terça-feira, 27 de setembro de 2016

SOPA DE LETRINHAS

A quase enfadonha sopa de letrinhas tem sido a marca de muitas campanhas por aí. O tempo que o locutor perde para falar o nome de todos os partidos que compõem determinadas coligações chega a ser maior que a fala do próprio candidato. Em Niterói, por exemplo, o prefeito Rodrigo Neves, candidato à reeleição, pela "Pra Seguir em Frente", conta com o PV (seu atual partido depois de sair do Partido dos Trabalhadores) / PDT / PC do B / PTN / PRB / PT (olha ele aí) / PSL / SD / PTB / PMDB / PPS (do vice Comte Bittencourt) / PP / PRP / PEN / PMB / PRTB / REDE / DEM / PR. O número de partidos coligados nem sempre significa a vitória do candidato, mas no caso das eleições na Cidade-Sorriso tem ajudado Rodrigo Neves a liderar todas as intenções de voto, mostrando à população que conseguiu cumprir muitas das promessas de campanha e isto é possível graças ao grande número de candidatos e o maior tempo que dispõe para fazê-lo. Mas não se pode esquecer dos outros concorrentes que também vêm contribuindo - e muito - para o crescimento da candidatura do atual prefeito, pois suas propostas e discursos, além de 'fraquinhos', de ataques pessoais, insinuações maliciosas, proselitismo barato e ineficaz ( tem um que insinua Niterói ser  uma cidade suja e com uma prefeitura cheia de ladrões) parecem não ser suficientes para convencer o eleitorado niteroiense nestes cinco dias que faltam. A prevalecer o trabalho feito pelos opositores de Rodrigo, através dos responsáveis pelas campanhas, não haverá nem segundo turno.

FIM DO PT

As eleições de domingo, além de revelarem quem serão os prefeitos e vereadores nos 5.568 municípios brasileiros, - exceção daqueles onde poderá haver segundo turno (a lei eleitoral estabelece que ele acontece obedecendo o critério da maioria absoluta de votos, característico do chamado sistema majoritário de dois turnos em municípios com mais de 200 mil eleitores) - durante os próximos quatro anos (exceção para a enfadonha judicialização que retira e devolve mandatos), devem representar o início do fim do Partido dos Trabalhadores (PT) e de alguns de seus puxadinhos favoritos no projeto principal de implantar práticas comunistas, fascistas, perdulárias, nepotistas e outras retrógradas e desonestas no país. Com uma rejeição recorde, traduzida, principalmente, pelos últimos escândalos de corrupção, como o impeachment de Dilma Rousseff e a prisão de vários de seus 'caciques e colaboradores', o partido, segundo pesquisas recentes, só deve vencer o pleito em uma única capital, no caso Rio Branco, no Acre, e isto é muito pouco, levando-se em consideração que são 26 capitais e a história do partido, outrora, bem-intencionada, foi repleta de vitórias nas urnas, inclusive, com eleição e reeleição de dois presidentes e muitos prefeitos e vereadores Brasil afora, bem diferente do que acontecerá no próximo dia dois. Mas o PT, não fica sozinho na derrocada, não. Até o ministro Teori Zavascki, do STF, já comentou com amigos que o "PT e o PMDB vão acabar" e que " não sobrará pedra sobre pedra", provavelmente pela magnitude, profundidade e número de pessoas, destes dois partidos, envolvidas nos casos de corrupção apurados nas investigações da Lava Jato. Mesmo sabendo que, com o impeachment de Dilma, o PT começaria a ser afastado do cenário nacional, já que a saída traz embutidas uma série de questões estruturais (perda de pelo menos 30 mil cargos comissionados na máquina pública, causando dano devastador sob o ponto de vista das finanças e do poder de mobilização do partido, já que os ocupantes dos cargos eram todos ligados ao PT e possuíam forte poder de influência; sob o ponto de vista político, prefeitos, governadores e parlamentares perderam influência no comando central, passando a enfrentar dificuldades para liberar recursos ou aprovar projetos, refletindo nas atuais campanhas e cortes de verbas para os movimentos sociais e sindicais que representam a principal base de sustentação política e as famosas 'boquinhas'do partido), Luiz Inácio Lula da Silva,  fundador do PT e do maior projeto criminoso de poder, até hoje implantado no Brasil, continua subindo em palanques de 'companheiros', como em São Paulo, onde pede votos para o prefeito Fernando Haddad que, hoje, amarga um quarto lugar e dificilmente decolará, a exemplo de outros candidatos insistentes (a maioria migrou para outras siglas tentando fugir da maldição) que domingo sofrerão o estigma de um partido fadado a acabar (ou mudar de nome) por causa de tanto estrago causado a milhões de brasileiras e brasileiros.

domingo, 25 de setembro de 2016

PRA COMEÇAR A SEMANA

A chance de o Rio de Janeiro pagar o 13° salário este ano é igual a zero. Já em Quissamã, com toda crise nacional, os servidores vêm recebendo em dia. Pagamentos, tickets, vale-transportes, metade do décimo, etc.

terça-feira, 20 de setembro de 2016

VOTO CONSCIENTE

Quando se trata de política, principalmente, em período de campanha eleitoral, véspera de eleição (faltam 12 dias) como agora, uma das frases mais ouvidas é faça um voto consciente. Em casa, nas ruas, nas escolas, nos locais de trabalho e na mídia é comum se deparar com o clichê. A todo momento, macifica-se a importância de votar, o gesto como uma questão de cidadania, um direito social conquistado a duras penas, a expressão da vontade popular, soberana em uma democracia, blá, blá, blá  (com todas as vênias às boas intenções de todos que as proferem). Mas a verdade é que tudo é muito mais fácil falado, isto é, no discurso repleto de palavras bonitinhas, o politicamente correto, mas na hora H têm prevalecido os interesses particulares ou o desinteresse  provocado pela descrença na classe política e corrupção quase desenfreada de norte a sul, da esquerda e da direita e nas instâncias ou entrâncias maiores ou menores. Salvo exceções, tanto dos eleitores conscientes, quanto dos poderes que se esforçam para tratar da coisa pública como de todos. Mesmo! (E salvem as baleias!) E daí, o que pode ser feito para todo preâmbulo não ser apenas retórica e velho clichê? Existem passos a serem seguidos para se votar com consciência? Quais você deve seguir para ter certeza de que está fazendo uma boa escolha? Vamos aqui trazer algumas ideias que você deve ter em mente na hora de escolher seus candidatos. Alguns pontos para observar antes de definir seu voto:
1) Conheça os cargos a que os candidatos a prefeito e vereador estão concorrendo. Ambos possuem diferenças entre si, quanto aos deveres e responsabilidades desses dois agentes públicos, além do sistema eleitoral sob o qual cada um é eleito. Muitas vezes um candidato pode ser uma ótima pessoa, mas simplesmente não ter perfil para o cargo a que está concorrendo;
2) Conheça os candidatos, partidos e/ou coligações. As propostas principais de cada candidato, a verdade nas palavras e ações, vendo com quais delas você mais se identifica. A afinidade ideológica é muito importante, afinal existem grandes ideias sobre a melhor maneira de se gerir uma sociedade. Entretanto, ainda fica faltando considerar um aspecto importante: a lisura do candidato. Seria aquele um candidato corrupto, interessado apenas no que ele pode ganhar para si com a política? Se é Ficha Limpa, tem pendências no TSE (o Tribunal Superior Eleitoral mantém um site com diversas informações sobre os candidatos durante as eleições). Outros pontos importantes são saber a história do candidato, em detalhes, revelando coisas importantes sobre o passado e suas convicções, dando uma ideia melhor sobre sua aptidão ao cargo em questão e em que partido ele milita? Este partido formou coligações com outros partidos? Quais foram eles e se estão envolvidos com episódios, não recomendáveis, em se tratando de ética, moral, malfeitos, por exemplo, propinodutos, impeachments, mensalões, petrolões, etc.? Ou o contrário, o que o partido do candidato - que você está de olho - tem feito para melhorar a política e a vida de brasileiras e brasileiros? Tudo isto é importante, afinal não há candidaturas independentes no Brasil. 
3) Conheça as regras do jogo, pois as eleições podem ser encaradas como um grande jogo, uma disputa condicionada a um conjunto de regras que as tornam (em teoria) mais justas e democráticas. Você sabe como ficaram as regras do financiamento de campanhas? Já ouviu falar sobre o quociente eleitoral, que ajuda a definir quem estará na câmara de vereadores da sua cidade. Sabe como se divide o tempo no horário eleitoral? E o que é permitido ou proibido como parte de uma campanha política (showmícios, distribuição de brindes, etc)? Todos estes detalhes contam bastante e é importante que você como eleitor os entenda.
4) Saiba em detalhes as opções que você tem na hora de votar, como não esquecer os números de seus candidatos. De preferência, anote-os e leve com você no dia da votação. Você pode sempre anular seu voto ou deixá-lo em branco. É um direito seu, apesar de que ambos acabam por invalidar seu voto e ter impacto zero na apuração do resultado (apenas dá uma forcinha para o candidato mais votado). Cabe a você decidir se anular o voto é mesmo a decisão mais acertada.
5) Não venda seu voto. Além de ser, obviamente, uma prática ilegal, tratar seu voto como mercadoria é de um descaso inadmissível. Ao fazer isto, você abdica de seu papel como cidadão. A democracia é jogada no lixo.
Estas são, apenas, algumas 'dicas' para que se exerça a cidadania em toda sua plenitude, obtendo, assim, um efeito melhor e uma relação entre o eleitor e quem deverá representá-lo nos próximos quatro anos. Bobagem ignorar tais aspectos. Muitos acreditam que não faz a menor diferença gastar tempo pensando nos melhores candidatos – afinal, dizem, 'eles são todos iguais e no fim das contas sempre se revelam corruptos'. A verdade é que um voto consciente sempre será melhor do que um voto não consciente: um voto vendido, anulado, ou feito na brincadeira. Se existem problemas que precisam de uma mudança que vai além da consciência ou da instrução dos eleitores, eles não podem impedir ninguém de exercer sua responsabilidade como cidadão. Sendo, assim, nestas eleições, não se esqueça: vote consciente!

DEBATE EM QUISSAMÃ

Se é bom pra Quissamã (aliás, como parece), o debate político entre os candidatos a prefeito do município do Norte Fluminense, que acontece, daqui a pouco (18:30 no IFF), pode ser uma oportunidade a mais para se conhecer propostas, ideias, realizações, enfim, verdades sobre o momento vivido pela população de lá. Às quais o blog e todos temos grande interesse de conhecer.

domingo, 18 de setembro de 2016

PRA COMEÇAR A SEMANA

Quando uma história começa a ter vírgulas demais, é porque está chegando a hora de colocar um ponto final.

LULA LELÉ

Agora não há mais dúvidas: Lula é, mesmo, corrupto, o principal mentor do maior projeto criminoso de poder instalado no país para achacar, desviar, proteger companheiros, enfim, roubar o dinheiro de milhões de brasileiras e brasileiros e maluco . Acusado (com dezenas de provas apontadas pela Operação Lava Jato) de ser o comandante máximo do esquema de corrupção na Petrobras, ele, além de continuar tripudiando a população, o governo que assumiu, de maneira constitucional, e a Justiça, agora diz que vai a pé para Curitiba, se entregar à polícia, se provarem que ele é corrupto. É bom que a PF, no dia de efetuar sua prisão, leve algemas, um bom 'sossega' e uma camisa de força bem reforçada porque, definitivamente, Lula sofre das faculdades mentais. Ou continua pensando que é "O Cara", somos todos um bando de idiotas que vai cair em mais um de seus delírios e na sua tentativa de martirização.

quarta-feira, 14 de setembro de 2016

MOVIMENTOS PELO BRASIL

Depois de Dilma Rousseff, a ex-queridinha do PT, esquerdopata e gerentona que mostrou não saber administrar nem uma loja de 1,99 e, por isto, quebrou a firma (e quase quebra o país), agora foi a vez do deputado Eduardo Cunha perder o poder, a arrogância, a soberba - esperamos que grande parte do que, supostamente, também surrupiou da nação -  e cair do cavalo. E tudo como manda o figurino, ou seja, a Constituição Federal que determina o impeachment para mal-intencionados, incompetentes, 'cumpanheiros'...ladrões  e feito nas duas Casas que, embora não sejam nenhum exemplo de candura, nenhuma Brastemp, sábia e malandramente, souberam entender - e atender - a voz das ruas que, desde os movimentos de 2013 (conhecidos como as Manifestações dos 20 Centavos) exigiam um Congresso Nacional começando a trabalhar, de fato, pela população, cortando na própria carne e colocando para fora políticos que, no conjunto da obra, roubam e deixam roubar (se bem que a maioria ainda esteja por aí no senado, nas assembleias e câmaras). Por um placar bem mais dilatado que o fatídico Brasil x Alemanha, na Copa de 2014, os votos dos 450 deputados, contra 10 dos 'amigos fieis' do todo poderoso Cunha - cujo maior legado foi ter iniciado a queda da rainha louca e´por conseguinte, do PT e dos puxadinhos do ladrão-mor Lula da Silva e revelar o verdadeiro valor de um bom trust - mostraram ao mundo que quando a população quer ninguém segura. E quem tem (ou tinha, Cunha), tem medo. Mas para que a coisa prossiga, trazendo resultados efetivos como a retirada do cenário daqueles que cometem crimes, inclusive, de lesa-pátria, são importantes a contínua vigilância e pressão sobre os parlamentares, os protestos pacíficos de ruas, os panelaços e, claro, o trabalho da Justiça (não como aquele do juiz Lewandowski, do STF, que costuma interpretar de maneira equivocada para dar guarida a apaniguados), que investiga, e vem punindo, por exemplo, crimes relacionados ao Mensalão, ao Petrolão e à Operação Lava Jato, aliás, somado ao clamor popular dos últimos anos, um dos mais representativos acontecimentos da história republicana do Brasil que deverá tornar a vida de milhões de brasileiras e brasileiros melhor e mais digna.

QUANDO O POVO QUER

Em tempos de eleições, nada como relembrar o velho ditado: "Quando o povo quer, ninguém segura". Pra quem acreditava que os protestos, iniciados em 2013 (também conhecidos como Manifestações dos 20 Centavos, que foram várias manifestações populares inicialmente surgidas para contestar os aumentos nas tarifas de transporte público, nas principais capitais, consideradas as maiores mobilizações desde as do impeachment de Collor de Mello em 1992 e chegaram a contar com até 84% de simpatia da população), em todo país  - e, até, fora -, logo esfriariam e o poder pelo poder, a prática corporativista dos políticos, os malfeitos na administração pública e a corrupção continuariam prevalecendo, os resultados hoje estão aí: como reza a Constituição (apesar da lambança do ex-presidente do STF, Ricardo Lewandowski, que deu um 'jeitinho' para Dilma não perder os direitos políticos, e do esperneio de alguns gatos pingados do PT e/ou PC do B), os chefes do Executivo e da Câmara federais sofreram o impeachment, conseguindo aplacar parte da insatisfação popular. Sim, isto foi apenas o início, apenas uma parte, pois muito tem de ser feito no sentido de extirpar da vida pública políticos mal-intencionados e colocar, atrás  das grades, ladrões cujo interesse maior vai, exatamente, na contra-mão dos que foram - e ainda irão - para as ruas manifestar sua contrariedade. Mas para isto, as manifestações populares e a vigília permanentes da imprensa e dos formadores de opinião devem continuar, bem como a pressão sobre  a classe política, fiéis representantes do povo que vêm dando provas de temer ( sem trocadilho) a voz das ruas por entenderem tanto seus direitos legítimos como a força que têm através da maior arma de todas: o voto, o escrutínio, o sufrágio, que embora muitas vezes utilizados como sinônimos, possuem significados diferentes, mas que, tal qual os protestos de rua, podem ser utilizados por todos nós, indistintamente e com o mesmo valor.




domingo, 11 de setembro de 2016

SEIS POR MEIA DÚZIA?

Mais uma das grandes excrescências de vossas excelências, os senhores deputados e senadores, será, certamente, mexer nas atuais regras da aposentadoria baseados em um suposto grande déficit na Previdência Social. É sabido por todos que têm um mínimo de bom senso, sensatez e razoável atenção ao que gira ao seu redor que o grande mal que assola o país é a corrupção, a roubalheira e os enormes gastos públicos somados às próprias mordomias dos congressistas, políticos de um modo geral. Posto isto, se houvesse, de fato, interesse dessa camarilha em apurar e punir os milhares de casos de desvio de dinheiro público e cortar na carne os excessos, talvez, se justificasse revisão nas contas da previdência, criação de novos impostos, enfim, aumento, ainda maior, do sacrifício que os milhões de brasileiras e brasileiros fazem ao carregar uma das mais pesadas cargas tributárias do planeta. Mas como a classe de espertos 'representantes do povo' não está nem aí - com excessão de uns poucos -, é bom os trabalhadores, que se sustentam, suas famílias e aos inativos, além de corruptos, narcotraficantes, doleiros e outros do mesmo naipe, estarem preparados para uma possível continuidade de injustiças, tão ou tanto maiores como as praticadas pelo governo que acaba de sair. Ou melhor, ser trocado.

TRAGÉDIA ANUNCIADA EM ICARAÍ

Tudo muito lindo, maravilhoso, como contemplar a natureza, caminhando no calçadão da Praia de Icaraí num domingo assim, apesar da 'batalha' provocada pela campanha política com suas bandeiras, distribuição de material e as intermináveis propostas. Mas é bom que os responsáveis pela manutenção/ instalação/ substituição de postes de energia elétrica - Ampla, prefeitura, etc. - fiquem atentos e mandem inspecionar vários deles que, aparentemente, encontram-se danificados pela ação do tempo e pela maresia, podendo causar uma grande tragédia caso venham a cair. Afinal de contas, é melhor prevenir do que remediar. Sempre.

PRA COMEÇAR A SEMANA

Se o Plano A não deu certo...O alfabeto tem mais 25 letras.

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

COICE NA CONSTITUIÇÃO

Artigos especializados dão conta que o presidente Ricardo Lewandowski (também conhecido como Rolandowski Lero), do Supremo Tribunal Federal (STF), violou a Constituição brasileira ao permtir que a então presidente cassada, Dilma Rousseff, tivesse direitos políticos preservados. Uma excrecência e uma aberração jurídica praticadas, justamente, por aquele que tem a obrigação de defendê-la. O artigo 52 é claro quando reza que, no julgamento: "... funcionará como presidente o do STF, limitando-se a condenação que será proferida por dois terços dos votos do Senado Federal, perda do cargo, ...com inabilitação, por oito anos, para o exercício de função pública, sem prejuízo das demais sanções judiciais cabíveis”. Isto posto, ficou cristalino que o ministro - colocado lá por Lula da Silva - transgrediu, mesmo, as normas constitucionais pois o impeachment e a perda dos direitos são questões indissociáveis. Mas o ultraje à capacidade intelectual (e eu achando que era bom em interpretação de textos desde o ginasial no La Salle) e à paciência de milhões de brasileiros e brasileiras, que acompanharam todo o processo de impeachment, não foi praticado apenas por Lewandowski. Ele teve coparticipantes e, em se tratando da instituição Casa Alta - onde algumas das mais altas maracutaias são chanceladas -a ajuda de criminosos da mais alta canalhada, entre eles Renan Calheiros, do PMDB, que, com a CF de 88 na mão, bradou a todos que discordava do provérbio nordestino "após a queda, o coice" e, portanto, após a cooptação (supostamente baseada nos velhos acordões) iria votar para que a aliada petista Dilma Rousseff continuasse a ter direito a uma estrutura, pasmem, garantida a ex-presidentes, como a um quadro de oito servidores - quatro seguranças, dois assessores, e dois motoristas - e dois carros oficiais que vão atendê-la em caráter vitalício - para toda vida -, além de não ficar inelegível, tampouco impedida de exercer qualquer, isto mesmo, qualquer função ou cargo públicos em qualquer esfera de poder. Não que o malandro, fanfarrão e alvo de 18 processos de investigação no STF, em parceria com o deputado Eduardo Cunha, seja bonzinho. Certamente, foi para se beneficiar de benesses, benevolências e outras formas de mamar nas tetas de um governo. Não importa o partido.  Em se tratando de desrespeitos à lei, com superfluidades, conveniências, trapaças, negociatas e profundos tumores provocados pela corrupção e ganância pelo poder, todos, devidamente, acobertados pelas três instituições máximas e seus 'chefes', resta à população e sua impoluta boa fé, rezar para que algo de bom aconteça, de verdade, derrubando a regra de Lima Barreto que diz:: "Troça e simplesmente troça, para que tudo caia pelo ridículo". E para que tenhamos nos livrado de projetos criminosos como os do PT de Lula e Dilma e, em breve, de gente como Lewandowski, Renan, Cunha e tantos outros companheiros acostumados a cometer 'equívocos' cujo resultado é um país desprotegido, com instituições mais desacreditadas.


domingo, 4 de setembro de 2016

PRA COMEÇAR A SEMANA

Sempre há dois lados: o da verdade e da mentira. Vá sempre pelo caminho correto, o da verdade! Mas quer saber porque você deve escolher esse caminho? Leia frases sobre a verdade e faça a sua escolha, inclusive, na hora de decidir em quem vai votar!

1- Uma verdade enfraquece quando tenta esconder uma única mentira, e uma mentira fica mais poderosa quanto mais verdades tenta esconder.

2- Não há uma verdade única. Há uma verdade por dia, ou pior ainda, mais complicado: uma verdade por hora, as vezes até mil verdades num minuto.

3- Duas semi-verdades não fazem uma verdade.

4- Cada um tem exatamente o que cativou, e cada um é responsável pelo que cativou; não suporto falsidade e mentira, a verdade pode machucar, mas é sempre mais digna.

5- A verdade dói, a mentira mata, mas a dúvida tortura.

6- A verdade de outra pessoa não está no que ela te revela, mas naquilo que não pode revelar-te. Portanto, se quiseres compreendê-la, não escute o que ela diz, mas antes, o que ela não diz.

7-  Numa época de mentiras universais, dizer a verdade é um ato revolucionário.

8-  Um homem nunca deveria ter vergonha de confessar que errou, pois na verdade é como dizer, por outras palavras, que hoje ele é mais sábio do que foi ontem.



quarta-feira, 31 de agosto de 2016

AMIGOS DO GALLO

O nome não é uma sugestão para nenhuma agremiação carnavalesca de Niterói, mesmo porque ele já é criador e patrono da Banda do Ingá. Mas nós, os muitos amigos do vereador Luiz Carlos de Freitas Gallo, não poderíamos deixar de comparecer ao evento, no último sábado, no bairro que o notabilizou Niterói à fora.
     O presidente do PPS, deputado Comte Bittencourt, também levou seu abraço ao vereador Gallo