quarta-feira, 12 de agosto de 2020

FASCISMO NA TV

 ...aí o jornalista posa de arauto da moralidade, durante décadas, para depois emitir sua opinião a favor de presidentes da República ( desde que lhe paguem) suspeitos de praticar peculato durante décadas. Como faz o veteraníssimo Alexandre Garcia, ao insistir que Jair Bolsonaro e família " estão sofrendo perseguição política, nada fizeram de errado, etc". Uma pena que o " coleguinha", depois de chegar onde chegou, macule sua imagem de " caçador de corruptos e comentarista de desvios parlamentares" (desde a TV Manchete no programa Crônica da Semana), exagerando ao rasgar elogios que beiram ao ridículo - e tão suspeitos quanto as " rachadinhas" - como faz nos comentários diários da CNN Brasil. 



sábado, 8 de agosto de 2020

MULHERES DE CESAR

Vergonhoso termos uma 1a. Dama suspeita por malfeitos como Michelle Bolsonaro, chamada, pejorativamente de " Micheque". Pelo menos, nestes cento e poucos anos de República- com exceção do " primeiro-damo" marido, ou ex, de Dilma Roussef - nunca se viu uma mulher de presidente envolvida até o pescoço com desvio de dinheiro público como parece estar dona Michelle. Seria bom para todas as partes que não houvesse nenhuma dúvida em relação à máxima de César quanto à honestidade. Seria bom para Bolsonaro não carregar mais esta pecha provocada por amigos, filhos e, agora, pela mulher que, se não fez nada de errado, permitiu que o fizessem. O que não diminui em nada sua culpa. Nem os problemas nacionais.


terça-feira, 4 de agosto de 2020

DUZENTAS FORMAS DE ROUBAR

O Banco Central está lançando a cédula de R$200. Diz que é porque o dinheiro dos "invisíveis" ( beneficiários do auxílio emergencial) não volta pro sistema bancário e que muita gente, aqui e lá fora, tá guardando o que pode embaixo do colchão (o tal do entesouramento), principais motivos para a tiragem de 450 milhões de unidades, o equivalente a R$90 bilhões. O governo diz, ainda, que não tem nenhuma ligação com a inflação que está " totalmente sob controle" ( deles, claro). Mas a verdade é que, em momentos de incerteza, - neste caso, por causa da pandemia, que vem gerando a mais grave crise de todos os tempos - e por sermos um país de muitos corruptos, a nova cédula vai ajudar na hora do transporte em malas, calcinhas e cuecas e de arrumar o produto do roubo em apartamentos (que poderão ser menores), enfim, facilitar a lavagem de dinheiro, principalmente, para aqueles acostumados à velha política, às rachadinhas e a desviar dinheiro público de qualquer valor.


segunda-feira, 3 de agosto de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

Nem o maior dos pessimistas pode acreditar no que foi divulgado pela OMS. Que talvez nunca apareça uma vacina contra a Covid-19.

quarta-feira, 29 de julho de 2020

INFERNO DE BOLSONARO

Bolsonaro tem vivido seu maior e mais autêntico inferno astral. Com um governo desastroso e desastrado, provocado, principalmente, pelos desdobramentos da pandemia e a dificuldade que ele tem de amenizar suas catastróficas consequências por não saber liderar (só a um grupo de lunáticos extremistas e desocupados), tampouco, segurar os instintos mais primitivos - e a própria língua - o presidente ainda tem a família e " os amigos" infernizando sua vida. E para reforçar que até Deus parece tê-lo abandonado,152 de seus representantes na Terra (bispos e arcebispos da Igreja Católica) acabam de assinar uma carta com duras críticas, entre elas, "omissão, apatia e rechaço pelos mais pobres" ( faltou dizer transtorno mental e inclinação ao genocídio). Como se vê, se existe inferno, de verdade, o de Bolsonaro é aqui.


segunda-feira, 27 de julho de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

Em novembro, teremos eleições municipais. Um bom momento para refletirmos sobre o que é melhor para o município. E em quantas vezes se procurou levar "alguma vantagem", indo, por exemplo, a gabinetes de prefeitos (as) ou vereadores (as) pedir algo. Eu não fui a nenhum. E você?

quinta-feira, 23 de julho de 2020

ARMÁRIO DO BOB

O ex-deputado e presidente do PTB, Roberto "Bob" Jefferson, resolveu sair do armário. Depois de preso por ter sido pego " com as mãos na botija" e superar aquele tempo de hibernação que os políticos malandros cumprem - ficando quietinhos para a poeira abaixar - ele volta à cena fazendo o que melhor sabe: se encostar em presidentes da República para obter vantagens e atirar, com armas de grossos calibres, para todos os lados, ferindo reputações se necessário for. Como faz em relação ao STF que diz ser um local de " ministros de rabo preso e de rabo solto". Só que ele parece ainda viver no tempo do Povo na TV (famoso programa que lhe deu visibilidade na década de 80) - quando a democracia ainda não era tão plena, geral e irrestrita - e fingir esquecer que, hoje, têm as redes sociais que não deixam, por exemplo, vidas pregressas como a dele serem esquecidas.


quarta-feira, 22 de julho de 2020

BOLSOPETISMO

A mais nova corja do Brasil agora tem nome: bolsopetismo. Ela surge de alguns interesses comuns que bolsonaristas e petistas têm, entre eles, enterrar a proposta que restabeleceria a prisão em segunda instância. Aquela, aliás, que levou Lula à prisão. Aquele que, aliás, já contou com o apoio - inclusive com o voto - do presidente Bolsonaro. Aquela que pode prender - ou voltar a - gente do atual ou de antigos governos. Como se vê, seja na velha ou na "nova" política, o país não tem jeito quando se trata da defesa dos interesses públicos. A mantra (no sentido de energizar o mal) de políticos, sempre unida, mente, trapaceia, trai, rouba, faz o diabo para defender os seus. Literalmente.


domingo, 19 de julho de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

Calma, pessoal da política. Tem pra todo mundo. Não precisa sair por aí atirando.

sexta-feira, 17 de julho de 2020

SEM PARTIDO

Há algum tempo, circulam pelas redes sociais algumas petições por votos livres das amarras eleitorais, ou seja, pelo fim da obrigatoriedade de candidaturas ligadas a partidos políticos, como acontece hoje. Mais uma aberração que contribui para um processo carcomida, viciado e viciante que movimenta - e alimenta - a maior delas, a corrupção no poder público, além de manter a população refém de uma ação que começa, justamente, na vinculação partidária. A maioria das propostas neste sentido sugere a candidatura avulsa ou independente, aquela em que cidadãos que não pertencem a nenhum partido político podem concorrer livremente às eleições para cargos executivos e legislativos, como dispõe a convenção americana sobre direitos humanos, no Pacto de San José da Costa Rica, assinado em 1969, e ratificado pelo Brasil em 1992. Em novembro, a prevalecerem as novas datas aprovadas pelo Congresso Nacional (15 e 29), teremos eleições para escolha de prefeitos e vereadores 'indicados e oriundos' dos 33 partidos - aliás, outra grande aberração - e, novamente, a Constituição será ferida pois se ela determina que "vivemos num Estado democrático que visa assegurar os direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos...", que razão temos para crer em tais preceitos se não temos nem o direito de exercer plenamente tais prerrogativas democráticas através do voto livre de amarras? Até que tal distorção institucional seja interrompida, os eleitores serão obrigados a votar, por exemplo, no PT de Lula; no DEM de Rodrigo Maia e Davi Alcolumbre; no PTB de Roberto Jefferson; no PSC de Witzel e Pastor Everaldo; no PSDB de José Serra, Geraldo Alckmin e Aécio Neves; no MDB, de Renan Calheiros, Romero Jucá e Jader Barbalho; no Solidariedade, de Paulinho da Força ou em quem fica Sem Partido até quando a lei permita e novos interesses surjam, como o presidente Bolsonaro.









terça-feira, 14 de julho de 2020

YES, SIR

Os EUA, do " muy amigo" Donald duck Trump, continuam humilhando o 'Brazil' cada vez mais submisso de Jair Bozo Bolsonaro. A fala, quase diária, do presidente americano contra as ações de nosso País em relação à pandemia, tem repercutido cada vez mais negativamente pois o mundo - seguindo orientações imperiais - nos incluiu numa 'black list' de infectados e número de mortes difícil de sair. Pelo menos a curto prazo. A queda na balança comercial, do PIB, o aumento do desemprego e de nossa dívida interna e, claro, as mortes pela Covid-19 são resultado da inconsequência do governo Federal que vem cometendo diversos erros ( o Brasil está sem ministro da Saúde há dois meses) e também pelas ações do governo dos EUA que impede a entrada de brasileiros em seu território por tempo indeterminado. Esquecendo-se de olhar para o próprio rabo, os EUA, que ainda lideram o ranking de mortos e infectados pelo coronavírus, fazem e dizem o que querem e não recebem nenhuma represália como, por exemplo, proibir a entrada de americanos em solo brasileiro enquanto houver a pandemia e dificultar, pelo menos um pouco, a boa vida que eles levam desde quando Walt Disney criou o Zé Carioca e Orson Wells documentou o Brasil como lugar de pretos, pobres, Carnaval e mulheres de vida fácil. E ninguém fez - ou faz nada.


quarta-feira, 8 de julho de 2020

LUTA PELA VIDA. OU PELA MORTE?

Soldados têm de ser duros, fortes e capazes de enfrentar as adversidades, sim, pois uma guerra, com suas muitas injustiças, requer pessoas assim. Entretanto, não é preciso serem insensíveis, tampouco, "burros" como o presidente-capitão, Jair Bolsonaro, que desde o início da mais dura batalha contra a pandemia, provocada pela Covid-19, considera tudo um "superdimensionamento dado a uma gripezinha e uma chuva que vai pegar você". Mas, como nada é tão ruim que não possa piorar, em sua luta insana ao lado de lunáticos extremistas, o mau soldado ainda atacou - e ataca - sistematicamente, o uso de máscaras e o isolamento social e defende a hidroxicloroquina no embate ao vírus. Conclusão: foi infectado, pode ter contaminado muita gente e, oxalá, não perca a guerra para uma doença que já trouxe quase 67 mil baixas de brasileiros e brasileiras que só desejavam permanecer vivos. E em paz.


sábado, 4 de julho de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

Tem muito grupo de gente, inclusive, político (???), que não sabe diferir jornalistas de jornaleiros. Por quê? Pelo hábito frequente da demagogia e da hipocrisia.

quinta-feira, 2 de julho de 2020

NARINHO PAZ E AMOR

Qualquer mudança para melhor tem de ser aplaudida. Mas só a autêntica, aquela onde haja o auto-reconhecimento visando corrigir erros praticados e não ficar apenas na intenção, objetivando a prática comum de levar vantagem, como acontece com a maioria dos políticos, principalmente, em períodos eleitorais ou quando " a coisa fica feia". Agora, por exemplo, candidatos a prefeito e vereador (as eleições municipais acontecem nos dias 15 e 29 de novembro) já estão em plena campanha para 'conquistar' o voto do eleitorado - também conhecido como rebanho - e suas ações e seus rostinhos são os mais cândidos possíveis, naquela velha prática da velha política de passar uma imagem de confiança capaz de obter vitória nas urnas. No caso do presidente Jair Bolsonaro, sua tentativa de vender uma transformação ' pelo bem do Brasil', segundo pesquisas, não têm sido digerida pois a população, que perde centenas de parentes e amigos, todos os dias, para a Covid-19 e milhões de empregos, continua cética pois não acredita que seja verdadeira, tampouco, duradoura uma vez que a imagem de "Narinho" paz e amor não combina em nada com ele.


segunda-feira, 29 de junho de 2020

NOVAS ELEIÇÕES VELHAS

Pelo andar da carruagem - já que a política no Brasil vive quase assim -, as eleições municipais devem ocorrer em novembro, portanto, com o primeiro turno sendo realizado quase um mês depois do atual calendário (proposta que passou pelo Senado prevê dias 15 e 29 os dois turnos respectivamente). O que pode representar uma sobrevida, principalmente, para os prefeitos que vão disputar a reeleição e, assim, ganham mais um mês para " correr atrás", no caso daqueles que ainda não emplacaram. E, como sempre acontece, ver mais dinheiro público no processo e reforçado o caixa das prefeituras que, assim, deixam felizes os candidatos das máquinas e melhor preparados para deixar " seus" eleitores assim também. Muita coisa vai acontecer nos próximos dias, agora, na Câmara, no sentido de definir logo um processo eleitoral que, mesmo antes da grave pandemia provocada pela Covid-19, anda de carruagem, às turras e relegado a um segundo plano por óbvios motivos.


PRA COMEÇAR A SEMANA

A história sempre se repete. Como tragédia ou como farsa. (Karl Marx)

sexta-feira, 26 de junho de 2020

PENA DE MORTE

Queira Deus que não tenhamos, no futuro, nada nem parecido com a pandemia que já matou mais de 55 mil brasileiros. Mas se isto acontecer, que o País tenha leis que tratem a corrupção e outros graves desvios, drasticamente, não permitindo aos governos comprarem, por exemplo, insumos, matérias primas e equipamentos indispensáveis ao tratamento de doenças graves e não os receberem em tempo hábil. Ou, na " melhor" das hipóteses, superfaturados ou inapropriados como fez a Secretaria de Saúde do Estado do Rio de Janeiro. Que os muitos "Códigos" existentes, quiçá, a própria Constituição, prevejam e lidem com crimes hediondos como estes - de interromper tratamentos e diminuir a expectativa de salvar vidas - com um rigor pelo menos parecido com o que fazem países quando aplicam severas punições - de prisão perpétua, com a prestação de serviços pesados até a pena capital - a empresários, funcionários públicos, agentes políticos e a qualquer um que traga prejuízos irreversíveis à saúde da população. Talvez, assim, quem sabe um dia, deixemos de ser vistos como um País corrupto, injusto, desumano e que ainda mantém um corporativismo voltado a proteger quem pratica crimes hediondos como, por exemplo, sufocar pacientes com crise respiratória grave ou que sofrem de comorbidade, precisam ser entubados e tratados por especialistas mas isto não acontece porque roubaram equipamentos, não pagaram profissionais como deveriam e interromperam sonhos de querer viver.


quarta-feira, 24 de junho de 2020

DEVAGAR COM O ANDOR

São muitas as diferenças entre a Gripe Espanhola (influenza), que durou de janeiro de 1918 a dezembro de 1920, infectou uma estimativa de 500 milhões de pessoas, matou algo em torno de 17 e 50 milhões (possivelmente até 100 milhões, haja vista todas as dificuldades de contabilizar e registrar à época) e a Covid-19 - cem anos depois - que, até o momento, infectou, em apenas cinco meses, 9.238.000 e já levou 477.000 vidas, números que representam bem o cenário de caos e horror vivido. Pra começar, a população era bem menor, os recursos financeiros, científicos e tecnológicos também e, claro, não havia nada parecido com as redes de informação existentes hoje. Entretanto, não se pode pensar só nas diferenças. Há de se levar em consideração algumas possibilidades como as ondas de contaminação (no século passado foram três), com a segunda matando o triplo de pessoas a partir da amenização quando os estabelecimentos foram liberados, as pessoas saíram enlouquecidas às ruas, às compras, etc. E é aí que devemos, todos, poder público, privado, cada qual com ações individuais e coletivas, não nos considerarmos acima do bem e do mal, tampouco, super-heróis capazes de encararmos o coronavírus como uma simples "gripezinha". É preciso levar em conta o que ensinam e demonstram os cientistas, os pesquisadores, historiadores e o que determinam os profissionais de saúde, estes, sim, a verdadeira linha de frente no enfrentamento a esta grave pandemia, bem diferente da "Espanhola", mas tão letal quanto.

BUSCA INÚTIL

Trocadilho meio inapropriado, principalmente, num momento grave pelo qual passamos. Mas a pergunta que não quer calar é: o novo secretário de Saúde do Rio de Janeiro, coronel do Corpo de Bombeiros, Alex 'Bousquet', vai "buscar" recursos pra diminuir os problemas causados pela Covid-19? Vai, pelo menos tentar, desarticular a máquina de corrupção criada pelos últimos quatro governadores e mantida pelo atual? Vai fazer média com aqueles que defendem o militarismo das instituições ou vai " buscar" manter tudo dantes como no quartel? Neste caso, o de Abrantes? Ou será que vai buscar vantagens pessoais enquanto se mantiver no cargo até o possível impeachment do chefe? Como já fizeram muitos que por lá passaram?

terça-feira, 23 de junho de 2020

CABEÇAS A PRÊMIO

A China não é modelo de democracia e regime político ideal pra ninguém. A população tem muitos problemas em relação à liberdade e todos sabemos disso. Só que, bem diferente do que pensa e diz o ex-ministro da Educação - ignorante, arrogante, racista e malandro ( que acaba de dar uma rasteira na imigração americana) -, Abraham Weintraub, os chineses, com todas as práticas comunistas abomináveis, não pactuam, por exemplo, com o roubo e contaminação de merenda escolar, desvio de dinheiro público destinado à compra de insumos para combater uma pandemia, aparelhamento do Estado para mover a engrenagem da corrupção política, tampouco, com o empreguismo, o nepotismo, o desemprego, o marajaísmo e outros métodos adotados no dia a dia da vida nacional, dificilmente, combatidos com o devido rigor. No caso da corrupção entre políticos e maus empresários e de prejuízos causados, principalmente, às crianças e pessoas da 3a. Idade ( tratados como crimes hediondos), a prisão perpétua (com a prestação de serviços pesados) e, até, a pena de morte têm sido adotadas com certa frequência e sucesso pelo governo chinês. Algo que, aperfeiçoado para nossa realidade, visando as devidas modificações no Código Penal, poderia diminuir muito os desmandos, a impunidade, a imunidade, os mal feitos e toda a roubalheira que impera no Brasil desde o descobrimento. 


segunda-feira, 22 de junho de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

Isolamento cai no Rio e número de casos confirmados de Covid-19 volta a subir. Sem falar em alguns municípios do Norte e do Noroeste do Estado que seguiram o modelo e podem se arrepender em breve.

sexta-feira, 19 de junho de 2020

PRÊMIO DE CONSOLAÇÃO

Independente de quem esteja à frente do governo, o Brasil foi, é, e sempre será a casa-da-mãe-joana, além de um paraíso cheio de grandes tetas para políticos e corruptos mamarem à vontade o dinheiro de milhões de brasileiros e brasileiras. Mas isto tem um custo (como todo cafezinho): basta ser amigo dos reis, ser moeda de troca, gozar de uma intimidade do tipo " passar leite condensado no pão"...ou aceitar se submeter a ficar calado, recebendo como recompensa ' uma coisinha' no serviço público. Não necessariamente, pois são muitos os " amigos" de governos. Como acaba de acontecer com Abraham Weintraub que, defenestrado do ministério da Educação, pelo que fez - melhor, pelo que não fez - e pelas muitas bobagens dirigidas, principalmente, ao STF, deve assumir o cargo de diretor executivo do Banco Mundial, em Washington, nos EUA, com um salário aproximado de R$100 mil. Mensais. Num país quase arrasado pela pandemia do coronavírus, inclusive, com uma grave crise econômica batendo à porta, provocando aumento do número de desempregados, o prêmio de consolação dado ao ex-ministro vem de encontro ao que Bolsonaro apregoou durante a campanha. Dizem que a ' boquinha' do ex-ministro é só até outubro quando, dependendo do silêncio, Weintraub pode alçar outros voos. 


terça-feira, 16 de junho de 2020

SEM EDUCAÇÃO

O ministro Sem Educação e Sem Vergonha, Abraham Weintraub, na reunião ministerial do dia 22 de abril, se referiu ao STF como " bando de vagabundos", entre outros impropérios. Coisas que não pode negar ( perante a Justiça preferiu ficar calado), pois o vídeo rodou o mundo todo e está aí a nos envergonhar e prejudicar em termos diplomáticos e comerciais, principalmente, em relação à China, nosso maior parceiro comercial chamado por ele de "inventor do comunavírus". O sujeito, que tem um bando de seguidores e parece que nunca vai morrer pagão, também tem outros "predicados", entre eles, se aproveitar de dinheiro público de maneira no mínimo imoral e duvidosa como receber duas vezes auxílio- moradia (R$ 51 mil) e recursos na ordem de R$ 45 milhões do governo de Goiás para um de seus Centros de Estudos. E é com gente assim, " autêntica, honesta e incorruptível", que o governo Bolsonaro vai marchando em direção a maior crise epidêmica, econômica, institucional, diplomática.....e moral.


segunda-feira, 15 de junho de 2020

GENERAL CINCO ESTRELAS

O general Santos Cruz, ex-ministro da Secretaria da presidência da República, defende que militares da ativa do governo Bolsonaro passem para a reserva. Para ele, não é nada bom para a democracia, tampouco, para as Forças Armadas, que haja qualquer dúvida do papel que cada um desempenha. Ainda, segundo ele, "pelo número de militares e pelo posto que ocupam (dados recentes apontam para quase três mil cedidos), a sociedade acaba se confundindo". No momento em que se discute tanto o artigo 142 da Constituição, principalmente, quando trata de intervenção militar - o senador FHC era relator à época e diz que não tem nada a ver com papel moderador - a fala do general está de acordo com o que preceitua a lei maior e deseja a sociedade não aceitando a imagem institucional se confundindo com a governamental. Querer repetir velhos erros do passado recente, inclusive, aparelhar o Estado, como fez a Venezuela, é algo que as Forças Armadas abominam, o povo repele e o general Santos Cruz parece ser tão contrário que preferiu deixar de "marchar" ao lado do governo Bolsonaro, levando-o a merecer até uma condecoração pela coragem e bravura demonstradas durante esta " guerra" entre brasileiros.


domingo, 14 de junho de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

A pergunta sobre o fim do confinamento e a reabertura do comércio é: as pessoas têm de ir pras ruas por que precisam comprar ou é o comércio que precisa vender?

sábado, 13 de junho de 2020

LÁ COMO AQUI

Não é só no Brasil que agentes públicos de segurança demonstram sinais externos de riqueza incompatíveis com o que ganham. Como no caso do sargento dos Bombeiros do RJ, acusado de envolvimento no Caso Marielle ( vereadora carioca brutalmente assassinada) que a investigação policial identificou ter mansão e carros de luxo mesmo ganhando cerca de 6 mil reais brutos. Nos EUA, isto também acaba de ocorrer, intrigando a todos que se perguntam como o policial Derek Chauvin, acusado pelo brutal e covarde assassinato de George Floyd, conseguiu pagar uma fiança de US$750 mil (equivalentes a R$ 3,7 milhões) para responder ao processo em liberdade? Mesmo que ambos os agentes possam provar que seus vencimentos justificam o padrão de vida (no caso brasileiro), é fácil levantar vultosas quantias para se livrar da prisão (no caso do "officer") nos EUA ou existam 'novos elementos' -geralmente, apresentados por notáveis operadores do Direito -, continuaremos a achar que não há Justiça em lugar algum.


quinta-feira, 11 de junho de 2020

PRESIDENTE VAI ÀS COMPRAS

O Brasil continua sua sina de chorar pelas milhares de mortes causadas pelo Covid-19. Já são quase 40 mil, com o triste recorde de ter quadruplicado o número em um mês. Enquanto caminhamos por uma estrada cheia de sofrimento - e de incertezas -, o governo federal insiste com suas insanas teses, entre elas, dificultar a divulgação dos dados oficiais, administrar " remédios milagrosos" e acabar com o isolamento social como forma de aquecer a economia com a população indo pras ruas comprar, vender e os demais segmentos voltando à normalidade. E, nesta toada, uma vez que a ciência continua recomendando o isolamento obrigatório, e no diapasão de dar maus exemplos, o presidente Bolsonaro, olhando para o próprio umbigo, resolveu continuar indo às compras e escancarar de vez, criando mais um ministério, o das Comunicações (durante a campanha prometia apenas 15) para tentar salvar sua pele e não cair pelo cadafalso do Congresso Nacional. Desvinculado da Ciência e Tecnologia, o ministério será o 23° e ficará a cargo do deputado federal, Fábio Faria, genro de Silvio Santos, " dono" do SBT, e filiado ao PSD, do Centrão e de Gilberto Kassab, pessoas que desse negócio de comprar e vender entendem muito bem.






quarta-feira, 10 de junho de 2020

SEM PALAVRAS

Desculpem o palavrão (padrão das reuniões ministeriais), mas pqp! Estamos a 10 dias da chegada do inverno - quando a ciência diz que a propagação do coronavírus aumenta - e qualquer prognóstico positivo poderá ser mera especulação. Sendo assim, resta rogar a Deus que continue tendo piedade de nós e o presidente Bolsonaro não fale novas bobagens como seu ministro da Saúde, general Pazuello, fez, dia destes, ao mencionar que " as regiões Norte e Nordeste do País estariam mais ligadas ao inverno do hemisfério Norte enquanto as demais estariam mais ligadas ao inverno do hemisfério Sul. Perdão, mas não dá pra aguentar: puta que pariu! ( é por estas e outras que as autoridades não estão nem aí para viverem cercadas de fakes news e tanta gente burra). Puta que o pariu... ou pé de pato, mangalô três vezes...

JÁ FOI TARDE

Tem gente que quando vai embora dizemos assim: já foi tarde! Este, talvez, seria o caso da exoneração da Secretaria Nacional de Cultura, Regina Duarte, que preferiu rasgar a própria biografia, principalmente, como estrela de TV. Seria, não fossem a manutenção no cargo por algum tempo ou as vantagens mantidas pelo governo que a fariam voltar à vida normal de aposentada ou algo assim. Ela que, durante a passagem meteórica pela secretaria, reclamou da burocracia, parece ter se beneficiado durante o processo de exoneração bem passiva e silente, aliás, bem diferente de quando interpretava, por exemplo, Malu Mulher, Rainha da Sucata ou até mesmo Vale Tudo. Uma pena " assistir" uma atriz como ela, de inegáveis predicados , neste momento de tantos problemas interpretar a Viúva Porcina na vida real.



A transmissão incorreta da mensagem não acarreta a perda de sua confidencialidade. Caso esta mensagem tenha sido recebida por engano, solicitamos que o fato seja comunicado ao remetente e que a mensagem seja eliminada de seu sistema imediatamente. É vedado a qualquer pessoa que não seja o destinatário usar, revelar, distribuir ou copiar qualquer parte desta mensagem. Ambiente de comunicação sujeito a monitoramento. 

segunda-feira, 8 de junho de 2020

SEM TETO

Bolsonaro, o presidente "amigo" de Trump que, inclusive, o inspira a cometer atos insanos ( quem inspira quem?), acaba de voltar atrás em mais um deles. Trata-se da revogação do decreto que permitia ao Exército "ter seus próprios aviões". Num momento grave como este, onde, além da crise sanitária e econômica, o Brasil enfrenta uma outra, tão ou mais séria, que é a institucional, o presidente ainda provoca, principalmente, a Aeronáutica que, por não dispor dos recursos necessários, tem tido vários problemas como aviões obsoletos e insuficientes para cumprir seu papel de proteger, por exemplo, nosso espaço aéreo e a Amazônia Azul que tanta cobiça desperta. Talvez incitado por algum " incitatus" da República tupiniquim, que desejava realizar um possível sonho do presidente (que parece brincar de Forte Apache, soldadinhos de chumbo, de guerras, até de secessão, etc.), felizmente, a idéia não prosperou e o dinheiro da população deve servir para diminuir os impactos das milhares de mortes e dos infectados pelo Covid-19, do desemprego e os demais provocados pelo PT, muitos sem controle no atual governo.


domingo, 7 de junho de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

O dia que os legisladores de m.... souberem a força que têm e deixarem de ser tão submissos, o Brasil será melhor pra todos.

sábado, 6 de junho de 2020

ANTIPATRIOTAS

Tudo indica que, amanhã, em muitas cidades brasileiras haverá manifestações. De um lado, extremistas pró-Bolsonaro e do outro extremistas anti-Bolsonaro. Em casa, os verdadeiros nacionalistas, que almejam o fim da corrupção, não querem a intervenção militar, fechar o Congresso e o STF e todos aqueles que, em isolamento e respeitando as instituições, ajudam a manter a ordem e diminuir o número de mortos e contaminados pela pandemia causada pelo Covid-19. Aliás, o problema mais sério que enfrentamos, todos, bem diferente do que pretendem os extremistas, reacionários, alguns, lunáticos mesmo, que têm ido pras ruas colocar o momento gravíssimo pelo qual o País passa em segundo lugar. O viés político-ideológico dessa gente não ajuda em nada a diminuição dos problemas nacionais que vêm aumentando graças a eles. Pelo contrário, colocam o Brasil mais próximo à uma crise social, financeira e institucional difícil de superar a curto e médio prazos.


sexta-feira, 5 de junho de 2020

SEM AMBIENTE

O Brasil não tem muito o que comemorar hoje (5), Dia Mundial do Meio Ambiente. Primeiro, porque o Brasil nunca teve tanta devastação em seu território, principalmente, na Amazônia, que só em abril foi a maior em 10 anos. Segundo o Instituto do Homem e Meio Ambiente ( Imazon) a área devastada corresponde à capital do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, cerca de 530 km2, com 171% ( coincidência esta centena?) no mesmo período do ano passado. Tão e mais grave, é o fato de o governo, de posse de informações como estas, ainda manter no cargo de ministro de Meio Ambiente um sujeito que não só ignora a gravidade do problema como a apoia e autoriza como ficou claro na reunião do Conselho Ministerial onde Ricardo Salles diz que " tem de se aproveitar o momento de pandemia para passar a boiada". Contra fatos, não há argumentos e o que alguns do governo Bolsonaro estão fazendo mostram que estão ali para destruí-los. E ao País, seja perante ao próprio povo, seja perante ao mundo civilizado que não pode aceitar mais agressões à natureza.


quarta-feira, 3 de junho de 2020

NA FORCA

O Brasil, muito provavelmente, é o país de mais governantes com a cabeça na invenção atribuída a Joseph Guillotin ( ele apenas sugeriu sua volta). A guilhotina, que matou milhares de franceses "inimigos" da Revolução. De presidente da República, a governadores e prefeitos, os malfeitos, a maneira perdulária, as velhas práticas da velha política como administram e, principalmente, a corrupção vigoram ao ponto de colocar seus mandatos e cabeças a prêmio. Não como gostaríamos, uma vez que muitas vezes o caminho a percorrer passa pelos legislativos, representando e confirmando uma emenda pior que o soneto. Maior prova da fragilidade das leis, do caos pelo que passam os brasileiros e da maneira como os governantes são seduzidos pelo canto da sereia e abduzidos pelo poder (que, às vezes, ninguém contacta) vem do Estado do Rio de Janeiro onde o governador e, pasmem, ex-juiz Wilson Witzel - sem entrar ainda no mérito - está prestes a ser degolado, encontrando-se próximo a um cadafalso guardado pela Alerj e comandado pelo PT e outros partidos acostumados às coisas boas da vida e discursos bem diferentes da prática. A todos eles, a mão da Justiça e a necessária responsabilização de um povo que costuma se deixar levar pelas aparências. E outros engodos.

BOCAS MALDITAS

Durante a campanha, o presidente Bolsonaro prometia, entre outras coisas, acabar com a corrupção - pelo menos em seu governo - e que não permitiria mais a velha prática politica do toma lá, dá cá. Dizia que armaria a população pois, assim, ela não seria " escravizada"  e colocaria o Brasil no topo da economia mundial porque o país possui as maiores reservas de nióbio (cerca de 96%), um dos metais mais interessantes para o futuro da humanidade devido às suas características únicas pela importância para os veículos espaciais, nas turbinas dos aviões ou na criação das mais resistentes ligas de aço, por exemplo, assunto que fica a cada dia mais claro que desconhece. Dizia, também, que "montaria um superministério, composto de mentes brilhantes e pessoal técnico altamente qualificado para tocar as questões nacionais com propriedade, a começar pela Economia tendo à frente um posto Ipiranga. Faria as reformas que o Brasil tanto precisava e que as chances disso tudo não ocorrer " eram zero", aliás, uma de suas falas prediletas. Sem esquecer da outra bravata " Brasil acima de tudo". Só que, quase um ano e meio depois de assumir, Bolsonaro, até onde se consegue enxergar, não está atolado em esquemas de corrupção (honestidade é obrigação), mas não conseguiu colocar em prática nada do que falou, exceto a aprovação de uma Reforma da Previdência controversa, cheia de imperfeições e brechas judiciais, bem longe de representar a prometida conquista e justiça social por não mexer com muitos dos privilégios existentes e mantidos pelos Três Poderes, maiores interessados em manter o Brasil como país de pobres e miseráveis. Tem-se, à frente da maioria dos ministérios, loucos destemperados que só aumentam as tensões internacionais ou generais cujas atribuições estão longe das previstas no artigo 87 da Constituição Federal. Sem entrar no mérito, continuamos à mercê dos criminosos que, alta e belicamente armados, decidem se vivemos ou não. O tal do nióbio, está mais pro caviar da música que diz:"nunca vi, nem comi, eu só ouço falar". Nacionalização com a Pátria erguida e respeitada? Nem pensar, basta ver bandeiras americanas desfraldadas nas manifestações de Brasília e o que Donald Trump vem fazendo com o "país amigo", colocando-o de joelhos, impedindo seus cidadãos de entrarem lá ( a lei brasileira facilita ao máximo a entrada dos americanos) por serem considerados perigosos pela alta contaminação da Covid-19 e incapacidade demonstrada pelo Brasil de controlar o temido vírus. O que não deixa de ser verdade, haja vista o número de mortos e/ou infectados, pelas mudanças no Ministério da Saúde, em plena pandemia, que hoje é comandado por generais com estrelas mas sem nenhuma medalha adquirida por reputação advinda de especialidades médico-científicas. Finalmente, não menos importante, está a compra de partidos e parlamentares, através de cargos em escalões ditos inferiores, cujos bilhões e bilhões servem muito mais para eles se servirem do que libertar o Brasil e o povo presos a uma velha política bem longe de acabar um dia.


terça-feira, 2 de junho de 2020

ESCOLHAS ERRADAS

Enquanto o Brasil ultrapassa os 30 mil mortos, oficialmente, pelo coronavírus, uns 30% - segundo pesquisas - ainda insistem que o governo Bolsonaro está agindo bem ao afrontar as instituições, se lixar para a democracia e não dar a devida atenção à mais grave crise pela qual atravessam todos os brasileiros e brasileiras. E isto pode ser visto quase que diariamente, haja vista os que vão para as ruas e redes sociais apoiar o presidente, ministros e boa parte da caterva e da malta (como diz um renomado historiador) que os cercam e seguem nas sandices e no total desrespeito às famílias dos mortos, enfermos, aos desempregados, aos pequenos e microempresários e os demais segmentos que vivem as maiores incertezas de suas vidas. Lamentavelmente, estamos à mercê - dessas incertezas provocadas por atitudes equivocadas ou inconsequentes - destes brasileiros que pensam estar fazendo a coisa certa, inebriados por um sonho que a cada dia vira um pesadelo maior.


domingo, 31 de maio de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

Aqui não é a República de Weimar, portanto, não tem essa de Ovo da Serpente. Tem é muita bravata e fake news.

quinta-feira, 28 de maio de 2020

FAKE NEWS

Não existe cafezinho grátis. Em lugar nenhum. Nem em São Paulo, nem no Rio, nem naquele pequenino município do interior, principalmente, agora, que quase todo mundo utiliza as redes sociais, quer seja para se informar, debater, trocar idéias e acessar os mais diferentes serviços. Até para difamar através de fakes news. E é neste momento, de tanta mentira, de ataques feitos por oportunistas, que tem-se de redobrar as atenções sobre essa escória de gente que se aproveita de um certo anonimato (já não tão anônimo assim graças à Justiça) para produzí-los sem responsabilidade e objetivando a prática do toma lá, dá cá, ou seja, propagando-se a calúnia, a difamação, a vasta divulgação de material falso e tendencioso com o objetivo de faturar dinheiro e/ou outros benefícios que têm de sofrer sanções maiores do que as atuais, muito brandas incapazes de impedir um crime como as chamadas fake news muitas vezes financiadas por dinheiro público. Aliás, crime ainda maior que precisa ser combatido com todo rigor da lei, sem corporativismo, sem blindagem, sem impunidade ou qualquer outra forma de proteção vinda de onde vier.


quarta-feira, 27 de maio de 2020

NOVO STF

O ex-deputado Roberto Jefferson, presidente do PTB (que alguns vêm chamando de Partido de Todas as Boquinhas por integrar o Centrão, eterno aliado de todos os governos), vem defendendo a aposentadoria compulsória dos 11 ministros do STF por entender que a instituição " é um braço do PT e do PSDB" e os mesmos estão comprometidos por equívocos e desvios praticados, além de não representarem o que quer e precisa o povo brasileiro. Engraçado ver um político, com vários processos e episódios ligados à corrupção, ir pras TVs e redes sociais pregar por mais moralidade, falar em verdade com tanto desprendimento, acusar a mais alta Corte do País e citar o Tribunal do Terceiro Reich. Justamente, ele, com um histórico cheio de mentiras, excessos, apoios à ditadura e tantos outros fatos que marcaram uma trajetória que termina na cadeia. No afã de defender o atual governo - do qual fará parte muito em breve, pois os entendimentos com Bolsonaro estão em avançado estágio via PTB -, Jefferson sai atirando pra todos os lados achando que está protegido dentro de um tanque de guerra e ainda tem algum respaldo popular. Ou que, caso afastados os ministros do STF, ele poderá ser um dos " escolhidos" ao lado de Lula, José Dirceu, Sérgio Cabral, Palocci, Eduardo Cunha, Pezão, Geddel Vieira, Michel Temer, Marcos Valério e, até, Fernandinho Beira- Mar, nomes que o ex-deputado deve considerar como ideais para compor o " novo STF.


segunda-feira, 25 de maio de 2020

PONTES À VISTA

Várias foram as promessas de campanha de Bolsonaro. Entre as muitas que fez, estava a da " porteira fechada", referindo-se ao fim do toma lá, dá cá, ou seja, sem aqueles grandes acordos para garantir a tal da governabilidade, um dos muitos cânceres do País há muito, muito tempo. Só que, ao primeiro sinal de  perigo iminente, o presidente, que conhece isto como poucos (foi parlamentar durante 30 longos anos), vem seguindo à risca o aprendizado ao distribuir cargos para aliados de todas as horas como partidos do chamado Centrão, entre eles, o DEM de Rodrigo Maia, o PTB, de Roberto Jefferson e o PSD, de Gilberto Kassab, águias da política nacional. Mas tem, ainda, o PP, de Ciro Nogueira que, inclusive, começou a fazer a "ponte" com o Palácio mandando o chefe de gabinete do senador cujo nome, pasmem, é Marcelo Lopes da Ponte. Como se vê, em Brasília e em qualquer cantinho deste Brasil, é tudo farinha do mesmo saco quando se trata de assaltar os cofres públicos para garantir as " boquinhas". Ou evitar desastres maiores como um processo de impeachment.

SEM EXCESSOS

Também não concordo com muitas decisões proferidas pelo STF. Também discordo quando ministros daquela Corte perdoam, apoiam, põem em liberdade e defendem criminosos, tal qual pensam o general Augusto Heleno, alguns colegas de farda e milhões de brasileiros e brasileiras de bem. Também acho que o processo de indicação para o Supremo é errada, existe muito apadrinhamento e lá é um local onde se pratica privilégios e excessos, embora legais, imorais. Mas daí a se insinuar uma "resistência armada", inclusive, uma guerra civil, não me parece, nem de longe, um caminho apropriado, justo e sensato, principalmente, para quem vive numa democracia que, apesar dos problemas, ainda é o melhor regime do mundo. 


PRA COMEÇAR A SEMANA

Verdades inconvenientes incomodam militantes, puxa-sacos e todos que não aceitam o contraditório.

segunda-feira, 18 de maio de 2020

CHEGADA DO PICO

A pandemia provocada pelo coronavírus tem revelado e confirmado vários aspectos da vida nacional. Que o Brasil, além de ser um país corrupto, pobre e injusto, tem sérios problemas de planejamento, principalmente, sob forte pressão, como no caso da Covid-19. Exemplo maior vem da Saúde onde o próprio ministério e as secretarias estaduais e municipais têm executado a dança de cadeiras e deixado feridas expostas difíceis de serem curadas, pelo menos, a curto prazo. O Estado do Rio de Janeiro é o caso mais recente, onde se investiga, por exemplo, super-faturamento na aquisição de insumos, total ineficácia de equipamentos, inclusive, na inauguração dos chamados hospitais de campanha, como o de São Gonçalo que parece estar esperando o pico chegar. Aliás, como na maioria dos municípios brasileiros, as autoridades deveriam combinar com o "Sr. Pico" pra que demore a chegar, havendo mais tempo para a preparação da infra-estrutura. Só que, aí, haverá mais mortes.


domingo, 17 de maio de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

Tem coisas que só acontecem no Brasil. Onde já se viu trocar dois ministros da Saúde durante a maior e mais grave crise sanitária das últimas décadas? Ambos por puro capricho. E, pra variar,
o Rio de Janeiro também exonera o seu secretário de Saúde. Mas por corrupção, tudo indica.

sábado, 16 de maio de 2020

COISAS DO BRASIL

Com todas as vênias e escusas possíveis,  dá " nojo" ver um criminoso, mafioso, asqueroso e dedo duro como o ex-deputado Roberto Jefferson ir pra algumas mídias e redes sociais - muito, provavelmente, comprometidas - defender o governo e atacar a todos que pensam diferente e exigem um país mais justo e menos corrupto. Dá náuseas assistir (nem que seja por breve tempo) um sujeito como ele pregar ações anti-democráticas e completamente fora do contexto ao pregar mais violência como sugerir uma guerra civil quando do enfrentamento, segundo ele, entre forças de segurança e " patriotas" contra os que são contra o atual governo. Ridícula a posição. Entretanto, coerente para criminosos desesperados em encontrar espaço à força. Como o político, dono do PTB, do chamado Centrão, inescrupuloso, nojento e pai da ex-deputada Cristiane Brasil, a que foi ministra do Trabalho sem nunca ter sido.

PRÓXIMA VÍTIMA

Após a fritura e, consequente, exoneração ( "a pedido", no dicionário bolsonariano) do ministro da Saúde, Nelson Teich, a pergunta que não quer calar milhões de brasileiros é: qual será a próxima vítima? Memes dão conta de Osmar "Trevas" e até de figuras como o hilariante médico brasilo-americano, Dr. Rey e assim como tantos outros que no final terminam dentro de um caixão de funeral em Gana. Aliás, destino que poderá ser o mesmo para colaboradores ligados ao governo de Jair Bolsonaro que, por não pactuar ( fazer pacto, combinar, neste caso, correr sério risco de se f.... e ser humilhado), são colocados pra fora às botinadas. Independente de se tornar viral ou não na internet, como milhares ligadas ao presidente, a verdade é que ficou difícil acreditar em alguém que quer brincar de médico, cientista e, às vezes, de marechal.


sexta-feira, 15 de maio de 2020

BREAKING NEWS

Como tem feito muita gente em tempos de pandemia e de confinamento rígido, estávamos em frente à telinha quando de repente a CNN anunciou sua " breaking news" ( notícias de última hora). Imediatamente, todos pensaram tratar-se de informações quentes ligadas ao vídeo da reunião do conselho de ministros, que aconteceu no último dia 22 ( quando o Brasil foi descoberto e a República pode ter sido proclamada de verdade), quando denúncias feitas pelo ex-ministro, Sérgio Moro, poderiam ser confirmadas. Só que não. Era, APENAS, mais uma saída de um ministro da Saúde, justamente, durante a pandemia provocada pelo coronavírus que já ceifou quase 14 mil vidas no Brasil. Uma nova desgraça causada por um presidente que insiste
em ter um governo alinhado com algumas de suas sandices como uso de medicamentos no tratamento da doença, os quais não mostram muita eficácia ( pelo menos até o momento), que há exagero e politicagem no enfrentamento ao Covid-19, adoção do confinamento vertical, reabertura de parte significativa do comércio e da indústria, bem como serviços essenciais e outras vindas de alguém que no início da pandemia a considerava " uma simples gripezinha".

FARELOS COME

Muitas pessoas já comparam o governador do Rio, Wilson Witzel, aos seus antecessores, todos presos ou em vias de voltarem a ver o "sol nascer quadrado". No caso, Sérgio Cabral e Luiz Pezão e Rosinha e Anthony Garotinho, respectivamente. Isto ocorre, principalmente, pela máquina de corrupção instalada há pelo menos duas décadas que vêm saqueando os cofres do Estado, seja pela máfia nas áreas de Saúde e Transportes, seja na administração pública e no eterno toma lá dá cá vindo da Alerj. Têm, ainda, contra ele, sua inexperiência política, já que nunca desempenhou cargo eletivo, bem como uma legião de extremistas, principalmente, os bolsonaristas, uma vez que o governador não vem concordando com algumas posições do presidente da República, entre elas, o fim do isolamento social e uso indiscriminado de alguns medicamentos experimentais no combate à pandemia do coronavirus, como a cloroquina, e reabertura do comércio e liberação de serviços considerados - por ele - essenciais ( salões de beleza, academias de ginástica, etc). Mas, diferente, dos réus-confesso presos e investigados que continuam negando a prática de crimes, Witzel tem tomado medidas que cabem a ele neste momento de grave crise que é determinar exoneração imediata de alguns envolvidos ( falta muita gente), coisa que os antecessores demoravam muito a fazer ou só ' debaixo de vara'. Ou após a explosão da mídia e redes sociais. Uma boa medida para quem pretende não se misturar com tantos porcos que existem no governo do Rio.


quinta-feira, 14 de maio de 2020

MEIAS VERDADES

A César o que é de César. Finalmente, o resultado do exame para o novo coronavírus do presidente Bolsonaro apareceu. E deu negativo para a doença. Só que o provérbio baseado na história do império romano não se aplica muito à nossa que prefere mais a do gato escaldado que tem medo de água fria. Primeiro, porque em terras tupiniquins, políticos e governos não costumam usar muito de transparência e verdade quando da divulgação de seus feitos, atos e, até, sobre reuniões de conselhos gravadas que costumam esconder "verdades". Outro motivo para a desconfiança dos resultados, após mais de dois meses, é que dois continham pseudônimos (2) e outro com o número 05. Isto tudo poderia ser evitado se fosse feita uma simples demonstração real do paciente, por ele mesmo, com os exames nas mãos ( PCR e sorológico), a exemplo de quando mostra jornais contendo matérias " mentirosas", ou nos moldes de quando, corajosamente, mostrava as cirurgias feitas em razão da tentativa de homicídio, bolsa de colostomia, etc.


terça-feira, 12 de maio de 2020

MONTURO DA HISTÓRIA

Ao trair milhões de brasileiros que lhe depositaram confiança e a Pátria, uma vez que vem ferindo a própria Constituição ao participar de movimentos que pedem fechamento do Congresso e gritam palalavras de (des) ordem contra o STF, Jair Bolsonaro corre sério risco de passar à História como um dos piores presidentes do Brasil. Tirando todas as bobagens ditas e feitas com uma frequência maior até do que a antecessora eleita, Dilma Roussef, ele tem levado muitos eleitores ao arrependimento pois na campanha prometeu, por exemplo, não ceder ao toma lá dá cá e, ao contrário, praticamente, já está de" casamento marcado com o Centrão; disse apoiar o o combate implacável à corrupção e um de seus símbolos, o ex-juiz Sérgio Moro, é colocado pra fora; dizia não ser misógino e ataca jornalistas mulheres com bastante frequência, além de dar maus exemplos ao pregar o fim do isolamento social e cometer crimes como exonerar o ministro da Saúde durante uma pandemia somente por razões, aparentemente, políticas e por vaidade, aliás, outro grande defeito para quem diz que vai disputar a reeleição, caracterizando campanha extemporânea, e vencê-la (as urnas eletrônicas são vulneráveis ao ponto de permitir fraudes, presidente?). É por essas e outras - muitas outras -, e por tudo que virá (superada a crise epidemiológica projeções apontam para o pior PIB anual da história da economia brasileira), Bolsonaro não só joga seu nome na lata de lixo como o próprio País e o povo tão machucado pelo coronavírus e humilhado pelas filas formadas pra enganar as injustiças sociaid. E a fome.



Obter o Outlook para Android

domingo, 10 de maio de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

O problema maior dos políticos é que têm fakes demais.

sábado, 9 de maio de 2020

CIDADANIA

Em tempos de pandemia, causada pelo coronavírus, quando muitos vivem confinados em suas casas, cabendo-lhes além de suprir necessidades básicas, restam, aos confinados, e até para aqueles que continuam "segurando a barra" ( pessoal dos serviços essenciais aos quais rendemos nossas homenagens) para minimizar os problemas, momentos de reflexão, pessoal ou familiar ( talvez uma das poucas coisas válidas) sobre a tragédia que se atingiu um planeta arrasado por problemas causados por TODOS nós. Resta, também, observar ações públicas no sentido de diminuir os impactos de TODAS as crises advindas, pois são eles, os agentes públicos, os maiores responsáveis e que ninguém ouse lhes tirar tal responsabilidade. Por isto que quando ligamos a TV ou acessamos mídias sociais nos deparamos com tanto patrulhamento sobre órgãos, instituições e gente que é paga - e existe - para cumprir seu papel, publicitando as ações, planejando, usando os recursos, inclusive, dando exemplo àqueles aos quais não resta outra atitude além de seguir recomendações sem, no entanto deixar de questioná-las.

DEPOIS DA TEMPESTADE

A tragédia da Covid-19 tem mostrado cenas chocantes. São caixões empilhados, covas abertas à espera do presente e do futuro, caos no sistema de saúde com pessoas passando por "triagem" quando do pré-atendimento, além de ações desastrosas e absoluta falta de previsibilidade como sempre acontece quando do surgimento de "coisas novas". Um verdadeiro horror daqueles nunca vivenciados e transmitidos com a intensidade e proporção digna do pior pesadelo que seres humanos podiam imaginar. A fragilidade de cada cidadão, de qualquer etnia, idade ou classe social, vem mostrando, ainda, o quão pequenos somos e o quanto temos de mudar. Mas a pergunta é: será que passado este pesadelo nos tornaremos diferentes, melhores e mais disciplinados? 

sexta-feira, 8 de maio de 2020

SHOW DOS HORRORES

Depois de fazer sucesso por cerca de 60 anos na TV, com novelas e minisséries de grande audiência, entre elas, Malu Mulher, Roque Santeiro, Irmãos Coragem, Vale Tudo e Selva de Pedra, a atriz e dublê de secretária de Cultura, Regina Duarte, preferiu rasgar sua biografia de artista consagrada ficando indiferente à arte e aos que vivem dela. Preferiu, também, se manter ao lado de uma ideologia que todos sabem não ser a sua pois o governo Bolsonaro vem praticando atos nada republicanos como atacar a Imprensa, provocar crise institucional, dar maus exemplos ao incentivar o fim do isolamento, do uso da máscara e da aglomeração, comprometer as Forças Armadas e tantas outras. Além de todos estes posicionamentos de quem parece ter se deslumbrado mais com o "poder" efêmero da política do que com as luzes e cortinas do palco, a ex-namoradinha do Brasil ainda testou positivo para a insensatez e desprezo quando, durante recente debate ao vivo na CNN-Brasil, mostrou indiferença por colocações de colegas do porte de Maitê Proença, a jornalista que fez perguntas ligadas às mortes durante a ditadura - às quais respondeu citando Stalin e Hitler - e, até, os quase 10 mil mortos pelo coronavírus aos quais chamou de " desenterrar mortos". Um verdadeiro show de horrores nunca imaginado para uma estrela que preferiu a glória dos aplausos vindos de um palanque político ao do trabalho de uma vida inteira. Mas como o show não para...




quinta-feira, 7 de maio de 2020

ESCOLHAS DE SOFIA

Lockdown (adoção de isolamento forçado) ou não? Liberação do comércio para que não haja problemas ainda maiores na economia? Atendimento emergencial e cronológico (primeiro os mais novos) aos pacientes infectados pelo Covid-19 ou pelo sistema de chegada? Processo de Impeachment com o vice Mourão assumindo ou se deixa tudo como está? Até o vídeo da tal reunião no Palácio do Planalto, que Moro quer tornar público, tem importância? Essas são algumas das questões que vêm tomando conta das redes sociais e são temas constantes nos principais debates nas TVs e rádios pois vive-se um momento, além de muito caótico, inusitado, cheio de surpresas e ações nunca vivenciadas no planeta. Muitas que requerem rapidez e, por vezes, um processo tão seletivo que lembra a expressão "Escolha de Sofia" que significa quando há imposição de se tomar uma decisão difícil sob pressão e enorme sacrifício pessoal. Escolhas nada fáceis por se tratarem de vidas humanas, como no caso da Saúde; delicadas, em se tratando do comércio e polêmicas, como a saída ou não do presidente Bolsonaro e do vídeo, ambas suscitando paixões (viés político), bem como um debate dificílimo de ser travado pelo momento difícil pelo qual todos, sem exceção, passam e que deverá ser ampliado por causa do coronavírus. Uma verdadeira Escolha de Sofia que muitos têm de fazer todos os dias e nem sempre são justas, lógicas e fáceis.


quarta-feira, 6 de maio de 2020

PRESIDENTE DO CHILIQUE


Muitos presidentes brasileiros passaram à história por características pessoais, particulares ou até fatos que marcaram, profundamente, seus governos. Foi o caso de, por exemplo, Getúlio Vargas, pela ditadura do 1° governo culminando no suicídio que ocorreu no terceiro ano do segundo mandato; o modernismo de Juscelino Kubitscheck, o presidente Bossa Nova; a renúncia e a " vassourinha" de Jânio Quadros; o regime militar que acaba com o general João Figueiredo, autor da abertura política e do " prendo e arrebento"; Sarney que assumiu por causa da morte de Tancredo Neves; a grande corrupção implantada no governo populista de Luiz Ignácio Lula da Silva e os impeachments de Collor e Dilma. Temos, agora, no Palácio do Planalto - e nas ruas e mídias - Jair Bolsonaro que já começa a se notabilizar como o presidente das falas desconexas, atos intempestivos, extremismos dos que amam e odeiam, perseguição à Imprensa, tentativa de ingerência em outros poderes, pelos conflitos institucionais, suspeitas e indícios de corrupção praticada por familiares, por não conseguir emplacar promessas de campanha como " acabar com o toma lá dá cá no Congresso Nacional, pelo número de nomeações e exonerações recordes e desastrosas como a do ministro da Saúde durante uma pandemia, etc. Sem falar em outras que, a cada dia, marcam mais seu temperamento e o governo que parecem ser a subserviência aos filhos e ao imperialismo dos americanos, conhecidos como aqueles que não têm amigos e sim interesses (coisa que o presidente não quer ou não pode ver), e os " chiliques" cada vez mais frequentes e intensos. Pena que as últimas páginas desta nova edição venham sendo preenchidas assim, por governos que tem à frente pessoas eleitas para conduzir o País com eficiência, maestria, equilíbrio e sem faniquitos, fricotes, o que acarretaria em mais Ordem e Progresso que os milhões de brasileiras e brasileiros tanto merecem. 





domingo, 3 de maio de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

O governo Bolsonaro vai começar a " desfrutar" do inferno astral, principalmente, por causa da briga com o STF, crescimento exponencial de óbitos pelo Covid-19, acirramento dos problemas com a China (nosso maior parceiro comercial) e aprofundamento dramático da recessão. E daí?

sábado, 2 de maio de 2020

CAIXA DE SURPRESAS

Ninguém se esquece do dia em que Bolsonaro, logo após a posse, falava de seu orgulho por ter montado o mais seleto ministério de todos os tempos e de ter aliados de primeira hora de fazer inveja a qualquer líder político. Passado quase um ano e meio, vários colaboradores seus saíram por não aguentar as pressões, ou não suportar algumas atitudes e falas do " chefe". Após frituras, desprestígio e indisposições, uns foram obrigados a pegar o boné e o banquinho e sair de fininho, outros pediram demissão e um até saiu do cenário para sempre , literalmente, após ficar " mortinho" no governo. Dizem que os culpados fazem parte de um tal ' gabinete do ódio,, liderado por um de seus filhos, mas a verdade que o outrora dito super-ministério - ou o que restou dele - hoje já não tem tanta credibilidade, tampouco, demonstra capacidade para superar a grave crise que o País atravessa tendo no " elenco" um ministro da Saúde que mais parece um Rolando Lero; um astronauta que continua em órbita; um economista que deixa claro não acreditar nem no que fala; um ministro da educação sem muita educação e conhecimento das letras; um diplomata sem muita diplomacia, capaz de contornar problemas internacionais, por exemplo, com a China, Israel e países árabes, isto sem falar nos problemas que levaram o presidente a ficar sem partido já que o PSL, que o elegeu, possuir em seus quadros membros que não querem vê-lo nem pintado, sejam quais forem as cores. E para não dizer que os problemas param por aí (e daí?), Bolsonaro tem atirado para todos os lados fogos amigos e inimigos, podendo significar uma crise institucional cujo resultado pode ter precedência bem recente na História do Brasil. Coisa que os sobreviventes do Covid-19, do desemprego e da fome também não desejam por vivermos tempos de pandemia, de ficar em casa e evitar novos problemas.


sexta-feira, 1 de maio de 2020

ESCOLHAS

Vive-se, hoje, no Brasil, a tragédia do Covid-19 e suas inevitáveis consequências e uma polarização política ( além daquela que seleciona quem vive e quem morte). Com exceção do chamado " Centrão", com todos aqueles traíras aproveitadores de ocasião ( aliados DE presidentes), a política está polarizada com aqueles que estão a favor de Bolsonaro e os que estão contra o presidente Sem Partido. Sendo assim, venho pensando " cá com meus botões", em outubro, se mantido o processo eleitoral para escolha de prefeitos e vereadores, os candidatos ficarão contra ou a favor do cenário atual? Uma boa reflexão para os que ainda votam ( número cada vez menor) e para aqueles que discordam de provérbios como "farinha do mesmo saco", "meu pirão primeiro", "as fezes são as mesmas...", " Matheus, primeiro os meus..., etc. Vai chegar a hora de se defender um lado, geralmente, o da conveniência para a maioria como sempre acontece.

E DAÍ?

Sem dúvida alguma, o "E daí?" , desta semana, foi o maior petardo lançado pelo presidente Bolsonaro contra a dor de pessoas do mundo inteiro que têm perdido seus entes queridos e contra milhões de brasileiros e brasileiras que vêm convivendo com a ansiedade vivida nestes tempos de pandemia e com a crise provocada, por exemplo, na economia. A atitude desmedida, impensada e desprovida de qualquer sentimento de solidariedade, demonstra que, passado este grave momento, vai ser difícil recolocar o País nos trilhos pois Bolsonaro insiste em vê-lo como um grande campo de batalha - frio e sanguinário - repleto de "soldados" dispostos a matar ou morrer ao invés de ver pessoas fragilizadas e que precisam de todo apoio para preservar suas vidas - e das famílias - em toda sua plenitude. Sem o mínimo respeito, espírito altruísta, humildade e preparo - aliás, qualidades que Bolsonaro, efetivamente, não tem, fica cada vez mais claro que será muito difícil superarmos este momento já apontado como o mais crítico para a humanidade nos últimos cem anos.



segunda-feira, 27 de abril de 2020

EXEMPLO VINDO DE QUISSAMÃ

Com exceção de alguns que ainda caminham, por exemplo, pela ciclovia e perambulam por aí sem o uso das máscaras de proteção, a maioria da população de Quissamã (RJ) está de parabéns por atender às recomendações para se proteger - consequentemente, aos demais membros da comunidade - dos impactos do Covid-19 e diminuir a possibilidade de contaminação. Dela e de suas famílias e amigos. Além do confinamento, outra importante recomendação para que o município continue sem baixas e com pouquíssimos casos confirmados - a última informação dava conta de apenas três (embora acima de zero qualquer número seja preocupante) - Quissamã tem demonstrado que está seguindo à risca os princípios humanitários, altruístas e da OMS, dos governos estadual e municipal que determinam o isolamento social, o uso de máscaras, as barreiras sanitárias (outra boa medida efetiva e necessária) e tudo o mais para diminuir o grande problema causado pela pandemia do coronavírus. 

Prefeitura instala barreira sanitária na entrada da cidade 

domingo, 26 de abril de 2020

DIA DA VERGONHA


 Muita gente tá dizendo que 24.04.2020 passará à história como o Dia da Vergonha. Isto porque a República recomeçou, após o desastroso e destrutivo período do PT, a queda vertiginosa que vai levar o País a uma de suas maiores crises institucionais. Isto, justamente, num momento em que milhares de brasileiros e brasileiras sofrem com a pandemia do Covid-19 e os efeitos de outra grande que se avizinha no campo da economia. As brigas constantes entre os poderes, as trocas de ministros, principalmente, a de Mandetta que vinha fazendo um trabalho eficiente tentando diminuir o impacto do coronavírus, as mentiras, traições, jogos de vaidades, frituras e gestões erradas, culminaram com a saída de Sérgio Moro, considerado o principal pilar do governo no combate à corrupção pela independência que vinha dando à PF, além do malabarismo em se tratando de conseguir trabalhar com um governo que vem remando para trás em vários aspectos. Uma pena que, com menos de um ano e meio à frente do Executivo, o presidente Bolsonaro aceite tantas intromissões " externas" e queira interferir em tudo para obter vantagens como parece ter deixado claro Moro ao "ser saído" na fatídica sexta-feira, dia 24.04.2020. Uma pena que a crise institucional venha acumulando tantos episódios vergonhosos e cause tanta frustração naqueles que, um dia, acreditaram num Brasil acima de tudo.

PRA COMEÇAR A SEMANA

O (bom) jornalismo vigia a fronteira entre a civilização e a barbárie. Fiscaliza o poder em todas as suas dimensões.

quinta-feira, 23 de abril de 2020

SOLUÇÕES MÁGICAS

Na busca pelo recurso extra ( benefício emergencial) que vem sendo pago pelo governo federal, milhões de pessoas têm se dirigido às agências bancárias sem se preocupar muito com a prevenção do coronavírus. É um impasse que lembra o velho provérbio: se correr o bicho pega. Se ficar o bicho come. As filas quilométricas formadas nas ruas dos municípios brasileiros mostram a fragilidade de um sistema que se viu acuado - e despreparado - desde que a pandemia e a grave crise tiveram início. Mostram, também, pessoas sem a devida proteção tentando matar a fome delas e de suas famílias. Finalmente, mostram a grande desigualdade social existente no País. Passado o problema, tem de se pensar em formas de diminuí-la, urgente e verdadeiramente, sem os famosos vícios da política nacional, entre eles, só apresentar " mágicas soluções" de dois em dois anos, em vésperas de eleição.

domingo, 19 de abril de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

Segundo a OMS ( Organização Mundial da Saúde), o número de alcoólatras no Brasil é duas vezes a média mundial. Será que este é o motivo de muita gente estar torcendo pela reabertura do comércio?

segunda-feira, 13 de abril de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

Por que será que o governo não decreta o uso obrigatório de máscaras?

quarta-feira, 8 de abril de 2020

SEM DECOLAR

No próximo dia 16, se tudo corresse bem, deveríamos "decolar" num voo com destino aos EUA e Canadá. Mas, como nada vem correndo bem, pelo contrário, pior situação o mundo não poderia estar passando, uma vez que estamos atravessando um período grave com a pandemia provocada pelo coronavírus, como todos, estamos lutando para sobreviver sem, no entanto, nos esquecer de nossos deveres e, claro, de que temos direitos. Ou deveríamos ter. Como todos, estamos, também, seguindo uma ordem quase mundial, de permanecer confinados em casa, evitando as aglomerações e fazendo o que é possível para "tocar o barquinho" e, no caso em tela, tocar a viagem aérea assim que a crise  e a lei permitissem. Sendo assim, "decolar", semana que vem, tornou-se impossível, levando-nos a, do solo, e de casa, tentar saber com a Decolar (agência de viagens contratada) como deveríamos proceder, o que, até o momento, tem sido tarefa tão difícil quanto outras provocadas pelo vírus. Isto porque não se consegue fazer contato com a referida empresa, tampouco, entender, claramente, as propostas estabelecidas e exclusivas através de seu site  ( falar pelo tel nem se fala) para não causar prejuízo aos clientes que pagaram por um serviço e, independente de sua vontade, não estão conseguindo recebê-lo, quer seja através da remarcação futura das passagens (após a crise) ou, na pior das hipóteses, receber os valores pagos, algo que não desejamos por entender que poderíamos aumentar os prejuízos das empresas. Sendo assim, tentando evitar a judicialização (provavelmente o caminho a ser percorrido neste e em outros tantos casos) e usufruir de um direito o qual consideramos inalienável por entender que a responsabilidade não é das empresas aéreas, apelamos através deste e de outros prestigiosos veículos de comunicação que costumam conceder espaço a quem se sente, de alguma forma, injustiçado , sem vez e sem voz.  

VÍRUS POLÍTICO

 Nunca se leu e ouviu tanta bobagem quanto agora, justamente, num momento onde deveriam prevalecer o bom senso e a verdade para diminuir os impactos de uma crise internacional inevitável. Nunca se viu tantas fake news tão perversas e desumanas. A pandemia e a consequente necessidade de se fazer o isolamento social, provocados pelo Covid-19, também tem servido para muita gente, que prega o quanto pior melhor, tentar provocar um caos ainda maior e as redes sociais é uma das ferramentas utilizadas para aumentar o clima de intranquilidade e terror. A última dessa gente desocupada e doente é insistir que o coronavírus é "uma farsa e o vírus é político em nome de uma tal ordem mundial ( faltou combinar com os países) liderada, principalmente, pela Rússia e pela China". Alguns áudios e vídeos desses aloprados dizem, ainda, que " a gripe não é nada demais e que alguns dos que lideram quebrar o País são representantes do Congresso Nacional e do STF,  ministros, governadores e prefeitos. Contrariando organismos técnicos e científicos como, por exemplo, a OMS, eles colocam mais gasolina na fogueira ao dizer que " políticos e Imprensa têm objetivos econômicos e querem até derrubar o presidente Bolsonaro". Uma pena que uma doença gravíssima como esta, que vem vitimando milhares de pessoas ao redor do mundo, além de todos os problemas advidos, ainda seja vista como " gripezinha e um vírus político". Uma pena que circule por esta importante ferramenta - que deveria servir para informar e advertir sobre maneiras e métodos verdadeiros para se salvar vidas - tanto lixo e desserviço  compartilhados por pessoas portadoras de outra doença grave como a maldade.

domingo, 5 de abril de 2020

CHAMEM O MÉDICO

 Não é mais uma tese ou implicância de adversários políticos ou da Imprensa: o presidente Bolsonaro pode estar sofrendo de transtorno mental crônico e grave como, por exemplo, a esquizofrenia, haja vista o distúrbio da mente dividida ficar bastante clara quando fala e faz uma coisa num momento e logo em seguida faz e fala outra bem diferente, muitas vezes, sem a menor lógica. Outra evidência de que ele, com tantos problemas de personalidade e desvios de conduta - uma vez que vem colocando interesses pessoais e políticos acima da Nação -não tem capacidade de governar o Brasil, tampouco sabe administrar crises e seu próprio ego - sem falar nos filhos -, é que durante a pandemia causada pelo coronavírus, que pode matar milhares de pessoas se não continuar o confinamento social, o presidente continua peitando os organismos internacionais de saúde insistindo na idéia de decretar a volta ao trabalho, sem falar na perseguição ao Ministro da Saúde que vem, reconhecidamente por todos, trabalhando para diminuir os impactos e consequências da doença, e Bolsonaro diz " não ter humildade" numa hora que a técnica e a ciência têm de estar bem acima da politicagem e da fogueira de vaidades. Uma pena que todas estas constatações tenham ocorrido, justamente, neste momento dramático pelo qual passa o mundo e, em especial, nosso País, que pode ter uma estatística de terror muito maior causada pela falta de liderança, pelo despreparo e pela falta de humildade de quem deveria ser a pessoa mais equilibrada do País. 

PRA COMEÇAR A SEMANA

Em tempos eleitorais, é bom ficar de olhos abertos nos "artimanhosos e perversistas", lembrando o Bem-Amado Odorico.

terça-feira, 31 de março de 2020

MAUS BRASILEIROS


 ... e os maus brasileiros continuam fazendo o que sabem fazer de melhor quando o país mais precisa deles: escondendo mercadorias e aumentando preços. Com a pandemia começando a entrar no período mais crítico, segundo os especialistas, onde a maioria da população vai precisar, desesperadamente, ficar em casa para se precaver da doença e esticar o dinheiro para comprar comida e medicamentos para sobreviver, alguns empresários praticam extorsão e aumento abusivo naquilo que chamam de " política natural e legal de preços". Como faz, hoje, 1° de abril ( e não é nenhuma brincadeira do Dia da Mentira) o setor farmacêutico reajusta os remédios em 4%, provavelmente, para ajudar a matar os idosos que após escaparem do Covid-16 vão sofrer por não poderem continuar com o tratamento. Além deles, outros parecem não estar nem aí para o momento dramático pelo que todos passam, inclusive eles, como condomínios, mercados e outros ligados ao comércio que apostam no quanto pior, melhor, para aumentar o tamanho descomunal da crise causada por um vírus que só não é maior que os sonegadores, corruptos, insensíveis maus brasileiros.

segunda-feira, 30 de março de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

O que o prefeito de Milão, Giuseppe Sala, fez ao se desculpar por ter errado quando não acreditou no poder do coronavírus, mandando as pessoas seguirem normalmente, foi algo digno de elogios. E um bom exemplo a ser seguido por aqui onde a maioria dos governantes não costuma reconhecer suas lambanças.

quinta-feira, 26 de março de 2020

POR QUE NÃO SE CALAS?

Não me encontro entre os 55% que votaram em Bolsonaro e sim entre os 21% que se abstiveram. Não que não tivesse opinião a respeito ou, muito pelo contrário, quisesse a continuação de governos corruptos, perdulários (como os do PT de Lula e Dilma) ou os sem-credibilidade e tapa-buracos (como o do PMDB de Temer). Isto porque no dia de votação me encontrava fora do domicílio eleitoral e não pude manifestar o " sonho" de ter um país mais justo, com leis mais severas, menos pressões de um Congresso acostumado aos achaques, direito a se defender em casos extremos usando métodos extremos, etc., coisas que, como muitos, eram possíveis de serem alcançadas. Só que, muito além das bobagens ditas e feitas pelo clã da família Bolsonaro, o Brasil começa a demonstrar que não sabe administrar crises graves como, por exemplo, a provocada pela pandemia do coronavírus e, aí, o caos só tende a aumentar e a população ficar mais deprimida, estressada e, pior, desassistida e morrendo mais por causa de irresponsabilidades. O " espetáculo" produzido, em cadeia de rádio e tv, pelo presidente nesta quarta-feira ( 24) e escrito pelo 01 Carluxo ( principal ghost writer), quando repetiu ser a doença " apenas uma gripezinha, desnecessário o confinamento de todos" e outras pérolas dignas, até, de teorias da conspiração, só reforça a vontade de muitos pelo seu impeachment, o que num momento dramático como este piora muito as coisas. Tendo sido a gota d'água para que pessoas bem-intencionadas e patriotas deixem de acreditar em sonhos e exijam atitudes responsáveis, constitucionais e republicanas.

quarta-feira, 25 de março de 2020

FLOR DA IDADE

Devemos reconhecer que o coronavírus tem criado problemas quase incontroláveis. Alguns que parecem transcender até mesmo a grave doença. Além do confinamento e do risco de ceifar mais vidas, inclusive, a de qualquer um de nós, tem surgido outro ligado à autoridade pública e à legalidade. Um exemplo que pode retratar o momento em que estão todos apavorados, estressados, e sem saber o que fazer - e a quem obedecer -, refere-se à crise de identidade e de autoridade pelo que estamos passando. E isto pode ser constatado, dia desses, quando dois funcionários de uma companhia de luz do Rio de Janeiro chegaram para cortar um fornecimento de energia na casa de um conhecido, o qual NUNCA recebeu sequer UMA conta, e para os quais fora apresentada uma medida sancionada pelo governador no dia 23, tendo sido ignorada, ironizada mesmo, pelos aludidos senhores da empresa, pelo visto, desinformados e andando às cegas, pois demonstravam serem uma espécie de donos da situação e do poder de permitir ou não que o usuário tenha ou não os devidos direitos, "até que o seu jurídico diga ao contrário" (lhes foi apresentada a lei através de site específico), uma vez que depois de grande entrevero resolveram ir embora sem cortar o fornecimento (mas com a pulga atrás da orelha e desconfiados se o decreto era ou não fake news, outro problema criado no País com ou sem coronavírus). Aliás, direitos que nem a boa intenção do governador do Rio faz prevalecer. A doença mata, sim. É um perigo iminente, sim. Mas seria bom para nós, eleitores, contribuintes, usuários, enfim, cidadãos, que os poderes se entendessem bem, e logo, - enquanto há tempo - para que todos sobrevivam ao Covid-19 e ao caos que vem sendo instalado porque o presidente, reciprocamente, não respeita o governador, que não respeita o presidente, que não respeita o prefeito, que não respeita ninguém. Tampouco, são respeitados. Nem amava as concessionárias, nem ninguém, fraseando a música de Chico Buarque, Flor da Idade.

MEDO GERAL

Muito louvável o que os governos estaduais - alguns municipais - estão fazendo para minorar o sofrimento da população em relação à disseminação do coronavírus. Só que os decretos e medidas provisórias, todos necessários, a bem da verdade e do estado em que o mundo se encontra, por entrarem em vigor bem no meio da pandemia, têm gerado apreensão e medo para muitos segmentos. Como os profissionais que têm de trabalhar mas não encontram condições de transporte, pois alguns meios estão escasseando e de segurança já que as ruas, vazias, estão à mercê da criminalidade e de dependentes químicos, por exemplo, motivos tanto quanto ou até maiores que a própria doença. Muitos desses trabalhadores " essenciais" vêm demonstrando pavor ao sair de casa e pedem que os governos estaduais, através das polícias militares e federal, através das forças armadas, dêem a tranquilidade que todos ( trabalhadores, famílias e pacientes) precisam.

segunda-feira, 23 de março de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

Nunca um clichê foi tão usado como agora: melhor ficar "preso" em casa do que num leito de hospital.

quinta-feira, 12 de março de 2020

ARROUBOS X ROUBOS

Dúvida que ronda lares, ruas e não sai da cabeça de milhões de brasileiros: o que é pior para o Brasil? Os arroubos do presidente Bolsonaro, que não consegue conter a língua afiada - nem as bobagens feitas e ditas pelos filhos -  e vem disparando sua fúria incontrolável (muitas até justificadas), ou os diversos desvios praticados, por exemplo, dentro e fora do Congresso, dos governos estaduais e municipais e outras anomalias como impedir que 
sejam feitas as verdadeiras reformas que o Brasil necessita? Como, por exemplo, a que coloca políticos  corruptos na cadeia e outros bandidos como assassinos, estupradores e sequestradores atrás das grades para sempre? A resposta, para a grande maioria de brasileiros e brasileiras que ainda vive ou sobrevive de seu trabalho e de sua honra, não poderia ser diferente daquela que aponte para o fim da escalada contínua da criminalidade e do que vem fazendo uma classe política constituída, legal, obrigatória e desgraçadamente, por representantes cujo objetivo é fazer da coisa pública sua privada, bem como dar boa vida aos apaniguados e suas famílias.  Sem esquecer da excrescência e dos excrementos oriundos dos partidos, aliás, sempre inteiros quando trata-se de achacar o Estado e os " chefes". Claro que ninguém se sente bem com as últimas bobagens praticadas pelo presidente da República e pelo que vociferam e fazem - ou fizeram - seus herdeiros políticos, no caso, os filhos de um a três. Tampouco,  seus colaboradores como os ministros da Fazenda, da Educação, do Meio Ambiente e, até, a "recém-casada" secretária da Cultura que fez a maior de todas ao se expor e acreditar em porteira fechada, carta branca, etc. Mas pensar que existe algo pior do que deixar o País refém dos políticos, de um STF que muitas vezes tem se apequenado e a maioria da população sem serviços básicos de qualidade apesar do muito dinheiro que é gasto - ao invés de investido - ( também conhecido como roubado), é uma bobagem muito maior do que vêm fazendo membros dos governos Federal, estaduais e municipais e as que saem da boca de Bolsonaro.

terça-feira, 10 de março de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

Alguém acredita que o Brasil vai atravessar bem uma crise mundial com um Congresso liderado por Davi Alcolumbre e Rodrigo Maia, ambos do DEM?

segunda-feira, 2 de março de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

A natureza é sempre implacável quando há malfeitos. Por isso, cai tanta coisa quando vêm os fortes ventos e chuvas. Até os postes não resistem.

domingo, 16 de fevereiro de 2020

PRA COMEÇAR A SEMANA

Deve-se perdoar os inimigos. Mas nunca esquecer seus nomes. ( John Kennedy)

terça-feira, 28 de janeiro de 2020

SANTO DO PAU OCO

Lula tem concedido várias entrevistas e, na maioria delas, feito várias críticas ao governo federal. E, como era de se esperar, ao presidente Bolsonaro o qual,  na visão do condenado em todas as instâncias - e, também, como era de se esperar, devidamente libertado pelo STF - " tem a obrigação de governar para a população, principalmente, a mais pobre", aliás, tese pela qual comungam todas as pessoas decentes deste País. Engraçado ver o ex e padrinho do poste posando de arauto da Justiça e defensor dos menos favorecidos. Logo ele que foi, e, não nos esqueçamos, está sendo acusado de roubar muito, muuuuuuito  dinheiro de todas as classes. Mais engraçado, ainda, vê-lo praticando a velha política, falando impropérios, sendo redundante, cara de pau e hipócrita e também encontrando algumas caixas de ressonância que tanto ajudaram a destruir o Brasil, numa tentativa desesperada de voltar a gozar de tudo que o poder costuma proporcionar aos políticos de um modo geral. Igualzinho a uma grande gama deles que têm ou querem voltar a usufruir dos benefícios de mandatos eletivos.