quinta-feira, 14 de dezembro de 2017

PANORAMA

LULA PRESIDENTE

Alguém duvida que, em 2018, Lula chega à presidência? Eu e muita gente boa por aí somos capazes de apostar uma grana alta que ele chega, sim. Mas à prisão de segurança máxima, em Presidente Bernardes, por tudo que fez como chefe do Mensalão, do Petrolão e por tantos outros crimes praticados  como corrupção passiva, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro e, principalmente, por aquilo mais próximo do julgamento na segunda instância (o TRF da 4a. Região marcou para 24 de janeiro) relativo à compra do tríplex que todo mundo sabe que é dele e a reforma foi feita pela OAS a seu 'pedido'. Assim, também é pule de 10, a condenação e a inelegibilidade pela Lei da Ficha Limpa, mesmo a petralhada negando e dizendo que a Justiça persegue um "santo homem".

RODRIGO É 12

O PDT, eterno partido de Brizola, Lupi e até do companheiro João do Abacaxi, de Quissamã, acaba de ganhar um grande reforço. Depois de quase dois anos no PV, o prefeito de Niterói, Rodrigo Neves, também resolveu cerrar fileiras no 12 pensando, quem sabe, em alçar voos mais altos ano que vem (apesar de "negar, peremptoriamente, que não vai disputar o governo do Estado"). E nada melhor que um partido da dimensão de um PDT que, inclusive, tem políticos dispostos a disputar a presidência, como Ciro Gomes que também marcou presença no evento ao lado de outras personalidades do mundo político, empresarial, além de simpatizantes que lotaram um conhecido estabelecimento comercial localizado no Cafubá, região oceânica da cidade.

BRINCANDO COM FOGO

Se faltava alguma coisa para o governo Temer confirmar que está na corda bamba, com o afastamento de um general do Exercício de suas funções, só porque falou a verdade, não falta mais nada. Mandar alguém para casa, no caso de Mourão, colocar o pijama e ficar "quietinho", pode ter sido o estopim para algo muito grave. A população brasileira conta, hoje, com pouca gente a defendê-la, de fato, e quando um general tem a coragem de dizer que o presidente tem feito tudo que pode para se segurar no governo e que este é um balcão de negócios, além de ser a mais pura verdade, veio da garganta de um patriota, um bravo guerreiro, de reputação ilibada e respaldado por uma instituição que jamais deixará de cumprir com suas obrigações. Cuidado, Temer, quem brinca com fogo faz xixi na cama.

PALHAÇADA

Uma vez palhaço, sempre palhaço. O deputado Tiririca, aquele dos milhões de votos de repúdio, que passou quase dois mandatos inteiros sem fazer nada, acaba de provar que a política nacional é mesmo uma grande palhaçada. Ele, no início da semana passada, subiu "ao palco", pela primeira vez, para anunciar que renunciava ao mandato. Só que a partir de 2018, quando o período legislativo terá se esgotado. Com fantasia ou não, como é comum aos palhaços da política, Tiririca deixou a máscara cair e confirmou não saber ainda o que fazem no Congresso Nacional. E tem mais uma do artista: disse que votaria em Lula, novamente, pois, para ele, foi o melhor presidente do Brasil. Outra de suas piadas de mau-gosto que esperamos não refletir a realidade da eleição do ano que vem. Nem por brincadeira.

SEM REFORMA

A teimosia, claro, bem depois da mania de colocar a mão no dinheiro dos outros (conhecida como ladroagem, desvio, corrupção...) é outra das principais características de um mau político. Vejam o que vêm fazendo o presidente sem voto, Michel Temer Lulia (ironia até no nome) e seus muitos ladr..., ops, correligionários e defensores - a qualquer custo - do governo, ao insistirem que a Reforma da Previdência é a melhor alternativa para o País (que eles tanto roubam) e deverão ter os 308 votos necessários para sua aprovação. Especialistas, isentos e sérios, dizem que é impossível, hoje, se atingir tal número e que a votação - um dos alvos principais do governo ao lado da manutenção da liberdade do presidente e outros do PMDB - deve ficar para fevereiro. Pessoalmente, além de torcer para que se encontre outro jeito de economizar dinheiro (quem sabe diminuindo a roubalheira, mordomias, número de parlamentares e benesses aos poderosos?), não acredito que se aprove a retirada de direitos adquiridos do trabalhador. Não mesmo.





 

quarta-feira, 13 de dezembro de 2017

FAKE NEWS

Mais conhecido como notícias falsas, é um termo novo, ou neologismo, usado para se referir a notícias fabricadas que não têm nenhuma base na realidade (no máximo uma fumacinha) mas são apresentadas como sendo factualmente corretas. Com o surgimento da internet e suas redes sociais cada vez mais populares e capazes de espalhar as notícias - falsas ou não -, com uma velocidade nunca dantes imaginada e poder de fogo suficiente para provocar grandes destruições em todas as áreas, as fake news (que às vezes visam lucro financeiro) vêm repercutindo muito no campo da política, onde procuram ser nocivas, como aconteceu, recentemente, com o  Brexit (saída do Reino Unido da União Europeia) e a eleição de Donald Trump à presidência dos Estados Unidos. Em sua controversa conta no Twitter, Trump se referia às fake news com críticas diretas à imprensa em meio a denúncias de bots (robôs virtuais simuladores de ações humanas) que compartilhavam milhares de notícias falsas sobre a adversária de campanha Hillary Clinton, durante o período eleitoral. E, aí, deu no que deu. A verdade não vive o seu melhor momento. Na sociedade da informação e dos conteúdos virais, as inverdades - ou completas mentiras, para ser mais claro - ganham força nas redes sociais e apps de mensagem, como o WhatsApp. Por aqui, abaixo da linha do Equador, prolifera a  “era da pós-verdade” (movimento caracterizado pela valorização dos conteúdos carregados de emoção ou opinião em detrimento de informações devidamente verificadas) que reina em textos, imagens e áudios. Exemplos são as pesquisas de opinião para as eleições de 2018 para presidente da República, onde os grupos de Bolsonaro e Lula, que se alternam nos primeiros lugares - segundo seus simpatizantes - travam uma verdadeira guerra de fake news e cada qual, a sua maneira e com os dispositivos que dispõe, usa e abusa deste recurso. Como não há legislação específica, tampouco meios para se combater isto, continuam despontando notícias de sátira e histórias comprovadamente falsas mas que têm um enorme apelo popular na cultura e são consumidas por milhões de pessoas. Como acaba de acontecer na "renúncia" de Tiririca para a entrada de um suplente que sequer disputou a última eleição, os mais de 50% de votos nulos e abstenções provocando um novo pleito com candidatos novos e tantos outros fake news curiosos e engraçados.




segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

PRA COMEÇAR A SEMANA

O governo federal disse que vai aprovar, sim, a reforma da Previdência. Nos bastidores, dizem que compraram votos suficientes para isto. E que mais de 350 deputados se comprometeram a retirar direitos adquiridos dos trabalhadores. Resta esperar para saber se a "mercadoria" será entregue.

SERVIDORES RECEBEM ABONO

Depois de mais de três anos de pura abstinência, caristia e "impossibilidade contábil", servidores, finalmente, vão receber R$1.000 de Abono Salarial. Mas, pra tristeza geral - menos pros felizardos - isto acontecerá apenas em terras capixabas. Cerca de 90 mil servidores, ativos e inativos, do governo do Estado do Espírito Santo, vão receber o benefício e fazer suas famílias mais felizes. E não serão só os servidores do Estado, não. A prefeitura de Serra, município produtor de petróleo, também vai engordar a conta de seus colaboradores com R$100. É pouquinho, mas, em tempos de crise, já ajuda na ceia de Natal. Parabéns à turma do ES por poder reconhecer os verdadeiros responsáveis pelo funcionamento da máquina pública.

quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

PANORAMA

SEM TRÉGUA

Quando se pensa na corrupção endêmica que, há muitos anos (na verdade desde o desembarque de Dom João quando recebeu 'de presente' de um traficante de escravos a melhor casa da cidade), vem destruindo o país, logo surge a ideia de que o fim está muito distante, haja vista seu grande poder entranhado, principalmente, em todas as instituições públicas, privadas e na cultura de todos que, desde o princípio, corrompem ou são corrompidos, não importa o tamanho da ilicitude - a cervejinha pro guarda - e da decomposição. O famoso 'todo mundo faz'... Entretanto, muitos continuam cumprindo a obrigação de ser honestos e, no caso das instituições, fazendo o que tem de ser feito para cumprir a lei e punir aqueles que, de alguma forma, participam da engrenagem corrupta. Como, por exemplo, boa parte da Justiça, da Imprensa, as redes sociais sérias, alguns poucos políticos e outros que se preocupam com o próximo e com o futuro do País. 

TODOS JUNTOS 
 
Confirmando a tese de que nem tudo está perdido e estamos, literalmente, em guerra - a qual não podemos perder - nesta semana participamos do ato "Educação, sim! Corrupção, não! na UERJ, promovido pela própria universidade, o Ministério Público Federal e outras instituições públicas e da sociedade civil também preocupadas com tudo que aconteceu - e continua acontecendo - no Brasil nos últimos anos. O evento fez parte da celebração do Dia Internacional de Combate à Corrupção (09/12) e marcou o lançamento carioca da campanha #TodosJuntosContraCorrupcao, para prevenir a corrupção com ações de educação e cultura. Entre os temas mais relevantes estavam apresentações de boas práticas educativas e culturais para valorizar o orgulho de ser honesto desde a infância e ações que devem ser multiplicáveis em escolas e outros espaços com vistas a construir uma sociedade menos suscetível à corrupção. A tarefa é árdua, sim, mas se cada um de nós fizer sua parte, primeiramente, sendo 100 % honesto e, claro, parecendo honesto, divulgando os bons exemplos e denunciando os maus, o resultado será um País mais justo para todos e um inferno para os que insistirem na ganância, no egoísmo, em querer levar vantagem em tudo. E roubar.

CONGRESSO: SERVE PRA QUÊ?

Mais uma vez, pesquisa do Datafolha acaba de revelar ao mundo, entre outras coisas (daquela coisa chamada política e políticos nacionais), o que o mundo todo já sabe: que 60 % dos entrevistados consideram o Congresso Nacional ruim e péssimo e apenas 5% da população acreditam em deputados e senadores. Ou seja, que é necessário se fazer uma grande reforma política, a começar pelas eleições do ano que vem, reformando tudo, quem sabe, deixando de fora algo em torno de 513 deputados (entre mortos e feridos, pouquíssimos deveriam ser salvos) e a grande maioria dos 81 senadores que também não serve pra nada? Quem sabe, acabando com o grande ralo existente, onde a maioria dos projetos não tem por objetivo atender as principais reivindicações e vai para aquele lugar e com o esgoto para onde deveriam ir todos os ratos (se bem que até os mamíferos têm importância na cadeia) Cadeia, xiiiii!? 

ZORRA TOTAL

O Estado do Rio de Janeiro está mesmo entregue às moscas, à  própria sorte e tem dado o pior dos exemplos que se pode dar a quem o tinha como o lugar mais bonito para se viver e para investir, apesar dos índices de criminalidade. E isto foi provocado pelos últimos governos, basta olhar para os presídios, penitenciárias e cadeias - e até para as prisões domiciliares e para os calcanhares - e contabilizar o número de autoridades que, por ora, perderam o direito à liberdade. A começar pelos ex-governadores Sérgio Cabral, Anthony Garotinho e Rosinha Matheus, os deputados Jorge Picciani e Paulo Mello, presidente e ex da Alerj e Edson Albertassi, além de ministros do TCE, empresários e tantos outros que expropriaram usurparam, defraudaram, enfim, roubaram tudo que puderam da população fluminense e hoje deixaram o estado desmoralizado e em situação de penúria total. Sem dinheiro para cumprir com seus muitos compromissos e à mercê de uma Justiça que se desdobra para manter os bandidos e canalhas presos. Sendo assim, com uma quase total falta de controle e de mando, de um lado, bandidos, ainda soltos e do outro, agentes públicos de segurança ocupando as primeiras páginas dos jornais fazendo selfies com traficantes presos, numa clara demonstração de que o Rio é uma zorra total.

 PÉS E MÃOS GRANDES

E por falar em maus exemplos, o criminoso preso - até que o 'colega' Gilmar Mendes o liberte também - Sérgio Cabral, acaba de sair (não da cadeia, felizmente) com mais uma grande tirada bem ao seu estilo debochado e irreverente demais pro meu gosto. Ele acaba de declarar que 'sempre foi um grande realizador e que não é culpado pelo caos no Rio de Janeiro' (faltou dizer que era honesto e que a culpa é da Adriana gastadeira, sua mulher). E mais: 'que a culpa é do governador Pezão'! Tirando a mitomania e os demais delírios próprios de quem, desesperado, sabe que tá sentado num nabo daqueles, até que Cabral acertou quando disse que Pezão é um dos grandes responsáveis pela bandalheira e roubalheira instaladas no Rio pois, afinal de contas, ele nos governos de Cabral, Garotinho e Rosinha - seus padrinhos políticos  -  foi secretário, supersecretário e vice-governador e, portanto, impossível não saber ou participar dos principais 'esquemas' montados'.

 VALE TUDO

O Tribunal Superior Eleitoral (TSE), instado a se pronunciar sobre as candidaturas (ou pré, como se diz na gíria de quem tem tem medo) de Bolsonaro e Lula, ou Lula e Bolsonaro - dependendo da importância, idade e comprometimento com a Justiça - disse que não pode puní-los, sequer multá-los, pois o que os dois vêm fazendo nas reuniões, nos comícios, ops, nos atos políticos e nas redes sociais não caracterizam pedido de votos. Estão apenas expondo seus pontos de vista e antecipando possíveis candidaturas caso se consolidem depois das convenções partidárias. Como estamos num país do absurdo, do jeitinho, da corrupção, não somos sérios mesmo e o TSE é presidido por Gilmar Mendes, campeão de imbecilidades e atos não muito ortodoxos e compreensíveis à luz da ética, até que a justificativa tem amparo "legal". Oxalá, durante as eleições de 2018, isto tudo não se transforme numa terra de ninguém e valha tudo. Até dançar mulher com mulher e homem com homem.





 

quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

MEIAS ESCOLHAS

Em todas as áreas, existem as boas e as más escolhas. No sentimental, nas amizades, no trabalho e na escola precisamos TENTAR optar bem para não nos arrependermos depois e para que, na pior das hipóteses, os dissabores e resultados sejam os menos dolorosos possíveis. Mas quem nunca escolheu errado? Quem nunca fez tudo 'certinho' e acabou vendo a 'vaca ir pro brejo'? Quem nunca teve um amigo (a) que 'jurava lealdade' e por trás era mais falso (a) que uma nota de R$3? Quem nunca teve um amor que parecia eterno e um dia se acabou rapidinho? Quem nunca ensinou o ofício e depois foi derrubado pelo aprendiz? Quem nunca ajudou um parente e depois, oh! Pois é, escolhas CERTAS e ERRADAS existem em tudo que anda, pensa, age por instinto, rasteja... E até quando se aperta a tecla confirma. Como na política, onde os arrependimentos, as escolhas, digamos, inapropriadas, acontecem com muita frequência. De dois em dois anos, é aquele festival de caras novas - e velhas - dando o ar da graça, esbanjando simpatia e fazendo propostas e mais propostas mirabolantes para conquistar o voto. Primeiro, vêm os candidatos a prefeito e vereador com seus intermináveis festivais de mentiras, abrindo suas bocarras (mais tarde contas nos caixas 1,2,3 etc.) para dizer que farão isto e aquilo, prometendo mundos e fundos (depois os fundos serão outros) e o que se vê é isto que se vê. Ou seja, nada, quase nada nos 5.570 municípios brasileiros, onde imperam a velha cantilena do 'não temos verba' e a regra do 'aos amigos (e parentes) tudo'. Em seguida, como em 2018, quando teremos eleições para presidente, governadores, dois senadores (meio já bastaria), deputados federais e estaduais, o FEBEAPÁ é maior ainda e as escolhas (obrigatórias, cansativas e sujas) quase sempre erradas. Os resultados podem ser vistos nas TVs, com os escândalos diários de uma corrupção endêmica, nos hospitais, nas escolas, nos salários, nos transportes e nas ruas onde estão presentes as opções que fizemos e temos de aguentar por quatro anos, renováveis por mais quatro, mais quatro, mais quatro... Bem, isto até que aprendamos a agir CERTO. Ou o mais próximo de.

VAI TRABALHAR, VAGABUNDO!

Tem gente que acha que somos contra os sindicatos. Nada disso. Somos contra a pelegada, principalmente, da CUT, do MST, do MTST (do PT, só para não esquecer) e de tantos outros genéricos que nada fazem em prol de suas categorias. Somos contra a forma como se tornaram corruptos e gigolôs dos trabalhadores cobrando deles sempre um percentual de seu sangue e suor sem nada dar-lhes em troca. Somos contra terem se tornado parte integrante de uma estrutura carcomida da política nacional, servindo aos interesses de deputados e senadores e, por conseguinte, se servindo de seus mandatos. Agora, com a reforma trabalhista, que lhes tirou o direito de subtrair dinheiro dos trabalhadores, o que resta aos maus sindicalistas é migrar para Brasília e arranjar vaga para varrer gabinetes, limpar toda a sujeira dos políticos ladrões e, até, o traseiro (para não ser deselegante e dizer a 'bunda') deles. Mesmo assim, é bom irem planejando outras atividades relacionadas às famosas boquinhas pois, a partir de dezembro de 2018, grande parte da quadrilha do Congresso - algo em torno de 2/3 - deve ser renovada. É o que esperamos, tanto quanto um trabalho sério, competente e honesto por parte dos sindicatos que devem cumprir com sua obrigação, representar bem os sindicalizados, oferecer-lhes contrapartidas e, aí sim, receber para isto.



segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

PRA COMEÇAR A SEMANA

Nunca a Saúde esteve tanto pela hora da morte.

quinta-feira, 30 de novembro de 2017

PANORAMA

PROPAGANDA ENGANOSA

Realmente, em termos de publicidade (e de corrupção, só para não esquecer), o Brasil é campeão. As peças são tão bem boladas e produzidas que nos levam a acreditar - ou quase - naquela velha mentira dita várias vezes por Goebbels, ministro da Propaganda de Hitler. Como no caso das institucionais, do governo federal, que estão sendo veiculadas para tentar convencer a população que a Previdência "está quebrada, não vai prejudicar o contribuinte e, que, portanto, precisa sofrer reformas urgentes". Entre outros absurdos e, digamos, inverdades, diz que vai combater privilégios e acabar com os desvios e roubos (e os R$100 bilhões por ano da DRU que são retirados da Seguridade Social?  E o perdão das dívidas de bancos e grandes empresa?) Ainda bem que ainda tem gente experiente de olho, como o deputado Arnaldo Faria de Sá que acaba de entrar na Justiça Federal e no Conar (Conselho Nacional de Autorregulamentação Publicitária) por mais esta propaganda enganosa do governo Temer.

 INÍCIO DO FIM

E por falar em governo Temer e nas muitas propagandas despejadas para tentar mostrar que o ruim é bom, só na campanha da Reforma da Previdência foi destinada uma verba inicial de cerca de R$ 20 milhões relativa à produção do vídeo e à compra do espaço publicitário. Com um minuto de duração e exibida apenas por uma semana, ela diz que "a reforma vai combater privilégios pois tem muita gente no Brasil que trabalha pouco, ganha muito e se aposenta cedo". E tem mesmo, cara pálida. Só que todos sabemos que os 'privilégios' do Judiciário, do Executivo e do Legislativo, em sua plenitude, continuarão sendo intocáveis, bem como os auxílios moradia, paletó, peru, cotas para viagens, planos de saúde extensivos às famílias (muitos vitalícios) etc. e as aposentadorias como a do próprio presidente que, há 20 anos, recebe cerca de R$ 45 mil como promotor do Estado de São Paulo e, assim como Luislinda Valois, também é um escravo pois continua trabalhando e ganhando mais salário. Ah, e malas de dinheiro quando dá.


BOLSONARO NA FRENTE

Embora alguns não aceitem ou digiram, sequer, a ideia (tem ainda grande parte da mídia), a verdade é que a candidatura Bolsonaro vem se consolidando a cada dia e seu nome conhecido em todo o Brasil sendo, inclusive, viralizado apenas nas redes.. E isto acaba de ser comprovado em pesquisa realizada pelo Datafolha em todas as unidades federativas onde ele venceu Lula, seu principal concorrente, em 19 delas. A saber: Acre, Bolsonaro, 68,18% , Lula 9%; Alagoas, 36,36% x 25%; Amapá, 35,29% x 8,01%; Amazonas, 38,18% x 20%; Distrito Federal, 31,25% x 20,83%; Espírito Santo 36,70% x 20,18%; Goiás 38,25% x 22,40%; Mato Grosso, 45,36% x 20,52%; Mato Grosso do Sul 50,55% x 18,68%; Minas Gerais, 32,81% x 24,94%; Pará, 38,67% x 26%; Paraná, 31,88% x 17,19%; Rio de Janeiro, 38,72% x 27,61%; Rio Grande do Sul, 38,39% x 25,16; Rondônia, 53,85% x 17,31%; Roraima, 21,43% x 14,29%; Santa Catarina, 45,41% x 13,76; São Paulo, 28,47% x 20,27% e Tocantins, Bolsonaro 44,23% e Lula 23,08% das intenções de voto.

MACACO TEM RAZÃO

Quem não se lembra do macaco Sócrates, do programa humorístico, Planeta do Homens? Ele ao final de cada fato relacionado, principalmente, à política e suas muitas curiosidades, peculiaridades e injustiças, dizia que 'só queria entender'...  O quadro se mantém vivo até hoje em nosso cotidiano, pois existem coisas que gostaríamos de entender. Só que não. Veja o bloqueio nas contas do ex-presidente Lulla, por exemplo. Ele teve R$ 16 milhões obstruídos pela Justiça e só trabalhou uma vez na vida (ou propinou?), quando foi presidente da República (palestras não valem). O salário de presidente no Brasil é de R$ 30.934,70. Multiplicando este valor por 96 meses, daria a quantia de R$ 2.970.019,70 . Então, como é que ele tem R$ 16 milhões? Isto é, ele não poderia ter gasto um centavo nem em Atibaia nem no Guarujá. Será que Lulla poderia contar ou mostrar a mágica para nós, pobres brasileiros, ou para o ministro da Fazenda que, assim, talvez não precisasse diminuir os direitos de ninguém na Previdência?


EDUCAÇÃO COM E MAIÚSCULO

Existe uma pequena escola pública de ensino fundamental I no pequeno município de Quissamã, norte do RJ, que tem dado demonstrações de que a Educação só alcança bons resultados se for vista como uma boa integração entre o poder público, o corpo docente e a equipe multidisciplinar com o ensino tradicional e, claro, com as famílias, atores principais no contexto de se formar cidadãos. Trata-se da Escola Municipal Maria de Lourdes,  localizada no seio de uma comunidade carente, no Sítio Quissamã, de pouco mais de 400 alunos. O que ela tem de diferente em relação a muitas outras? Nada, em se tratando dos métodos pedagógicos, livros, cadernos, professores, lápis, etc. Mas, lá, a relação direta entre o conteúdo aplicado, os alunos e suas famílias, nos aspectos psicológico, intelectual e social, complementando a ação da família e da comunidade, é uma daquelas coisas que fazem a diferença. Reuniões semanais são feitas para que pais e responsáveis conheçam o papel que todos têm. Resultado: boas avaliações produzindo, por exemplo, índices e objetivos alcançados e um ambiente mais feliz e de constante aprendizado. Um modelo a ser seguido para quem ainda não entende o papel que cada um tem na Educação.  Na acepção da palavra.

ATO DE AMOR 

Toda vez que acontecem eventos relativos ao Dia Mundial do Doador de Sangue, celebrado sábado passado (25/11), lembro-me do pequeno município de Quissamã, no norte do Estado do Rio de Janeiro, (pequenino só em relação à população que beira hoje os 25 mil habitantes), que se tornou grande a partir de muitas coisas por lá produzidas e realizadas desde que se emancipou de Macaé, há pouco mais de 27 anos. Foram muitos os programas e projetos vitoriosos nas áreas da educação, saúde, esportes, assistência social, etc. Mas um deu a ele uma grandiosidade de dar inveja a muita gente grande por aí. Foi a implantação do Programa Municipal de Doação Voluntária de Sangue, feita pela assistente social Márcia Direnna, em 1994, que criou um cadastro com mais de 400 doadores - à época, chamado de "Cadastro de Gente do Bem" - marcando, para sempre, a história daquele lugar, pois conseguiu reunir um número surpreendente de voluntários (5% da população, quando a média brasileira mal chegava a 1%) que queriam prolongar a vida de pessoas que necessitavam do bem mais valioso que existe. Parabéns a Quissamã e a todos que, anonimamente, salvam milhares de vidas através de um dos maiores gestos de amor ao próximo.

MÉRITOS A QUEM MERECE


E como o blog tem a obrigação de informar, sempre, e homenagear quem merece, parabéns a todos os Doadores Voluntários de Sangue, não só pelo dia 25 de novembro, por virem engrossando a fila dos que dão seu sangue - e a vida - a milhões de pessoas. Isto, porque ninguém está livre de precisar de uma transfusão de sangue, de sofrer um acidente, de passar por uma cirurgia ou por um procedimento médico em que a transfusão seja absolutamente indispensável. E como não existe sangue sintético produzido em laboratórios, quem precisa dele tem de contar com a boa vontade de doadores, uma vez que nada substitui o sangue verdadeiro retirado das veias de outro ser humano. Assim, mais uma vez, parabéns aos doadores de sangue - extensivo aos de medula e de órgãos do mundo todo - pois o ato de doar ao próximo, indiscutivelmente, é algo que transcende qualquer outro praticado por nós (abaixo, onde doar no Estado do Rio) e mãos, ou braços, à obra.





Requisitos para doação de sangue no Brasil
  • Estar em boas condições de saúde;
  • Estar descansado e bem alimentado;
  • Ter entre 16 e 69 anos (menores de 18 anos precisam da autorização do  responsável para fazer a doação);
  • Pesar mais de 50 quilos
  • Portar documento oficial com foto;
  • Respeitar o intervalo mínimo entre cada doação (3 meses).





quarta-feira, 29 de novembro de 2017

ENTRETERNET

Vem se tornando cada vez mais frequente apontar e definir o uso das redes sociais da internet - pelo menos as principais e campeãs em número de usuários que são Facebook, WhatsApp, You Tube e Messenger - como uma gigantesca bancada de discussão política, capaz de exercer fortíssima influência nos Três Poderes da República, além de fomentar discussões acaloradas e até brigas que chegam todos os dias aos tribunais do Brasil inteiro, pela intolerância e radicalismo. São os chamados prós e contras dessa que é, sem dúvida, a maneira mais direta de se atingir um expressivo número de pessoas em tempo recorde. De um lado, analfabetos funcionais que parecem ter conseguido o tão sonhado diploma de 'cientista político' e postam, digitam e atiram quase sempre em nome de um enorme 'conhecimento de causa'. Do outro, usuários que conseguem colocar para fora sua indignação pela falta de atitude ou respaldo de autoridades omissas (sem falar na corrupção, aliás, tema preferido das redes sociais). Na 'guerra', ainda, acusados , acusadores e defensores tentando fazer cada qual o seu papel da melhor maneira, ou seja, ganhar mais joinhas, likes e comentários. E causas. O crucial é que, no uso desta moderna e útil ferramenta, são necessárias mais informações qualificadas e não  fragmentos viciados e viciantes que circulam pelas redes sociais sem critério, muitos sem nenhum sinal ou vestígio de verdade, a partir das quais estão se consolidando ideias e convicções nesta mesma linha. Mas o que fazer para melhorar a situação? Para começar, procurando analisar melhor tudo que nos chega. Se faz parte de um enorme circo de vaidades encenado por sabichões e pseudo-intelectuais, formadores de opinião e o pior tipo, o radical político. Se o que chega aos nossos olhos e ouvidos tem fundamento e vem acompanhado daquilo mais importante que pode-se produzir e revelar, isto é, a conformidade a um fato ou realidade, uma declaração provada como verdadeira, daí, merecendo o compartilhamento. Finalmente, se tem apenas o propósito de proporcionar diversão, entretenimento,  modismo ( entrar na onda) e qualquer outro que não fira e atinja a honra de ninguém. 







domingo, 26 de novembro de 2017

PRA COMEÇAR A SEMANA

Não se trata de preferência pessoal. Mas o Instituto Vertude realizou uma pesquisa com 6.370 pessoas de todo o Brasil e deu Jair Bolsonaro com 34,05 % dos votos. Lula com 27,40%; Huck, 10.72% e João Dória, 7,31%. 

quinta-feira, 23 de novembro de 2017

CORRUPÇÃO SEMPRE MATA

Pense em algo que você faz em, aproximadamente, cinco minutos. Passa rápido, mas dá pra ver um bocado de político corrupto (ex-governadores, ex-presidentes de assembleias, etc.) ir pra cadeia, né? Infelizmente, também são suficientes para matar três brasileiros em hospitais públicos e privados - algo em torno de 829 diariamente - por falhas que poderiam ser evitadas, segundo o Anuário Assistencial Hospitalar. Para se ter ideia do quão grave é a situação provocada pelo que chamam de "evento adverso" (que inclui erros de dosagem ou aplicação de medicamentos, uso incorreto de equipamentos, infecção hospitalar, entre outros), no ano passado 302.610 brasileiros foram a óbito por isto. É a segunda causa de mortes, ficando atrás apenas das doenças cardiovasculares (950 mortes por dia), mas bem maior que o câncer (de 480 a 520/dia), violência (164/dia) e acidentes de trânsito (129/dia). Culpa da 'disfunção sistêmica', sim, mas provocada em grande parte por aqueles que desviam recursos e, por conseguinte, não criam melhores condições para se estruturar o sistema de saúde. Ponto

MICO DO ANO

Quase sempre, antes de escrever um artigo, fechar uma coluna ou postar algo no blog, dou uma passada pelas primeiras dos principais jornais e sites para saber das novas. Só que nem sempre posso usá-las de maneira oficial, sequer confiável, principalmente, quando se refere a tendências ou pesquisas eleitorais que 'sugerem' candidatos em primeiro lugar na corrida presidencial. Como, por exemplo, acaba de fazer O Estadão ao divulgar que Luciano Huck está em primeiro lugar, na frente de Lula e Joaquim Barbosa e bem à frente de Bolsonaro, Marina, Moro, Dória e Alckimim o que, por si só, revela uma tendência perigosa e estranha de um veículo que podia muito bem passar sem este mico. Aliás, por falar em símios, será que o jornal também tem interesse em promover um novo "Macaco Tião" como o apresentador global, na onda Trump e Dória? Outra: quantas pessoas você conhece que afirmam votar nele em 2018? Com a palavra, o TSE (mesmo com Gilmar Mendes em primeiro).

quarta-feira, 22 de novembro de 2017

MANDATOS E MANDADOS

O que acaba de acontecer no episódio da prisão, revogação e prisão dos deputados (o TRF-2 prende, a Alerj solta e o TRF-2 prende de novo) fluminenses, Jorge Picciani, Paulo Mello e Edson Albertassi, por coincidência (coincidência?), todos do PMDB, acusados de lavagem de dinheiro, associação criminosa, evasão de divisas e corrupção, mostra o que muita gente sabe há muito tempo: a política, os partidos e as eleições têm servido quase que, única e exclusivamente, para chancelar organizações e grupos criminosos (isto acontece em todas as esferas), dando-lhes respaldo e amparo legais para roubar, extorquir, enganar, desviar, lavar (dinheiro sujo), nomear, enfim, agir de forma a fazer crescer o patrimônio dos lavadrazes que agem travestidos de 'representantes do povo e agentes públicos' mas que no fundo - e em se tratando de governos municipais, estaduais e federal a coisa tá mesmo em baixa, no fim - não passam de personagens voltados para 'legalizar' tudo que é ilegal, imoral e até engorda, no caso, a conta dos mais patifes, sórdidos e inimigos do Estado e da Pátria, isto é, a grande maioria dos vereadores, prefeitos, deputados, governadores, senadores e do presidente de uma República que só vai existir mesmo quando a lei for uma só, tanto para Chico, quanto para Francisco, e enfiar na cadeia, sem dó, piedade e benefícios, essa gente que tanto mal faz a todos nós.

                        O "trio" é formado por presidente da Alerj, ex-presidente e líder do governo

terça-feira, 21 de novembro de 2017

HISTÓRIA REAL

A famiglia Picciani - o pai e seus três filhos -   tem sido chamada, nas ruas e redes sociais, de os Irmãos Metralha. Mas, como todos os malfeitos, não são parte dos quadrinhos de Disney e sim a mais pura realidade do que vem acontecendo, principalmente, com a política corrupta praticada no Rio de Janeiro, cuja organização criminosa eles fazem parte, seria bom que não fossem mais comparados aos personagens que queriam roubar apenas o bilionário Tio Patinhas e não um Estado inteiro, milhões de pessoas que todos os dias morrem nas ruas, nos hospitais, sem educação, transportes e salários adequados que os Picciani ajudaram e ajudam a empobrecer e destruir.