dos "generais" pra ser mais preciso, nem o Congresso, nem um presidentizinho de (#€#$@) como o da Câmara, chamado Rodrigo Maia, nem o tal de "centrão" que ele diz liderar ficariam impunes - livres, leves soltos  e com aquele ar de cinismo - à tentativa de destruir o País em nome de seus interesses pessoais e da velha política. No mínimo, iriam ter de abandonar, rapidinho, de uma forma ou de outra, a prática perversa, nefasta e desumana de matar milhões de brasileiros de fome, pela ignorância e pelas mãos da criminalidade, pelo desemprego, por falta de atendimento digno nos hospitais e tudo mais que a corrupção, mantida por eles, tem produzido no Brasil, principalmente, nas últimas três décadas de um apagão moral e sem precedentes. E foi pensando em eliminar do cenário nacional esse tipo de gente e dessa forma de fazer política que milhões de eleitores preferiram, até, voltar ao tempo dos "generais" onde a coisa, se não era perfeita - e não era mesmo - , pelo menos não permitia o prevalecimento do caos , da falta de ordem e progresso e uma roubalheira que parece nunca ter fim.

domingo, 5 de maio de 2019

EXPECTATIVA X REALIDADE

Eu e milhões de outros eleitores, bem intencionados e, principalmente, contrários à ideologia e práticas petistas, que apoiamos Bolsonaro, sabíamos que ele era "fraquinho " e não conseguiria emplacar suas ideias, tampouco, encarar o toma lá dá cá,  a corrupção e tudo mais que faz parte da cultura nacional há muito. Os primeiros quatro meses de governo vêm mostrando que a expectativa e a realidade são muito diferentes e que o buraco é bem, bem mais embaixo. A suposta necessidade " urgentíssima" de Reforma da Previdência e outras super-estruturantes como a eleitoral, política e a tributária, mostram que o presidente e sua equipe terão muitos problemas pela frente e o afastamento da população são inevitáveis. Portanto, o crescimento do grupo dos insatisfeitos e, até,  das oposições são apenas uma questão de tempo provocados pela fraqueza do presidente, da interferência constante dos palpiteiros, como sua própria família, a começar pelos filhos, especialmente, o tal do 'Carluxo' e da incapacidade de cumprir com aquilo que prometeu no palanque, qual seja, diminuir a criminalidade e a corrupção, gerar mais empregos, manter a economia sob controle, dar ao cidadão o direito à defesa, acabar com os privilégios nos Três Poderes e tantas outras mudanças que significariam mais esperança e dignidade para todos os brasileiros. Têm, ainda, o esfacelamento do staff presidencial e o abandono da base aliada que, ao que tudo indica, ocorrerá muito em breve levando ao fim o governo natimorto de Bolsonaro que foi sustentado pelo falso slogan de um Brasil Acima de Tudo e ........... (nos negamos a colocar Deus nisso).

TEMPORADA DE CAÇA

Num país que parece só pensar em política pois, de dois em dois anos - fora os interstícios - somos obrigados a escolher "representantes" ( com a opção de não votar em ninguém,  beneficiando aos infratores), pode-se dizer que já está aberta mais uma temporada de caça. Diriam, alguns, caça aos patos. Muitos detentores de mandatos, no caso, prefeitos cumprindo o seu primeiro ( também  conhecido como meu pirão), recomeçam as tradicionalíssimas batalhas de reunir o maior número de partidos, fazer nomeações, indicar apadrinhados de "aliados", diapensar limitações,  aditar bons e rentáveis contratos, chamar ex-adversários pra perto, enfim, fazer o diabo para continuarem sentados numa cadeira e com uma caneta que costumam ser bem poderosas  Mas têm ainda os vereadores,  conhecidos como mercenários e por enfiarem a faca no pescoço nos alcaides e dinheiro no bolso, tão ávidos quanto seus "chefes", para continuarem por pelo menos mais um período com a opção de, dependendo do colégio eleitoral, alçarem voos mais altos como assembleias ou até Congresso Nacional, configurando mais uma prática comum num país que parece viver e respirar somente eleições. E, claro, uma grande corrupção causada por coisas assim.

PRA COMEÇAR A SEMANA

"Se pudesse decidir se devemos ter um governo sem jornais ou jornais sem governo, eu não vacilaria um instante em preferir o último." Thomas Jefferson - Presidente dos EUA entre 1801 e 1809.

quarta-feira, 1 de maio de 2019

SÓ MUDAM AS MOSCAS

Esta parte do provérbio português retrata muito bem a política praticada em  (quase todo) nosso País  porque, por mais que se fale em mãos e fichas limpas para candidaturas eleitorais; fim do nepotismo, do corporativismo, da imunidade e da impunidade; em acabar com o toma lá dá cá; renovação do Congresso ( por conseguinte, assembleias e câmaras), etc., as fezes continuam sendo as mesmas. Ou seja, apesar do esforço das redes sociais, das manifestações populares, de parte da mídia que procura agir sem o perigoso patrulhamento ideológico, todas as tentativas têm sido em vão pois foram, são, ou serão,  praticadas por pessoas contaminadas e que cheiram mal, como, por exemplo, empresários,   juízes e demais autoridades e agentes públicos e, principalmente, por políticos acostumados, quase todos, a receber vantagens e mais vantagens para continuar nos enganando, roubando e mantendo o status quo.  Entre os muitos motivos estão o eterno jogo de interesses pessoais, a corrupção praticada em todos os níveis, a falta de patriotismo e de amor ao próximo, claro, porque trata-se da natureza humana (resistir ao " canto da sereia" é  tarefa das mais difíceis) e da matéria prima da maioria desta classe vil, rastejante e desqualificada. E, neste ponto, nem deveria ser comparada aos excrementos, estes, sim, de certa maneira, importantes para a natureza, bem diferente dos políticos que têm muito pouca utilidade para o bem comum. Quase nenhuma. Sendo assim, enquanto for possível se fazer promessas sem qualquer critério ou compromisso; existirem leis que beneficiem infratores, ladrões e vagabundos; permanecer o corporativismo escancarado praticado pelos corredores das instituições públicas; houver crescimento de um patrimonialismo que, quando é  punido, não é feito com rigor; a meritocracia dando lugar à cleptocracia e, principalmente, enormes injustiças sociais e culturais, o Brasil continuará a ser um País de m.... onde as moscas circulam livres e soltas de um lugar para o outro, sequer, sem serem molestadas ou combatidas com eficácia.
Resultado de imagem para congresso nacional charge

domingo, 28 de abril de 2019

PRA COMEÇAR A SEMANA

O que é pior? Ser governado por um bando de ladrões ou por um bando de malucos?

quarta-feira, 24 de abril de 2019

REFORMA GERAL

O governo acaba de conseguir aprovar a Reforma da Previdência na CCJ por 48 votos a favor e 18 contra. Pode-se dizer que foi apenas o primeiro round de uma luta que pode ser árdua e, quiçá, decidida apenas por pontos (não pelo poder de fogo da oposição e , sim, por uma pressão popular). Guedes e sua turma tiveram que suar um bocado para levar esta, muito menos pela astúcia e a necessidade real de se economizar dinheiro e muito mais pelo toma lá dá cá que Bolsonaro, a despeito do que pregou na campanha, vem sendo obrigado a praticar. Eles sabem, melhor que ninguém, que a política nacional é tão carcomida, corrompida, gananciosa e maléfica - em todos os níveis (desde aquela longínqua e pequena câmara municipal até o Congresso Nacional) que qualquer desejo de acabar com a velha política tenderá ao ridículo pois quem decide tudo são os 513 deputados federais e os 81 senadores. Mas, se algo der errado, ainda tem, do outro lado, o STF para "resguardar a Constituição e os interesses nacionais". Qualquer cidadão de bem - como ainda é a maioria do povo brasileiro - sabe que houve muito gasto e desperdício e mais do que passou a hora de se estancar a sangria desatada. E que a Previdência também ficou comprometida, principalmente, pela roubalheira praticada nela (quem não se lembra dos vários escândalos?) e o desvio de recursos para outros setores e fins. Entretanto, sabemos todos, dos mais humildes aos mais esclarecidos, que para a coisa ser menos injusta é necessário um esforço de todos, inclusive da classe política - carcomida, corrompida, injusta, perdulária e, desculpem, nojenta - permitindo uma outra importante reforma que é cortar na própria carne e diminuir drasticamente os privilégios, as vantagens, as mordomias existentes nos Três Poderes, em todas as esferas, desde o Monte Olimpo (STF) até aquelas camarazinhas municipais do interior onde também existem as mesmas formas de corrupção e gastos duvidosos. Bem ao estilo da letra da música que diz: mirem-se no exemplo... e que tanto mal vem causando ao País.