domingo, 4 de dezembro de 2016

PRA COMEÇAR A SEMANA

Quem planta vento, colhe tempestade. (que o diga a 'companheirinha' Dilma, do PT)

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

LEADER S/A

Muito contrariado, dia destes me dirigi à Leader para pagar um boleto. Sim, pois aquela loja, além do discutível padrão e preços dos produtos, do atendimento, geralmente, feito por funcionários indiferentes e muito mal informados (para não dizer mal intencionados, pois se bobear eles até parcelam a compra com juros), agora deu pra ter 'como norma' não aceitar cheques. Nem do próprio. Sob a alegação de que estão 'cumprindo determinação dos novos donos' - os quais, só ouviram falar que são os mesmos da Casa &Vídeo - me fizeram 'rasgar' uma ordem de pagamento à vista de fundos na conta do emissor, a qual ainda é válida em todo o território nacional e pela qual pagamos para ter o direito de pagar por alguma transação. Deve ser por estas e outras que a referida loja anda entregue às moscas, sem uma viva alma a percorrer seus vazios corredores.




quarta-feira, 30 de novembro de 2016

VIVA A REPÚBLICA

Já foi, tarde (bota tarde nisso), o tempo em que se fazia da política um espetáculo com e para poucos atores. Demorou, mas, felizmente, chegou a hora em que o povo participaria do desenrolar dos acontecimentos. Como agora. Nos últimos anos - e as redes sociais tiveram e vêm tendo importante papel, fundamental e decisivo, mesmo, - a sociedade civil, passando por boa parte da Imprensa que reconheceu sua obrigação de transmitir a 'verdadeira verdade' e da Justiça com suas operações Caça Corruptos ( que da mitologia só tem os nomes) e o interesse pelos destinos da República (a verdadeira, 127 anos depois de proclamada pelo marechal Deodoro da Fonseca) são os grandes protagonistas a conduzir o Brasil até um novo patamar, único na nossa história, com resultados efetivos que vão das manifestações das ruas, dos panelaços, até a retirada daqueles que não nos representam mais, seja através das respostas nas urnas (como aconteceu com a quase extinção do PT), sejam os impeachments, cassações, prisões, etc. Hoje, tem-se, ao lado do futebol e outras amenidades, a política nas conversas cotidianas dos lares e botecos, passando pela atuação do STF e pela marcação cerrada sob a gestão pública e isto vem construindo um novo arco de poder capaz de mudar o que está errado e, até, retirar da cadeira quem ainda pensa ser o senhor absoluto de todas as coisas, um quase deus. Entretanto, muito ainda tem de ser feito para que alcancemos a plenitude de uma democracia sonhada por alguns conhecidos heróis nacionais - anônimos, também -, com o poder emanando do povo, para o povo..., onde as decisões devem ser favoráveis a ele. De fato. Não como acontece, hoje, com um pequena parcela dizendo o que é melhor (geralmente pra ela), sendo muito bem paga para isso, com todas aquelas benesses, mordomias, a verdadeira farra com o dinheiro público. Suado, cada vez mais minguado e roubado pela corja constituída por maus políticos que costumam fazer da vida pública a privada. Aliás, não só da qual se locupletam, mas a outra, na acepção e com o perdão da palavra, cheia das titicas que faz e que pensa uma maioria constituída de vereadores, prefeitos, deputados, senadores, governadores e  presidente da República - este cada vez mais na moda - ou seja,  muito pouco quando trata-se de melhorar a vida do cidadão. Felizmente, alguns destes senhores e senhoras, no já não tão alto de seus mandatos e da soberba, têm entendido todas as mensagens vindas das ruas e através da Internet. E que, se bobearem, podem perdê-los e, se insistirem nos erros, ver o sol nascer quadradinho da silva.

terça-feira, 29 de novembro de 2016

SEM ANISTIA


Uma vergonha, entre as muitas praticadas por congressistas, essa de anistiar o tal do Caixa Dois (uso de recursos não declarados à Justiça Eleitoral). Uma afronta , praticada pelos ditos (por eles mesmo) representantes do povo e dos estados - deputados e senadores - e a mais autêntica comprovação de que essa gente, na grande maioria, corrupta e imprestável, quer se proteger e aos, de alguma forma, seus cúmplices. Uma aberração, praticada por um conglomerado perdulário e repleto de gente cuja maior e, muitas vezes, única capacidade é cometer crimes contra a Nação, como pretendem fazer agora, deixar pra lá os erros praticados durante as campanhas eleitorais. Acostumados a se dar bem, custe o quanto custar, pra quem custar ( no caso milhões de brasileiros e brasileiras), esses falsos 'representantes', são, definitivamente, um dos motivos para o crescimento de uma doença chamada corrupção cujo objetivo principal tem sido alimentar esses parasitas, corporativistas, gastadores e ladrões do dinheiro público que fazem da política algo para se ter muita vergonha. E nojo.


domingo, 27 de novembro de 2016

PRA COMEÇAR A SEMANA

Dia quatro (sexta-feira), o País deve dizer NÃO à anistia do Caixa Dois.

quarta-feira, 23 de novembro de 2016

PIADA DO CABRAL

O ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral, tem defendido, em depoimentos dados à Justiça, que tem a “consciência tranquila” em relação às acusações feitas contra ele. O ex-governador que, durante sua primeira campanha, teve o apoio dos antecessores Garotinho e Rosinha (hoje arqui-inimigos) - outros enrolados e que vivem um inferno astral dentro do grande galinheiro chamado política nacional - ainda afirma que  “toda a sua política foi voltada para o crescimento econômico do estado” e negou conhecer a “taxa de oxigênio”, que, segundo os procuradores, era um sinônimo de propina. Realmente, a continuar assim, negativas de um lado, provas do outro e leis que permitam se mentir e jurar até a morte, além dos incentivos e benesses concedidos aos criminosos, ter-se-á um país cheio de desigualdades entre o crime de colarinho branco e o roubo à galinha e as populações carcerárias e o grande número de ladrões livres, leves e soltos. E uma Assembleia Legislativa (Alerj) votando a favor do continuismo de uma ladroagem que não vem de agora, de um pacote de maldades contra o servidor e, principalmente, de serviços públicos de péssima qualidade como os nossos, tendo um governador dizendo que não é responsável por nada e um ex, agora preso, negando, de pés juntos, que não roubou, não mentiu, não favoreceu parentes e amigos e nunca zombou de ninguém.



PARADA MILITAR EM QUISSAMÃ

Tomara que o Exército brasileiro não esteja tão perdido como alguns setores do governo Temer, do PMDB, ex de Dilma, do PT, e a 'garotada' do Forte Marechal Hermes, em Macaé, que, sem muito jeito - apesar da educação -, tem parado motoristas que passam próximo à entrada do município de Quissamã, na BR 101. Nos últimos dias, sob a alegação de uma suposta pesquisa para o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNIT), os soldados, com tablet nas mãos, fazem perguntas no mínimo curiosas que vão das características do veículo ( ano, a quem pertence, etc), destino e procedência à renda salarial do condutor (esta opcional) e outras um tanto quanto estranhas. Parado por duas vezes, em apenas três dias, além de um certo atraso provocado pelas perguntas e pela abordagem obrigatória, senti uma certa insegurança pois, além dos uniformes, não havia muita caracterização de ser algo feito por forças federais ( vem até a sensação de uma falsa blitz), tampouco, que serviria para melhorar a vida de quem por lá trafega. Tomara que não seja mais um 'do nada para o lugar nenhum', como muitas ações políticas deste e de outros governos Brasil afora. Tomara! Fica a sugestão: que se dê indicativos e que a 'pesquisa' seja feita com viaturas posicionadas no local, auxiliadas pela PRF para dar mais credibilidade à ação.
foto ilustração baixada da internet

ANTES TARDE DO QUE NUNCA

Ou 'A justiça tarda, mas não falha', 'Aqui se faz, aqui se paga', 'Quem com ferro fere, com ferro será ferido', 'Pau que dá em Chico...' e tantos outros velhos ditados caberiam neste importante momento histórico (aliás, novíssimo) pelo qual estamos passando. Os últimos acontecimentos envolvendo políticos e empresários (corruptos e corruptores), descobertos com a  mão na massa, com a boca na botija - roubando, para ser mais preciso ou matando milhões de brasileiros de fome, sem dinheiro para comprar remédios, nos assaltos, nas muitas balas achadas, nos leitos dos hospitais e, até, de raiva pela taxa de juros praticada e pelo salário que recebem (quando recebem) para ser mais preciso ainda - e algumas da prisões determinadas por juízes e promotores, quase uns heróis nacionais, mostram que o País está, mesmo, começando a ser passado a limpo. Como todo processo de mudança, principalmente, mais radical como a sociedade está a exigir e, há muito, precisávamos, engloba uma série de fatores. No caso em epígrafe, 'demorô, mano'!, diria um paulista, mas nunca é tarde para alguém se  arrepender, tomar ou mostrar o caminho certo, se bem que em se tratando da maioria dos políticos, do corporativismo praticado por eles, da imunidade, da impunidade, do poder que têm - devidamente, acobertados por leis ultrapassadas -, ainda estamos muito longe de manter estes patifes, desonestos, praticantes do lesa-pátria, desqualificados, ignobeis, deslumbrados (estes da categoria das esposas de Cunha, Cabral, etc), canalhas, desumanos e corruptos - bem como a camarilha que os acompanha nas safadezas -  condenados à penas de prisão perpétua. Ou algo mais rigoroso, dependendo do crime e do tamanho do mal. Claro, sem nenhum tipo de vantagem e chance, a exemplo do que fizeram durante o tempo que exerceram seus mandatos, não permitindo que seus súditos, vassalos, suseranos, enfim, os otários como nós, tivessem qualquer oportunidade de levar uma vida mais digna, tendo um emprego duradouro, uma economia voltada à estabilidade econômica de um passado recente, acesso à educação em sua plenitude, instituições bancárias com alguma viabilidade para quem só deseja subir uns degraus (reforma da casa, pequena viagem para cidade de origem, aparelhos mais modernos, etc), o direito a uma vida melhor, inclusive, o direito de viver. Utopia? Sonho? Algum tipo de transtorno? Não, apenas acreditar que a esperança é a última que morre.


PRISIONEIROS DO PT

O País e o mundo estão assistindo aos desdobramentos de tanta roubalheira e enganações praticadas por um único partido político, tendo ao lado outro da mesma estirpe, e em nome do maior projeto criminoso até hoje instalado, instaurado, enfim, enfiado goela abaixo, principalmente, dos mais humildes e de outros tantos bem intencionados que acreditavam ser possível sonhar com a tal da justiça social. A economia, se não vai de mal a pior (como quer a frenética oposição e outras aves de rapina ávidas por continuar se lambuzando nas sobras da carniça da Pátria amada ), vem encontrando muitas dificuldades para reverter a situação, não deixando que o rombo financeiro de uns 200 bilhões de reais deixado pelo PT - e, ironia do destino, pelo próprio PMDB, hoje, governo - cause estragos ainda maiores. Mas a tomada do poder pelos vermelhos, ladrões, perdulários, incompetentes e inimigos do Brasil, durante os 13 anos e poucos meses - para, a maioria, uma eternidade - não arrasou "apenas" a indústria, o comércio e o terceiro setor, o dos serviços. Como desfecho por tanta falta de planejamento e seriedade no trato com a coisa pública (sem esquecer dos desvios praticados, claro!), o quadro de desemprego, segundo o IBGE, é recorde entre jovens de 18 a 24 anos, os mais castigados com a crise econômica. De acordo com a Pnad trimestral do IBGE, a taxa média de desemprego no Brasil foi de 11,8% no 3º trimestre de 2016. Mas, para os jovens nessa faixa etária, chegou ao nível recorde de 25,7%. No mesmo trimestre de 2015, a desocupação estava em 19,7%. A pesquisa mostra, também, que de 2012 para cá, o nível de ocupação nessa faixa etária foi o que mais caiu. Naquele ano, quando teve início a Pnad trimestral, o percentual de brasileiros de 18 a 24 anos ocupados era de 57,9%. Agora, é de 50,5%. Sendo assim, jovens ou não, alguém tem dúvida de que o PT (sem esquecer dos outros partidos e 'puxadinhos', hein!) arruinou o País e causou tamanho prejuízo que agora impede, jovens ou não, de terem o bem mais precioso que existe, depois da vida, isto é, a capacidade de trabalhar e ter seu emprego? Alguém, que não seja fanático ou goste de se enganar, pode afirmar que o PT (não devemos nos esquecer dos outros patrimonialistas e criminosos) não deixou uma herança maldita? Como se vê, através de pesquisas e da realidade nua e crua mostrada a todo momento, Lula e Dilma têm de ser, mesmo, banidos da vida pública e, comprovadas todas as denúncias, ficarem  trancafiados atrás das grades ( não em prisão domiciliar). De preferência, rápido, antes que fujam para usufruir e desfrutar do asilo político em Cuba, Venezuela, Uruguai ou outro país 'cumpanhero') e incomunicáveis para que nunca mais voltem a fazer mal a tanta gente. Jovens ou não.


domingo, 20 de novembro de 2016

ONDE TUDO ISTO PODE ACABAR?

O caos e o nível de corrupção enfrentados pela população do Rio de Janeiro, provocados, principalmente, pela má gestão de alguns de seus últimos algozes-administradores, ultrapassaram todos os limites da razoabilidade e da tolerância. A situação é tão crítica que, além das últimas prisões - muito aquém do que tem de ser feito - só há uma alternativa: mudar as leis de maneira que pessoas que fazem da política uma eficiente ferramenta para alcançar  objetivos pessoais, megalomaníacos e doentios, quando pegas, apodreçam em cadeias sem nenhuma regalia. Mas não sem antes devolverem tudo que roubaram. 
 

TEMPESTADE POLÍTICA

Vivo fosse, Magalhães Pinto não poderia mais comparar a política nacional às nuvens. Você começa a comentar a prisão do ex-governador do Rio de Janeiro, Garotinho, aí vêm o convite de Renan ao juiz Moro e ao procurador Janot para tentar "dar visibilidade" - quem sabe haja outra intenção - ao projeto que trata do abuso de autoridade, a briga entre os juízes do STF, Mendes e Lewandowski e, finalmente, a prisão do outro ex-governador, Cabral. Em se tratando de crimes eleitorais, golpes, falta de decoro e roubo de dinheiro público, como se vê, estamos todos perdidos e vivendo uma tempestade que parece não ter fim. Só ficou faltando, mesmo, a tsunami que o país inteiro espera há algum tempo, ou seja, a ida de Lula para Curitiba ( antes que se asile em Cuba, Venezuela, Itália, etc), não através de depoimentos via teleconferência e, sim, para trás das grades, por um bom tempo, para que não volte a enganar, mentir, roubar, deixar roubar e prejudicar outras novas gerações de brasileiros e brasileiras.

PRA COMEÇAR A SEMANA

Que tal começá-la conhecendo um pouco mais de nossas ideias e trabalhos (pelo menos os "publicáveis")?
É só clicar www.gazetanit.com.br

 

                                                               Edição 213 do GN (pag.2)

quarta-feira, 16 de novembro de 2016

DECÁLOGO DE ALERTA AOS PREFEITOS

Erradamente, dizem que 'se conselho fosse bom, ninguém dava. Vendia'. Mas, de alguma forma, todos podemos - e devemos - contribuir, de graça, para que municípios também melhorem tendo servidores públicos - do chefe máximo, ao mais humilde - usando de total transparência, honestidade, ética e se empenhando para que todos se beneficiem de suas administrações. Eu já encontrei a minha. Trata-se de uma espécie de decálogo de alerta voltado, principalmente, aos prefeitos e prefeitas (se aplica também aos vereadores e vereadoras) 'neófitos' que assumem em 1° de janeiro. Ei-lo:
1- Não roubar;
2- Não deixar roubar;
3- Não praticar nepotismo ou 'amiguismo';
4- Não deixar que os pratiquem;
5- Sempre que possível, exigir a meritocracia (sistema ou modelo de hierarquização e premiação baseado nos méritos pessoais de cada indivíduo);
6- Cumprir ipsis litteris a Lei das Licitações;
7- Não deixar que se afastem dela; 
8- Lutar, sempre, por poderes independentes e harmônicos;
9- Nunca se esquecer do Art 1° § 1º "Todo poder emana do povo e em seu nome é exercido" (inclusive, para quem pensa diferente, o grifo é nosso).  
10-Fiscalizar tudo bem de perto ou delegar poderes somente a quem se enquadrar em todos os itens anteriores.

N.R: Para quem considera o decálogo piegas demais, uma utopia ou um simples proselitismo de nossa parte, lembramos que o país está mudando, para melhor, é verdade, e, brevemente, só haverá um lugar para aqueles que teimarem em descumprí-lo. A velha cana dura. Aquela onde se vê o sol nascer quadrado

RENOVAÇÃO: EM NITERÓI, NÃO!

Chamem de pecha, estigma, crise econômica, falta de credibilidade ou 'saco cheio' do eleitor em relação à política e à maioria dos políticos. Mas a verdade é que as urnas optaram pela renovação nas eleições de outubro. Os resultados, no primeiro turno, já demonstravam mudanças bem radicais a partir dos novos representantes nos legislativos municipais. Já dos candidatos a reeleição de prefeito, que 'ousaram encarar a pedreira' (muitos sequer tentaram),- e conseguiram passar pelas lentes da Justiça -, também não se pode dizer que levaram a habitual vantagem ou superaram a aversão por suas candidaturas. Mas, como em tudo na vida, há controvérsias e exceções. Uma delas aconteceu em Niterói, única cidade da região metropolitana do Rio de Janeiro a reeleger um prefeito: Rodrigo Neves (PV) convenceu e venceu com 58,59% dos votos válidos (130.473) e governará a cidade por mais quatro anos. Sorte? Competência? Escolhas? Persuasão? Perspectivas? No caso de RN, a maioria da população - e de sua base política - acreditou que ele é capaz, dando-lhe a oportunidade de realizar mais, principalmente, nas áreas de segurança, educação e saúde, pontos fracos de qualquer administração.

domingo, 13 de novembro de 2016

CRISE PASSAGEIRA

Tudo relacionado à França atrai a atenção de todos. Até a nossa. Isto porque o país ainda é um dos que mais reúne atrativos para quem gosta de ver, por exemplo, as maiores belezas naturais do planeta (depois do Brasil, claro). Entretanto, a Cidade-Luz e as muitas outras cidades francesas lindíssimas, vêm enfrentando uma grave crise no setor de turismo este ano. Os franceses atribuem esse fato às greves e à crise econômica, mas o terrorismo foi apontado como o principal fator da crise. Deveria ter sido um ótimo ano para o turismo francês. Afinal, como sede do Campeonato Europeu de Futebol (Euro), um evento importante que se realiza de quatro em quatro anos, a França teve uma chance perfeita de mostrar seu charme especial. Mas, ao contrário das expectativas, 2016 foi um desastre. As visitas ao destino turístico mais popular do mundo diminuíram mais de 8%, de acordo com Bloomberg, em comparação com o mesmo período em 2015. A taxa de hospedagem nos hotéis parisienses caiu 21%. O Brexit (mais uma das 'bobagens' criadas pelo rigor londrino) não ajudou a incentivar o turismo. O Reino Unido é a segunda maior fonte de turistas que visitam a França. Com a queda da libra, a França ficou muito cara para os ingleses que atravessam o canal para comprar vinho barato e queijo Pont-l’Évêque. Em consequência, o turismo britânico diminuiu 4%. Mas o terrorismo é o principal motivo da queda do turismo. Os terríveis atentados em Paris e Nice nos últimos 12 meses que mataram centenas de inocentes, além de outras atrocidades, assustaram, sobretudo, os asiáticos. Neste ano o número de turistas japoneses caiu quase 40% e o de chineses aproximadamente 23%. Tomara que algumas das medidas chamadas protetivas venham a minimizar os impactos causados à França o Velho Continente continue a ser um dos principais destinos de todos nós que gostamos de conhecer de perto uma das mais autênticas tradições culturais que existem em todo mundo.