quinta-feira, 24 de maio de 2018

BRASIL MAIÚSCULO

O Congresso Nacional é constituído por 81 senadores e 513 deputados, ou seja, um número de pessoas privilegiadas, cheias de mordomias que, na maioria das vezes (os poucos dias que lá estão), produzem pouco - quando produzem - fazendo daquilo lá um grande balcão de negócios onde só se pensa política 24 horas por dia. Não a verdadeira política (com "P" maiúsculo) como arte de conciliar as divergências em prol do bem comum e, sim, a mais pura 'politicagem' hoje, exercida pela grande maioria, não só daquela Casa de Leis como de quase todos os legislativos (com "l" bem minúsculo), ou seja, assembleias e câmaras municipais onde toda a malandragem e roubalheira ( com "M" e "R" bem maiúsculos) têm início. Por causa de tudo isto, o País chegou onde chegou, desacreditado, por conseguinte, caótico em diversos setores, inclusive o pior de todos que é o desemprego (milhões de pessoas desistiram de continuar procurando emprego). Mas não é só: a inércia dos políticos, neste período - pois só pensam em suas reeleições - e o pouco interesse em trabalhar levou o governo, entre outras coisas, a fechar os olhos de vez para questões importantes como, por exemplo, os reajustes constantes dos preços dos combustíveis, especialmente, o do óleo diesel, vital para o transporte de cargas uma vez que o Brasil foi transformado, há quase um século, em rodoviarista e se ele não é feito (hoje, 24, o movimento atinge seu 4° dia), como agora, acontece isto: o Brasil, praticamente, parou. O motor, fraco pela corrupção, pelo desvio de tanto dinheiro público, tantos gastos excessivos, tanta dívida interna e tantas outras dificuldades para fazer o veículo continuar a andar, fundiu de vez. Mas há uma boa oficina perto da casa de todos nós que são as cabines de votação no próximo dia sete de outubro quando poderemos - e devemos - escolher bons motoristas para recolocar o País numa estrada bem pavimentada que leve seus passageiros ao caminho da Ordem, do Progresso e da Esperança. Tudo com letras bem maiúsculas.

PREVISIBILIDADE

Quando não se tem mais argumentos, o jeito é apelar. Muitos partem para a agressão, física, moral, psicológica ou até mesmo para se justificar o injustificável, falando bobagens nas quais ninguém acredita mais. Como vem fazendo o presidente Michel Temer que tenta usar de qualquer recurso para continuar enganando a população fragilizada, exatamente, pelas mentiras, pela corrupção e pelo próprio governo que chega a um final melancólico e sem credibilidade alguma. Uma de suas últimas tentativas desesperadas para reverter o quadro caótico provocado por ele e seus antecessores - aliás parceiros e cúmplices de longa data, como o PT - é continuar praticando a politicagem a qual se acostumou e usar de  terminologias que, além de injustificável, se caracteriza pelo mais autêntico "embromation", ou seja, aquele que não diz nada, vai do nada ao lugar nenhum. Pior, em nada melhora o País. Exemplo maior tem sido vociferado por representantes do governo que alegam que a culpa dos problemas consiste na " falta de previsibilidade" para conter os preços dos combustíveis, inclusive do diesel utilizado por milhares de caminhoneiros que vêm paralisando todo o País, algo previsível e visto por todo mundo. Há muito tempo. Menos o atual governo que, previsivelmente, só olha para o próprio umbigo e para aquilo que lhe garanta o bem-estar atual e futuro.

PONTO MORTO

Segunda-feira, (21), ao passar pela BR-101, por volta das 5 da manhã, deu pra ver o que vinha por aí, e nos próximos meses, em termos de repúdio ao governo e às políticas econômicas implementadas a partir de vários reajustes de preços. Durante boa parte do percurso (viajava de Niterói para Quissamã), vi que algumas categorias já estavam se mobilizando para reivindicar seus direitos -  muitos, aliás, num país injusto, corrupto e que costuma jogar a conta, sempre, nas costas de quem produz - e os caminhoneiros são um dos segmentos mais expressivos, uma vez que o transporte de cargas por aqui representa ( me corrijam se estiver errado) quase 80% da produção nacional e o (des) governo Temer tem deixado tudo que lhe interessa "correr frouxo", como o aumento dos combustíveis e, neste particular, do óleo diesel, vital para quem trafega por estas nossas estradas perigosas, cansativas, caras e desproporcionais pelos preços praticados e os serviços oferecidos. Naquele hora da madrugada, via-se caminhões e centenas e centenas de brasileiros, que trabalham duro, de sol a sol, muitas vezes dia após dia, fazendo o que a maioria do país teria de fazer, isto é, cruzando os braços de maneira pacífica, sem prejudicar ninguém, mas mostrando sua contrariedade a um sistema perverso, acostumado a fazer o que quer, a hora que quer, mandando a conta por tanta corrupção e injustiças para quem produz, seja nas estradas, seja fora delas. Tomara que a paralisação, que vem ganhando força e um número cada vez maior de adeptos - apesar dos muitos prejuízos, necessários quando se tem objetivos tão nobres (os 'caras' só querem ter o direito de trabalhar dignamente) represente a volta daqueles movimentos populares que abalaram os alicerces da República,  propiciando olhares mais atentos da Justiça com consequências imediatas, o início da grande faxina nacional, na política e em boa parte de outros setores - como os empresariais acostumados à prática do 'é dando que se recebe' - e, claro, faça com que o governo, mesmo ao apagar das luzes e sendo ele impopular, corrupto, perdulário, ineficiente, ineficaz e, agora, inconsequente, reflita sobre mais este grande problema causado pela falta de sensibilidade em saber que quando se para de transportar os produtos pelas estradas, o comércio para, os veículos param, o País, praticamente, todo para. Sendo assim, Temer, Padilha, Moreira e demais membros do governo mais impopular, corrupto, perdulário, ineficiente, ineficaz e inconsequente de todos os tempos, façam o que vocês não fizeram nestes dois anos desde que saíram dos bueiros, ops, dos bastidores e do papel de coadjuvante do PT (se é que o PMDB/MDB algum dia o foi), mexam-se, parem de só pensar na politicagem e em seus próprios interesses e tirem os traseiros das cadeiras para acabar com o protesto pela alta do diesel e mais este caos provocado por serem tão impopulares, corruptos, perdulários, ineficientes, ineficazes, inconsequentes. E parados.


segunda-feira, 21 de maio de 2018

PRA COMEÇAR A SEMANA

Aos amigos, a lei. Aos inimigos, o rigor da lei. E àqueles que não são do grupo, sempre, a injustiça.

quinta-feira, 17 de maio de 2018

PANORAMA

 20 ANOS EM 2 (DE ATRASO)

O governo de Michel Temer tem sido apontado como um dos piores da história do Brasil. Sem falar na (im) popularidade do presidente cujo índices de  (des) aprovação - para ambos - não têm mais como despencar. O festival de erros sucessivos e desmandos - sem falar nas muitas denúncias de corrupção, aumentos de preços constantes, paralisação de obras e projetos importantes e na insistência de aprovar reformas  - chegou a um ponto tão crítico que até para marcar seus dois anos (o impeachment de Dilma completou seu segundo "aniversário" dia 12) à frente do governo os marqueteiros criaram um slogan de fazer inveja a qualquer oposição que se preze. E tudo por causa do próprio governo desastrado, desarranjado e no apagar das luzes típico de um fim de festa e, no caso da peça publicitária em questão, de uma vírgula em uma frase mal formulada em um convite. Para uma cerimônia comemorativa dos dois anos do atual presidente no cargo, foi redigido e distribuído um convite com os seguintes dizeres: “O Brasil voltou, 20 anos em 2”. A ideia era dizer que em apenas dois anos o país voltara aos trilhos e à retomada do crescimento da economia e da ordem política. Mas numa sociedade em que a dubiedade impera, não deu outra. A mensagem passou a impressão – até mesmo para Michel Temer – de que o país regredira duas décadas em sua gestão (o que para muitos é a mais pura verdade). Um convite oficial com texto dúbio. Não poderia haver desastre maior. E Temer não gostou nada da escorregada no português. O marqueteiro do Planalto Elsinho Mouco (palavra que em nosso idioma significa “surdo”) e também o ministro de Minas e Energia, Moreira Franco (palavra que em nosso idioma significa “verdadeiro”), foram chamados para ouvir uma bronca de Michel Temer (palavra que em nosso idioma significa “recear”). Esperneios e demissões à parte (o redator do convite já foi demitido), o alerta e o dedo em riste de Temer nas caras de Franco e Mouco só serviram para comprovar, mais uma vez, que o governo é oportunista, incompetente, desleixado, casuísta e desleixado. Bem como corrupto e totalmente desacreditado ao ponto de o País não ver a hora de chegar o 1° de janeiro quando deverá tomar posse um novo governo constituído por pessoas eleitas pelo voto da maioria. 

COMPARTILHAR SEMPRE

Tem viralizado nas redes sociais uma mensagem em que o (s) autor (es) chama (m) a atenção para a pouca - ou quase nenhuma - importância que os brasileiros vêm dando aos abusivos aumentos de preços autorizados pelo atual governo nos últimos meses (reajustes salariais em nenhuma esfera federal, estaduais e municipais). Diz o texto: gasolina comum quase R$5; planos de saúde bem maiores que a inflação acumulada; contas de luz, cerca de 25%; tributos, de um modo geral, incompatíveis com a realidade de desemprego e inflação disfarçada e tantas outras formas de se meter a mão no bolso de milhões de famílias desesperadas pois não conseguem ficar adimplentes e honrar com seus compromissos ( diferente do que alguns pensam, o povo brasileiro se sacrifica para manter o 'nome limpo')". E continua: - Nenhuma greve....nenhum dia sem abastecimento...O que acontece com o povo brasileiro? Vai continuar sendo esse cachorrinho manso que não se rebela? Continuar aceitando ser palhaço e pagando a conta da corrupção? Cadê o #vemprarua??? Cadê os batedores de panela? Quem vai nos defender??? Nós mesmos!"
Apesar de ser redundante e meio injusto, se pretende insinuar haver generalização (muitos vêm fazendo sua parte, até nós aqui neste modesto espaço), as palavras servem para reforçar algo que boa parte da Justiça, dos veículos de comunicação e, até, as próprias redes fazem todos os dias ao publicarem palavras de ordem contra a corrupção institucionalizada e enraizada para defender os interesses de políticos e outros acostumados à boa vida propiciada pelas 'canetadas' - muitas, aliás - mantenedoras da roubalheira em que transformaram o País. Agora, se pretendem mobilizar a população para denunciar, ainda mais, os muitos crimes praticados nos Três Poderes, a malversação de dinheiro público, o toma lá dá cá flagrante no Congresso Nacional, nas assembleias, nas câmaras, nos governos estaduais e prefeituras, o perdularismo, o nepotismo e a importância de se refletir bem em quem votar nas eleições (nas duas que acontecem de dois em dois anos), estamos de acordo e dispostos a continuar exercendo esta que é nossa obrigação profissional e, antes de tudo, cívica porque pretende deixar um mundo e um Brasil melhor para tantos quantos pudermos.  


LULA "SEM PROTEÇÃO"

A 6ª Vara Federal de Campinas, no interior paulista, suspendeu todos os benefícios a que Lula (PT) tem direito como ex-presidente, com exceção da casa, comida, roupa lavada e demais benefícios dos quais "faz jus" como chefe da organização criminosa e por ter surrupiado milhões de reais da Nação através da lavagem de dinheiro e corrupção praticada pelo capo. Entre outras coisas, o juiz Haroldo Nader determinou que a União retire do ex-presidente um cartão corporativo, quatro seguranças, dois motoristas e dois assessores. No pedido, o magistrado defende que os benefícios não seriam mais necessários em virtude da prisão do ex-presidente, que desde o dia 7 de abril cumpre pena estabelecida pelo juiz Sérgio Moro na carceragem da Polícia Federal, em Curitiba (PR). Em sua decisão, o juiz diz que ocorre desvio da finalidade, custeados pelo erário, com a manutenção e custeio de seguranças individuais, veículos com motoristas e assessores, “a um ex-presidente que cumpre pena longa, de 12 anos e um mês de reclusão, mesmo que com a possibilidade de progressão, além de mera expectativa no momento, ocorreria apenas após mais de dois anos”.Ele também ressalta que Lula está sob custódia permanente do Estado, em sala individual, ou seja, sob proteção da Polícia Federal, que lhe “garante muito mais segurança do que tivera quando livre, com alguns agentes a acompanhar-lhe aonde fosse e ainda justifica que o ex-presidente não precisa dos dois veículos, uma vez que qualquer deslocamento dele só ocorrerá “sob escolta da Polícia Federal.” Em relação aos assessores, o despacho informa que não há justificativa razoável, já que o ex-presidente está detido, apartado dos afazeres normais, atividade política, profissional e até mesmo social. Ao final do despacho, o juiz Nader diz que o Ministério Público Federal pode solicitar vistas do processo, e que caberá à União a suspensão imediata dos benefícios.

PARTIDO DA BOQUINHA


Mas como o PT de Lula, da senadora Gleisi Hoffmann e da 'companheirada' (que ainda sonha em um dia voltar às origens das boquinhas e às muitas incoerências políticas) não desiste nunca - tampouco aqueles que acreditam num grande complô e na teoria da conspiração contra eles, alguns dos muitos advogados caros e renomados de Lula e do partido publicaram uma nota falando da decisão que, para eles, causa “perplexidade”. Os advogados alegam ainda que “nenhum juiz pode retirar direitos e prerrogativas instituídas por lei a ex-presidentes da República”. Em nota publicada na tarde desta quinta-feira (17), os advogados citam parecer dos professores Lenio Luiz Streeck e André Karam Trindade sobre a matéria, em que afirmam que as prerrogativas são “vitalícias e não comportam qualquer tipo de exceção”. E mais: - A ação em que foi proferida essa decisão tem manifesto caráter político, já que promovida por integrantes de movimento antagônico a Lula e com o claro objetivo de prejudicar sua honra e sua dignidade. Lula teve todos os seus bens e recursos bloqueados por decisões proferidas pela 13ª. Vara Federal Criminal de Curitiba e pela 1ª. Vara de Execuções Fiscais Federais de São Paulo, não dispondo de valores para sua própria subsistência e para a subsistência de sua família e muito menos para exercer a garantia da ampla defesa prevista na Constituição Federal. A decisão agora proferida pela 6ª. Vara Federal de Campinas retira de Lula qualquer apoio pessoal que a lei lhe assegura na condição de ex-Presidente da Republica, deixando ainda mais evidente que ele é vítima de “lawfare”, que consiste no mau uso e no abuso das leis e dos procedimentos jurídicos para fins de perseguição política".


CAÇA ÀS BRUXAS?

Os advogados de Lula, apontado como o idealizador do maior projeto criminoso de poder da história da República, vêm dizendo que o ex-presidente é vítima de Lawfare. Mas que diabo é isso? Lawfare, a grosso modo, é uma guerra travada por meio da manipulação das leis para atingir alguém que foi eleito como inimigo político. É o uso (muitas vezes) abusivo da lei como uma arma de guerra. É a estratégia de utilizar - ou abusar - do direito como um substituto de tradicionais métodos militares para obter sucesso em um conflito. Segundo o site Jusbrasil, "numa democracia é necessário que a lei seja obedecida; o Estado, dessa forma, se vale do uso da lei para atacar aqueles/aquilo que considera como inimigo. Desenhando: dar um ar de legalidade aos abusos. Sabe quando alguém diz que apesar do impeachment ter seguido os trâmites legais, ainda assim ele foi golpe? Tipo quando o diabo, para tentar Jesus, usou as palavras de Deus? Pois, quem defende isso defende que houve, no Brasil, uma lawfare e que Dilma saiu derrotada"... Para os advogados de Lula, há a prática de lawfare, pois, para deslegitimar o ex-presidente, há manipulação do sistema legal, abuso de direito, tentativa de influenciar a opinião pública, judicialização da política e promoção de desilusão popular.  Tudo uma bobagem do tamanho das muitas praticadas pelos 13 anos do partido do 13, o partido da boquinha, vulgo PT. A bem da verdade, isso só chegou ao ponto que chegou porque houve mobilização popular, a Justiça começou a agir pra valer e, claro, o povo acordou e viu que os políticos e seus partidos, praticamente, sem exceção, existem não para nos representar e fazer o melhor e, sim, para se apropriarem do Estado e dos cofres públicos. Assim, pagos por eles, através do muito que a corrupção rendeu - e rende - criam factoides e falam em lawfares e outras tantas expressões para tentar defender o indefensável como foram os crimes praticados por Lula e por todos que o seguiram pelos caminhos obscuros dos mais imundos esgotos de uma República que começa a ser reconstruída.




quinta-feira, 10 de maio de 2018

MEMÓRIAS DE UM CÁRCERE

O ex-presidente de um Brasil que ninguém quer mais (só aqueles que têm mandato, foro privilegiado e levam outras vantagens na Lei de Gérson, certo?), Lula da Silva, completou seu 'mesversário' preso em Curitiba. Mas não numa prisão daquelas típicas para quem cometeu crimes hediondos como ele de, por exemplo, matar milhões de pessoas por falta de uma saúde de qualidade; deixar um legado de milhões de desempregados e milhares de jovens sem educação digna; milhares de pessoas perambulando pelas ruas por falta de políticas sociais de combate às drogas; escândalos como mensalão, petrolão e tantos outros que proliferaram durante o reinado do PT, mancomunado, sempre, pelo velho PMDB (que agora vem travestido de MDB), etc. Para se ter ideia do País injusto em que vivemos, o autor do maior projeto criminoso de poder tem sido mantido numa 'salinha' com todas as regalias que um prisioneiro comum não tem (só os políticos iguais a ele), a um custo de R$ 300 mil, ou seja, caso continue por mais 11 meses, quase R$ 4 milhões. A salinha tem esteira para exercícios diários, uma TV de 32", frigobar (alguém duvida que não rola umas biritas?), visitas a qualquer dia e hora, de "Amante" ou não ( a presidente do PT, Gleise Hoffmann é uma delas) e sabe-se lá mais o quê? Mesmo assim, é bem provável que o maior larápio da história do Brasil ainda esteja reclamando do lugar por não contar com uma academia de ginástica, uma destilaria de bebidas alcoólicas e uma fábrica de charutos cubanos naquele lugar onde ele, certamente, vai comandar a campanha eleitoral e o plano B do partido rumo ao Palácio do Planalto, uma vez que lhe foi negado qualquer habeas corpus até o momento.

AGORA É PRA VALER

Enquanto as pseudo-estruturas partidárias vigentes no País, principalmente, as maiores como PSDB, PMDB, DEM, PP, PSD e até o PT, se digladiam e discutem métodos para herdar os votos do ex-ministro Joaquim Barbosa (recém-sepulto, exatamente, por tais estruturas e métodos), a candidatura do deputado Jair Bolsonaro parece se consolidar ainda mais pois a população tem demonstrado o desejo por outsiders (tanto Barbosa com Luciano Huck vinham bem nas pesquisas) e outros nomes com forte apelo para propor mudança de paradigmas na arte de governar.  Se Joaquim Barbosa preferiu não continuar na "guerra', Bolsonaro vai fazer de tudo para conquistar novos territórios - conquistados ou não - no caso, votos do ex-ministro que, como ele, não está alinhado com os tais esquemas partidários, não tem envolvimento nas denúncias de corrupção, muita estrutura partidária, suporte econômico e simpatia da mídia, mas possui como principal capital o passado limpo e um forte apelo popular em relação a várias propostas factíveis e suficientes para mantê-lo 'vivo'. Além disso, Bolsonaro tem tido coerência, levando-o a desfrutar de credibilidade, principalmente, em relação àqueles que não aguentam mais tanta corrupção, mentira e promessas não cumpridas. Sendo assim, num meio onde predominam as más qualidades, tal qual o ex-ministro que optou nem permitir seu nome na disputa, Bolsonaro deverá sofrer muita pressão por parte dos adversários e também de grande parte da mídia nos próximos cinco meses. Mas como bom soldado, patriota e defensor da ética, da moral e bons costumes, e pela experiência parlamentar de quase 32 anos, muitos acreditam que ele continuará no desafio de chegar ao segundo turno contra alguém do 'velho sistema' que fará de tudo para não vê-lo subir a rampa do Planalto. 


SÁBIAS PALAVRAS

Minha velha e sábia avó - como costumam ser todas as velhas e sábias avós - dizia que "quem com porcos se junta, farelo come"... E deve ter sido este um dos ensinamentos que dona Benedita Gomes, mãe do ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Joaquim Barbosa, deve ter-lhe dado durante a árdua, porém, irrepreensível vida, fazendo-o mudar de ideia em relação às disputas para presidência da República e desistir da vida política. Pelo menos aquela de mandato eletivo, espera-se. Lembro-me muito bem do dia em que ele, durante a posse como presidente do STF, foi homenageado (mais conhecido como cercado de hipocrisia pela maioria) por várias autoridades - felizmente, não pela então presidente Dilma Rousseff que, logo depois, sofreria o impeachment, livrando o País de parte do sofrimento - inclusive, por sua 'mãezinha' (como ele chamou a velha e sábia Benedita várias vezes durante seu discurso como representante maior da Justiça brasileira, esta, sim, com autoridade suficiente para falar) que, entre outras revelações, humildes, sinceras, contagiantes e superemocionantes, disse que tudo que fez pelo filho foi interceder: " O que eu dei foi oração, ele lutou por conta própria”, contou. Todo o Brasil sabe -  e viu durante os muitos embates no plenário do STF, principalmente, contra o lesa-Pátria e arrogante 'colega' Gilmar Mendes - que Joaquim Barbosa, um homem negro e nascido pobre, muito pobre, aliás, de mãe analfabeta, deu duro para chegar onde chegou e tem uma intelectualidade e saber jurídico de fazer inveja a qualquer um, talvez, pré-requisitos demais para receber apoio da classe política que tem, exatamente, isto ao contrário. Todo mundo sabe, também, que dona Benedita deu muito mais ao filho e que o caráter, o discernimento e a grande experiência nos bastidores, ou não, dos podres poderes da República  pesaram, sobremaneira, na difícil decisão de não entrar na disputa pelo PSD, partido ao qual está filiado e que não deve ter feito muita questão de ver alguém apoiado 'pelas massas' tendo chances de chegar lá e causar transtornos, incômodos e estragos na vida mundana de Brasília e no resto profano do País constituído de representações contaminadas por políticos que em qualquer lugar decente estariam passando o resto de suas vidas numa masmorra ou, até, num paredão de fuzilamento. Finalmente, todos sabemos que, numa disputa, pra valer, numa falsa democracia, mas com fortes tendências ao anti-establishment, ou seja, para apoiar qualquer um que tenha indicativos de mudanças do que aí está (o continuísmo, a mesmice, a roubalheira, a corrupção institucionalizada, a transgressão à leis e ao direito de ir e vir) é muito difícil para um outsider ter chances de entrar no 'jogo', sequer chegar ao segundo turno e vencer as eleições. Sendo assim, a classe política atual, aquela desqualificada, desonesta e que torce o nariz para o que chamam de 'direita e moralista e demais', só tem como argumento dizer que Joaquim Barbosa - bem como Jair Bolsonaro - "não tem chance, não tem plataforma, não tem experiência para gerir um País como o Brasil, tem medo, ou deve ter algo estranho que o impede de participar do pleito", como insinuaram outros pré-candidatos, estes sim, estranhos e sem moral para falar de fichas-limpas como Barbosa e Bolsonaro que representam uma grande parcela da população ávida por um Brasil livre de tanta corrupção e desvio de dinheiro público em diversos níveis. Se seus votos irão migrar para Marina, Álvaro Dias, Ciro Gomes ou Geraldo Alckmin, mais alinhados com os velhos esquemas partidários, só o tempo e as urnas dirão.

LUGAR DE CORRUPTO

O Brasil só vai diminuir, drasticamente, os índices pavorosos e escandalosos de corrupção quando alguém tiver a coragem de mudar leis que impedem, por exemplo, que ladrões de dinheiro público que estejam ocupando a chefia de um Executivo, de qualquer das esferas, seja investigado, processado, julgado e preso se for comprovada toda aquela culpa a eles imputada por provas incontestáveis como malas e apartamentos cheias de dinheiro "de origem e destinação desconhecidas" (aliás, por que não pedem a KGB de Putin para dar uma mãozinha pra saber de quem são?). Tudo de maneira automática e célere de modo a não dar-lhes nenhum privilégio que lhes permita continuar ocupando cargos e dirigindo cidades, estados e a própria Nação. Tal como ocorre hoje, onde essa gente desqualificada, amoral, imoral, sem amor à Pátria, sem ética, desumana e, claro, corrupta, lavadraz e gatuna, fica imune às leis e protegida por tais privilégios garantidos pela Constituição e por juízes de instâncias superiores que lhes permitem continuar roubando, mentindo, enganando e gastando mal o dinheiro dos outros. No caso, o nosso, aquele que deveria servir pra melhorar a saúde, a educação, os transportes, os salários, as aposentadorias, a segurança, etc., e não para que os políticos se sirvam dele com faz a maioria por aí.

terça-feira, 8 de maio de 2018

PRA COMEÇAR A SEMANA

Lá em Portugal se diz que visitantes sempre dão prazer. Senão quando chegam, pelo menos quando partem. Por aqui, podemos dizer que os políticos também (principalmente aqueles que só fazem bobagens).

sexta-feira, 4 de maio de 2018

RADICALIZAR É PRECISO?

Muita gente já começa a comparar as campanhas do presidenciável Jair Bolsonaro com as de Donald Trump, ou seja, aquelas que conduziram alguém meio desacreditado à vitória nas urnas. Muita gente começa até a comparar os dois. Apesar de algumas bandeiras semelhantes, as carreiras são bem diferentes pois enquanto um entrou na política após cumprir carreira militar o outro seguiu o caminho empresarial de sucesso até chegar à Casa Branca. Nacionalista, conservador, polêmico, crítico da imprensa e defensor do armamento do cidadão e a imposição de barreiras à imigração. Essa é a descrição do presidente americano Donald Trump, mas pode servir também para retratar o pré-candidato brasileiro em alguns aspectos. Quando comparado a Trump pela imprensa internacional,  o deputado e ex-militar afirmou em redes sociais que é diferente do americano."Há uma diferença enorme entre ele e eu", disse em vídeo postado no Facebook no final do ano passado. "Nos rotulam de populistas e também de extrema direita. Nós não somos isso", afirmou. Com tantas especulações a respeito, o início das campanhas oficiais, o crescimento da candidatura Bolsonaro se consolidando mais, principalmente, após a prisão do líder e quadrilheiro do PT e a surpresa nos dois primeiros anos de governo de Donald Trump (chamado de 'maluquinho' por ter tido a coragem de colocar em prática ações consideradas fortes demais e que contrariavam grandes interesses), pensar nas semelhanças dos dois e na possibilidade de ambos serem colegas como chefes de estado de nações tão complexas e cheias de contrastes como são os EUA e o Brasil (apesar das realidades bem diferentes) é algo que não pode mais ser descartado, nem por especialistas, nem por aqueles que costumam torcer o nariz para a tendência mundial de se acabar com o establishment (nos EUA foram décadas de Bushes e Clintons e no caso brasileiro PT e PSDB que se alternam no poder desde 1994) e dar oportunidade àqueles que mostram algo novo, diferente, às vezes revolucionário como são as propostas de Trump e Bolsonaro. Mas é possível traçar um paralelo entre os dois? Além do discurso inflamado antiestablishment, o patriotismo exacerbados (proteção ao mercado local diante do avanço de empresas chinesas), o armamento da população para combater o terrorismo, no caso americano e a bandidagem, em nosso caso, as barreiras contra imigrantes (proteção de seus países contra a entrada de extremistas), a educação tradicional voltando aos lares americanos do norte e do sul, tem-se o nacionalismo dos dois como principais bandeiras, visto até nos bordões: Trump usa o "América em primeiro lugar" enquanto Bolsonaro defende o "Brasil acima de tudo" e as pessoas querem ouvir isto, seja como grito de guerra, seja como estratégia para se ganhar uma eleição. Se a radicalidade dos dois é a fórmula para se vencer eleições e produzir as mudanças necessárias só saberemos com a vitória de Bolsonaro, em outubro, e/ou com a reeleição de Trump, em 2020. Até lá, ter-se-ão muito chão a percorrer e obstáculos a superar.
Nacionalista, conservador, polêmico, crítico da imprensa e defensor de bandeiras como o armamento do cidadão e a imposição de barreiras à imigração. Essa é a descrição do presidente americano Donald Trump, mas pode servir também p... - Veja mais em https://noticias.uol.com.br/politica/eleicoes/2018/noticias/2018/02/01/jair-bolsonaro-e-a-versao-brasileira-de-donald-trump.htm?cmpid=copiaecola
Nacionalista, conservador, polêmico, crítico da imprensa e defensor de bandeiras como o armamento do cidadão e a imposição de barreiras à imigração. Essa é a descrição do presidente americano Donald Trump, mas pode servir também p... - Veja mais em https://noticias.uol.com.br/politica/eleicoes/2018/noticias/2018/02/01/jair-bolsonaro-e-a-versao-brasileira-de-donald-trump.htm?cmpid=copiaecola

quinta-feira, 3 de maio de 2018

BOLSONARO EM PRIMEIRO

Acaba de sair mais uma pesquisa realizada pelo Instituto Paraná (devidamente registrada no TSE sob o número BR-02853/2018) onde Jair Bolsonaro aparece em primeiro lugar na preferência dos eleitores para a presidência da República. Isto num primeiro cenário só entre pré-candidatos que estão em condições legais, sem trânsito em julgado e, principalmente, fora das prisões. A pesquisa entrevistou 2.002 pessoas com mais de 16 anos entre os dias 27 de abril e 2 de maio em todos os estados da Federação e apontou o deputado, agora do PSL-RJ, liderando com 20,5% das intenções de voto, seguido por Marina Silva (REDE), com 12%; Joaquim Barbosa (PSB) com 11%; Ciro Gomes (PDT) com 9,7%; Geraldo Alckmin, do PSDB, (8,1%); Álvaro Dias, do PV, (5,9%); Fernando Haddad, do PT (possível plano B se for confirmada a Ficha Suja -sujíssima, aliás- de Lula) com 2,7%; Manuela D'Ávila, do PC do B (2,1%); Michel Temer, do PMDB, (1,7%); Flávio Rocha, do PRB (1,0%) e outros nomes citados com 2,9%. Foram realizados três cenários, dois deles sem a presença do ex-presidente Lula, que está preso desde o dia 7 de abril. Nos outros dois cenários, inclusive com a presença pouco possível e muito improvável do autor do maior projeto criminoso de poder, o ex-presidente lidera com 27,6% das intenções de voto contra Jair Bolsonaro em segundo, com 19,5%, seguido por Joaquim Barbosa com 9,2%. Finalmente, num terceiro cenário criado simula-se um apoio do PT ao candidato Ciro Gomes. Aqui, Jair Bolsonaro volta a liderar com 20,7%, porém, apesar do hipotético apoio a Ciro, quem avança são os pré-candidatos Marina Silva (13,3%) e Joaquim Barbosa (11,2%). Também teve outro ponto relevante da pesquisa relacionado à pergunta sobre qual candidato o ex-presidente Lula deveria apoiar caso não concorra. Marina Silva apareceu em primeiro, com 15%; seguido por Ciro Gomes com 11,8% e Fernando Haddad com 11,5%. Como se vê, apesar de ainda faltar um bom tempo para as eleições de outubro - cinco meses costumam revelar muitas coisas e às vezes durar quase uma eternidade - e em termos de previsões eleitorais todo cuidado é pouco. A posição de Bolsonaro está muito longe de ser considerada confortável e ele, pela experiência política que tem, bem como sua enorme legião de apoiadores, sabem bem disso e precisam  manter os pés no chão, mostrando muito mais do que amor à Pátria, respeito às religiões, caça aos desordeiros, aos bandidos, aos corruptos. Precisam, Bolsonaro, sua equipe, seus homens da campanha, os políticos que começaram a se aproximar e, principalmente, os milhões de brasileiros e brasileiras simpáticos a estas ideias, acreditarem que Jair Bolsonaro representa algum tipo de mudança. Para melhor.

O BRASIL QUE (NÃO) QUEREMOS

O Brasil que todos queremos é aquele em que pessoas acusadas de corrupção passiva, organização criminosa e obstrução de justiça, independente do dinheiro e poder que tenham  e cargo que ocupem, não sejam beneficiadas por foros privilegiados e continuem gozando qualquer benefício que os permita ficar livres rindo de nós e fazendo cara de paisagem como se anjos fossem. É o caso do presidente Temer que mesmo com todas aquelas provas - pra lá de robustas - de que praticou diversos crimes ainda tem a desfaçatez de se dizer vítima de "perseguição da PF, da imprensa e dos adversários políticos". Vivemos num país que apesar de todo aquele envolvimento direto dele com lavagem de dinheiro, através de reformas em casas de familiares,transações imobiliárias para ocultar bens, o apoio à empresas ligadas aos Portos, a mala de dinheiro entregue a amigos e assessores, a compra descarada de deputados para arquivar denúncias, a Justiça tem de esperar até o fim do mandato para colocar as garras nele e, esperamos, um bom par de algemas ( ah, não, isso não pode porque é ex-presidente, tem mais de 70 anos, um filhinho de sete anos, etc) ou uma tornozeleira eletrônica (ah, também não porque não fizeram licitação pra comprar) caso se comprove que o ainda presidente Temer fez o que fez e vai pra televisão jurar que não fez nada de errado estando na política há mais de 30 anos. Este é o país que nem eu nem qualquer brasileiro - com exceção dos políticos e demais corruptos - queremos.

quinta-feira, 26 de abril de 2018

NO PAÍS DOS BACHAREIS E CORRUPTOS

O saudosismo bateu e nos levou a lembrar do tempo dos nossos pais e avós, quando se pretendia um futuro melhor em termos de educação e a qualificação profissional, o chamado curso técnico, eram uma das grandes possibilidades para que o filho (a) alçasse uma boa colocação no mercado de trabalho. Muitos foram aqueles que conseguiram êxito, mesmo estudando em escolas públicas e, ao fazer um profissionalizante, uma escola técnica ou até um daqueles cursos por correspondência (redes sociais, Internet, on line sequer existiam a não ser na cabeça de um Júlio Verne), se transformaram em empreendedores ou pessoas realizadas e com bom emprego, não, necessariamente, como advogados, médicos, arquitetos, engenheiros, dentistas, psicólogos, assistentes sociais, terapeutas, fisioterapeutas, jornalistas (aí já é demais) - só para citar algumas - ou qualquer outra profissão. Da moda ou não. Público ou privado. Tudo ia relativamente bem, mas veio o tal do boom das universidades, o sonho de ser 'doutor' e a proliferação dos cursos, muitos levando do nada ao lugar nenhum, e aquilo que já apresentava algumas dificuldades em relação ao mercado de trabalho, pois a população crescia, desandou de vez. Hoje, tem-se um quadro caótico de milhões de pessoas, que gastaram milhões e ficaram enroladas com os empréstimos e programas do governo, trabalhando na informalidade, ocupando, muitas vezes, subempregos, vagas as quais não têm muito o perfil, etc. Para se ter ideia dos muitos problemas causados, o curso de Direito se transformou em uma espécie de pátria de bachareis enganados por algumas instituições preocupadas unicamente com o lucro ao ponto de o presidente nacional da OAB, Claudio Lamachia, emitir nota nesta segunda-feira (23) na qual critica as reiteradas autorizações do Ministério da Educação (MEC) à abertura de cursos de Direito. Ele atesta que "ao autorizar a abertura de novos cursos de Direito sem avaliar de forma pormenorizada a necessidade de instalação dos mesmos – ou sem a realização de um chamamento público – o MEC atesta sua permissividade e contribui com a continuidade do estelionato educacional que vem sendo praticado no Brasil". É por aí... De maneira irresponsável, o Ministério permite o funcionamento de instituições sem levar em consideração a qualidade de ensino, a necessidade social e a estrutura mínima para receber os prováveis discentes, tais como a capacidade do mercado para recepcionar os alunos nas atividades de práticas jurídicas. A troca de favores estabelecida ao longo das últimas décadas transformou o Brasil em uma pátria de bacharéis - em todos os níveis -  enganados por algumas instituições de ensino preocupadas unicamente com o lucro. Não houve, de fato, controle efetivo por parte do órgão responsável por fiscalizar a oferta de tais vagas, nem tampouco se observou os pareceres da OAB e outros conselhos e sindicatos para verificar a idoneidade dos cursos e a capacidade dos formandos. Tais atitudes fragilizam a boa formação dos alunos, o que resulta na enxurrada de profissionais diplomados e muitos sem condições de enfrentar a realidade de um mercado de trabalho competitivo ou mesmo de habilitar-se ao exercício da profissão. Diante da crise do ensino jurídico instalada no país, é urgente que o MEC adote uma política pública de fiscalização dos cursos existentes e restrinja novas ofertas, até que se realize um mapeamento com a adequação obrigatória daqueles que não se enquadram nos padrões de excelência exigidos pela sociedade brasileira. Isto pe o certo, Isto é o impossível e o improvável, pelo menos até que se tenha legisladores capazes de pensar no coletivo e não em seus próprios interessses olhando apenas para seus próprios umbigos. Tal qual fazem deputados, vereadores e toda aquela ralé corrupta e sem formação moral.

MARAJÁS

Quando era criança ouvia falar que o Brasil era o país do futuro, que estávamos em desenvolvimento e coisas assim. Já se passou bastante tempo e em muitos aspectos continuamos atrasados e mantendo a cultura dos privilégios, se bem que esta piorou muito desde a volta da 'democracia', das eleições diretas, etc., ou seja, nos últimos 28 anos. Além da corrupção -  este o mal maior do País há pelo menos cinco séculos - e do atraso em relação a serviços públicos oferecidos à população, as eternas mordomias garantidas pela Constituição aos Três Poderes são outra grande aberração que ninguém consegue acabar. Como, por exemplo, o subsídio mensal dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) que, apesar de o teto salarial dos servidores públicos da União ser de R$33.763,00, vive "recheado de penduricalhos" levando o "produto" final a ferir a própria Carta Magna (mais ferida que o touro na arena e que os cristãos no Coliseu) e ultrapassar, em muito, os demais benefícios dos outros mortais. É uma vergonha que o colendo tribunal, o qual tem de servir de parâmetro para os demais e pretenda fazer Justiça, não consiga colocar em votação a regulamentação de matérias sobre benefícios recebidos indevidamente - ou no mínimo imorais - por uma parcela de servidores que vêm recebendo subsídios que ultrapassam o instituto do teto salarial e, até, o limite do razoável num País onde a maioria ou está desempregada ou ganha R$ 954. Ou vive de bico ou nada consegue ganhar. Ou nenhuma das alternativas anteriores porque tem feito alternativas erradas e o resultado é este aí, assistir um grupo de aproveitadores saquearem tudo, resguardarem-se a si próprios e usarem do poder para se dar bem, ganhando salários incompatíveis com a realidade nacional e vivendo de maneira nababesca sob a proteção de um Estado feito de privilégios para alguns e injusto para a grande maioria. Como acontece no STF, no Congresso Nacional, nas assembleias, nos governos estaduais, municipais e até em muitas câmaras de vereadores Brasil afora.



quarta-feira, 18 de abril de 2018

PANORAMA

 TERROR À VISTA

Alô, alô, marciano, aqui quem fala é da Terra. Pra variar estamos em guerra...Durante os dias que passamos na Europa, a música de Rita Lee não nos saía da cabeça uma vez que os noticiários de TV só davam conta do que vem acontecendo na Síria e os desdobramentos que estão por vir. A possibilidade de o confronto interno do governo sírio contra o Estado Islâmico (EI), - uma terrível ameaça a paz mundial que uma senadora do Brasil conclamou recentemente a lutar pela libertação do criminoso Lula -  e até de boa parte da população que quer vê-lo fora do poder, é quase iminente pois há uma enorme preocupação depois que os EUA e seus aliados lançaram mísseis contra o governo sírio do ditador Bashar Assad - "amigo" da Rússia e do Irã - seus 'inimigos' ocasionais. Pra quem procurou uma 'brechinha' na mídia europeia que falasse dos fatos mais importantes ocorridos no Brasil, como a prisão do chefe da maior quadrilha instalada por Lula e o Partido dos Trabalhadores (PT) para roubar dinheiro e sonhos de um povo que não aguenta mais tanta corrupção, ligar a TV ou comprar jornais com esta intenção foi tão inútil quanto os apelos que a tal senadora petista e seus cúmplices vêm fazendo para libertar o ex-presidente condenado, por enquanto, a 12 anos e 1 mês e os advogados para que se conceda um habeas corpus a ele, que tal qual o EI "tocou muito terror" por onde passou.

DESESPERO DO PT

E pra não dizer que não damos nomes aos bois (e até às vacas quando necessário), que coisa ridícula e sem propósito para o País o que fez a presidente do PT e senadora da República, no caso Gleisi Hoffmann ( não que a "Amante" seja qualquer tipo de vaca), ao gravar um vídeo para a rede de TV Al Jazeera, afirmando que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva é um “preso político” e convidando “todos e todas” para se juntarem à luta em apoio ao petista que foi condenado a 12 anos e um mês de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro. O vídeo vem viralizando na internet pois nada mais agressivo e patético - um verdadeiro tiro no pé - do que usar um canal de TV árabe para tentar enganar pessoas que não estão nem aí para estes problemas brasileiros, se Lula 
"é um grande amigo do mundo árabe e que, ao longo da história, o Brasil recebeu milhões de árabes e palestinos e que foi o único presidente que visitou o Oriente Médio", como afirma Gleisi, aliás, processada  pela Lava Jato ao lado do marido, Paulo Bernardo, que também tem outras pendências na Justiça. Coisas assim mostram o quão desesperados estão os 'caciques' do partido que ludibriaram milhões de brasileiros e brasileiras durante anos e que agora têm a petulância de querer enganar os árabes, algo que não vão conseguir pois aquele povo sabe muito bem quando se vale a pena defender uma causa e conhece guerras como ninguém, seus estragos, consequências, verdade e mentiras, etc.


A FORCEPS

Como tudo relacionado ao PT é mesmo a corrupção, a vontade que tem de dar a volta por cima (o que a maioria da população vem dando sinais que não acontecerá tão cedo, haja vista os últimos resultados das eleições) e a libertação de um Lularápio "vitimizado pelo sistema" como gostam de dizer, não tem faltado exemplos de desespero. Além da forçação de barra de políticos petistas, com suas intermináveis cenas do mais puro histrionismo, dos vídeos postados o tempo todo nas redes sociais e até em cenas de agressão às pessoas e o patrimônio público e particular, algumas de suas cabeças coroadas têm ruminado e vociferado que Lula “foi condenado por juízes parciais” e critica a imprensa. - A prisão de Lula é a continuidade do golpe que se iniciou em 2016, com a retirada da presidenta Dilma do governo. Ela não cometeu nenhum crime, assim como Lula também não cometeu. É um preso político. Ele é inocente", dizem. E mais. Tentam pegar carona em crises e decisões políticas de interesse nacional como as reformas e possíveis privatizações pretendidas pelo governo as quais dizem pretender retirar direitos dos trabalhadores, como as trabalhistas e da Previdência ( nisso eles têm alguma razão) e liquidar o patrimônio nacional, como a Petrobras, entregando nossas reservas de petróleo à multinacionais, coisas que devem ser discutidas, sim, pelo futuro e legitimado governo e não pelo PT, sem moral, desacreditado e corrupto, tampouco pelo PMDB e seus asseclas fisiológicos.

MAUS EXEMPLOS

Como bons brasileiros, patriotas que se preocupam com tudo relacionado ao seu País, estando onde estiverem, não deixamos de acompanhar os acontecimentos mais expressivos dos últimos dias, à exceção da permanente contra Lula, exemplo maior de que alguma coisa está mudando. Para melhor. Mesmo porque nossos contatos e fontes não deixam e a internet nos facilita a vida. Sempre. Além das muitas 'palhaçadas petistas', aqueles FEBEAPÁS ( festivais de besteiras que assolam o país, do saudoso Stanislaw Ponte Preta), outros fatos relevantes mereceram nossa atenção, como a luta dos advogados de Paulo Maluf - condenado a sete anos e nove meses por lavagem de dinheiro -  para que ele continue cumprindo prisão domiciliar - decisão que foi adiada pelo Supremo Tribunal Federal (STF), aquele que costuma fazer longos debates sobre assuntos e temas óbvios e, muitas vezes, decidir não decidir nada tão cedo. Como vem fazendo no caso Maluf e deverá continuar no caso Aécio Neves, agora que receberam a denúncia contra o senador mineiro por obstrução de justiça e mais sete inquéritos e uma ação penal a partir das delações da Odebrecht, do senador cassado Delcídio do Amaral e da delação dos executivos e donos da JBS. Como se vê, por mais milhas de distância que estejamos, não faltam motivos para que estejamos antenados nas questões nacionais, aquelas que, muitas vezes, nos fazem ter vergonha de ser brasileiros mas que não chegam a nos levar à condição de subserviência, nem de permitirmos intromissões em nossos problemas internos pois como dizem por aqui, nesta parte do Velho Continente, roupa suja se lava em casa.

BONS EXEMPLOS


Finalmente, pra não dizer que não falamos de flores - outra música que também vem à mente o tempo todo - poucas coisas podem ser melhores do que passar alguns dias na Itália, país que inspira qualquer um à musicalidade, à cultura e até a política. E seu senso por mais justiça que pulsa por aqui o tempo todo e que se fortaleceu desde quando procuradores deste país resolveram desencadear, em 1992, a operação Mãos Limpas, um modelo que até hoje fascina  o mundo afora e que, certamente, inspirou a nossa que queiram alguns, ou não, tem mudado o cenário nacional ao prender poderosos, diminuir a corrupção e, para nós, o mais importante, mostrando aos jovens que o Brasil pode, sim, melhorar muito mais e que o bem tem de prevalecer. E que lugar de criminoso é atrás da grades.

Pensamento da Semana: 
Cinco Éticas da Vida:
Escute antes de falar; ganhe antes de gastar; pense antes de escrever; tente antes de desistir e viva antes de morrer.






quinta-feira, 12 de abril de 2018

PANORAMA

PLENOS DIREITOS

Tudo bem que a Constituição assegure, por exemplo, a liberdade de locomoção. Ir e vir é um direito fundamental de primeira geração que se goza em defesa da arbitrariedade do Estado no direito de ingressar, sair, permanecer e se locomover no território brasileiro. Este direito encontra-se acolhido no art. 5, XV da CF, no qual menciona ser livre a locomoção no território nacional em tempo de paz, podendo qualquer pessoa, nos termos da lei, nele entrar, permanecer ou dele sair. Até aí, todos nós, de qualquer matiz, preferência política, ou não, entendemos. Só que, neste episódio da prisão do criminoso condenado Lula da Silva, em Curitiba, gostaríamos de saber quando é que aqueles desocupados do MST e do PT vão embora? Quando é que aquela gente, como um tal de Boulos - anarquista que vem se intitulando o plano B para disputar as eleições ao pleitear votos transferidos do ex-presidente - vai voltar pra algum lugar, deixar de fazer algazarra e, quem sabe, trabalhar, aliás, aquilo que muitos que estão na porta da sede da superintendência da PF parecem não saber ou não querer fazer? É ridícula a forma como centenas de pessoas que lá estão acampadas vêm se manifestando, atrapalhando a vida de milhares de pessoas de uma cidade conhecida, principalmente, pela tranquilidade, limpeza e pelo trabalho em prol do desenvolvimento, coisas que os apoiadores de criminosos e defensores de crimes praticados contra a Nação não estão fazendo. Talvez porque não saibam. Talvez porque não queiram. Talvez porque estão sendo pagos. E tudo isto atrapalha um País e uma sociedade que defendem o direito de ir e vir. 

UMA BOA IDEIA

Dia desses, Lula, o criminoso-mor do Brasil, ou melhor, um deles (com a aproximação da eleições vê-se outros despontando, novamente, no cenário político (Collor, Renan, Jucá, Temer, etc., etc., etc...), voltou a dizer que não era mais um ser humano e sim "uma ideia misturada com a ideia de vocês". Isto aconteceu durante o longo discurso que fez em frente ao Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo (SP), quando, pasmem, também se realizava o aniversário de Marisa Letícia, falecida esposa do líder - e ladrão condenado - petista. Após mais um daqueles episódios terríveis, onde costuma-se tirar proveito político de tudo, até da morte de alguém, e se falar de tudo que vem à cabeça, coisas que só mesmo petistas sabem fazer bem, ficamos imaginando qual ideia Lula tinha em mente quando falou aquilo. Se pretendeu mostrar à militância que sua prisão vai provocar uma espécie de 'vitimização', do tipo, quanto mais tempo ficar na cela mais nascerá, mais pessoas vão se mobilizar e até o STF vai repensar discussões sobre habeas corpus para condenados em segunda instância - o que poderá acontecer na próxima semana naquele tribunal onde tudo pode acontecer - é bom ele e seus seguidores não se assanharem pois, se depender da Justiça, leia-se Moro, TRF-4 e centenas de outros bons brasileiros e da maior parte da população, o autor do maior projeto criminoso de poder e de saque aos cofres públicos vai continuar presinho da silva. Como se diz no interior, Lula está mais pra 'cabeça fraca' do que pra alguém que vai se perpetuar como um presidente capaz de proporcionar justiça social, reconhecimento internacional, economia estável, geração de trabalho e renda e, principalmente, integridade e honestidade no trato com a coisa pública, tudo que ele não fez de fato e qualidades que não tem e nunca terá. Nem no pensamento.




SERES DESUMANOS

Quando ouvimos pessoas como Lula e seus discípulos falarem, tais como Gleise Hoffmann, Jaques Wagner, Fernando Haddad, Lindbergh Farias, Guilherme Boulos, Celso Amorim, Gilberto Carvalho e Dilma Rousseff (aí, não, já é demais!), logo nos ocorre a ideia (não a da ameba Entamoeba Lula) de que apenas 10% do nosso corpo é realmente humano. Isto baseado na evolução que nos trouxe mais do que os genes humanos. Com ela vieram os genes dos microrganismos que vivem em simbiose conosco. Tidos no passado como simples parasitas de nossas entranhas, o microbioma hoje é considerado parte intrínseca da condição humana. Enquanto um homem de 70 kg é formado por cerca de 70 trilhões de células, apenas em seu tubo gastrointestinal vivem pelo menos 100 trilhões de bactérias. Os resultados desses sequenciamentos mostraram que, enquanto herdamos dos pais 20 a 30 mil genes, existem em nosso organismo 3 milhões de genes bacterianos. Na verdade, o que chamamos de corpo humano é um ecossistema, atualmente analisado com ferramentas muito semelhantes às dos ecologistas que estudam florestas ou o fundo do mar. Mas a ideia ( não aquela que Lula diz ser hoje) foi sendo refinada e, hoje, estima-se que as células humanas constituem 43% da contagem total de células do corpo. O resto são micro-organismos. É lógico que tais teorias e estudos científicos se aplicam, apenas, em seres humanos normais e não em vermes e parasitas como aqueles do PT, do MST, do PC do B e tantos outros partidos de esquerda e movimentos que se arrastam por aí tentando enganar as pessoas de bem.

PIADA DE SALÃO

É ou não é, piada de salão, o PT querer ganhar eleição...Até que esta marchinha de Carnaval famosa que adaptamos cai bem na conjuntura atual do Partido dos Trabalhadores. Depois de tudo que seus 'caciques' e representantes vêm falando nos palanques montados e nos circo chamados Congresso Nacional, assembleias e câmaras de vereadores, nada mais adequado do que compará-los a coisas no mínimo engraçadas. Como acabam de fazer os deputados do PT na Câmara  que decidiram adotar, desde o dia 10, a palavra “Lula” ao seus nomes parlamentares. A sugestão da mudança foi do deputado Leo de Brito (PT-AC) - um nome quase certo a não se reeleger caso seus quatro anos de mandato tenham sido para fazer coisas como estas. A medida faz parte dos protestos contra a prisão do ex-presidente Lula, que se entregou à Polícia Federal (PF) na noite do último sábado (7), após ter sua prisão decretada. O líder do partido na Câmara, Paulo Pimenta (RS), já encaminhou ofício à presidência da Casa pedindo a mudança. Mas o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), outra aberração nacional, inclusive quando diz querer ser presidente do Brasil, ainda precisa chancelar as mudanças. Caso os ofícios encaminhados a Maia sejam deferidos, o nome de Lula também constará no painel da Casa com os nomes dos deputados do partido.“Ao incorporarmos Lula em nossos nomes parlamentares, vamos contribuir para denunciar aos brasileiros e ao mundo a injustiça cometida contra Lula”, afirma Leo de Brito. O nome de Lula também deve ser acrescido ao nome de parlamentares petistas em Assembleias Legislativas e Câmaras Municipais pelo país. Como dizem os internautas, bons adeptos do whatsapp, kkk...




"Não sou mais um ser humano, sou uma ideia", diz Lula antes de ser preso - InfoMoney
Veja mais em: http://www.infomoney.com.br/mercados/politica/noticia/7367862/nao-sou-mais-ser-humano-sou-uma-ideia-diz-lula
"Não sou mais um ser humano, sou uma ideia", diz Lula antes de ser preso - InfoMoney
Veja mais em: http://www.infomoney.com.br/mercados/politica/noticia/7367862/nao-sou-mais-ser-humano-sou-uma-ideia-diz-lula
"Não sou mais um ser humano, sou uma ideia", diz Lula antes de ser preso - InfoMoney
Veja mais em: http://www.infomoney.com.br/mercados/politica/noticia/7367862/nao-sou-mais-ser-humano-sou-uma-ideia-diz-lula

terça-feira, 10 de abril de 2018

BRASIL SEM ENERGIA

Aproveitando-se do fato de o maior criminoso do País estar, metaforicamente, atrás das grades - já que o ex-presidente Lula, roubando (no sentido de atrair, pelo menos por enquanto) a atenção do País e do mundo permanece numa sala VIP, na superintendência da PF em Curitiba, com todo conforto pois ela é destinada a agentes da instituição que vêm de outros estados a serviço e, portanto, merecem condições adequadas, diferentes do ladrão de São Bernardo- Michel Temer, o outro criminoso, ainda não condenado (até 31 de dezembro), continua à frente da presidência fazendo o que for preciso para preservar seus interesses e de todos os asseclas.  E nada melhor do que a dança das cadeiras dos ministérios para isso que colocou, por exemplo, Moreira Franco à frente das Minas e Energia, uma pasta que objetiva, entre outras coisas, a privatização da Eletrobras e deve herdar o leilão do pré-sal que costuma fazer 'jorrar' muita grana. Não bastasse, a indicação do amigo pessoal e conselheiro do presidente também garante por mais tempo o foro privilegiado ao ministro, já que sua nomeação para a Secretaria Geral era alvo de questionamento no STF por se tratar de uma clara obstrução à Justiça, além de seu possível envolvimento com a Lava Jato onde poderia haver processamento de eventual denúncia criminal e, consequentemente, 'estragos aos negócios da famiglia' , ajudando a derrubar mais cedo a República. Aliás, empurrãozinho este que pode vir de vez caso o STF insista em revogar a prisão de condenados após segunda instância como querem alguns ministros daquela Corte e, agora, um tal de PEN (mais um daqueles partidinhos de esquerda super-radical e de aluguel jogados no cenário de balbúrdia e de desordem para ganhar algum espaço e só Deus sabe mais o que), ambos simpáticos à liberdade para todos os condenados que ainda possam recorrer aos tribunais superiores, um grande retrocesso para a credibilidade da Justiça e uma oportunidade de ouro para Lula e para milhares de "pobres" estupradores, assassinos, sequestradores, corruptos e ladrões de dinheiro público e tantos outros criminosos que, na visão dessa gente merecem ter uma nova chance e responderem em liberdade pelos estupros, assassinatos, sequestros, roubo de dinheiro da saúde, da educação, da segurança, dos transportes, da previdência, et

segunda-feira, 9 de abril de 2018

PRA COMEÇAR A SEMANA

O tambor faz barulho. Mas é vazio por dentro. (Barão de Itararé)

quinta-feira, 5 de abril de 2018

PANORAMA

DEU ZEBRA

Pra quem como eu e milhões de outros seres que não acreditam (vam) na Justiça brasileira, principalmente, quando julgam poderosos, o resultado do habeas corpus de Lulla, pelo Supremo Tribunal Federal (STF), mostrou que lá também costumam  acontecer surpresas agradáveis. O que boa parte do País assistiu (em alguns lugares parecia ate final de campeonato de futebol), na noite desta quarta-feira (04), foi - claro, festival pirotécnico, fanfarrices e bravatas a parte - seis ministros fazendo o que devia ser feito, isto é, dizer que uma das pessoas mais importantes da República cometeu crime e, portanto, julgado em segunda instância, tem de ir pra prisão. Isto porque Rosa Weber (agora, uma das heroinas nacionais), Barroso, Fux, Fachin, Moraes e Carminha, com todo respeito, a presidente do STF, Carmen Lúcia, consideraram que o ex-presidente e chefe da organização criminosa do Petrolão e tudo mais que elle e o PT conseguiram 'abarcar, seduzindo milhões de brasileiros e brasileiras de bem que se deixaram levar pelo projeto de "igualdade social", teve, sim, culpa no cartório e, dependendo do final do jogo - que ainda não acabou pois ainda existem outros 'mecanismos  E que os colegas, Lewandowiski, Toffoli, os Mello (Marco Aurélio e Celso) e ele, o sempre malandro e do contra, GILMAR MENDES, estavam errados ao querer proteger quem tanto mal fez e roubou, direta e indiretamente, da Nação brasileira. Parabéns a estes seis homens e mulheres que decidiram fazer a coisa certa, mostrando que ainda há esperança e que não se pode condenar apenas pretos, pobres e analfabetos, pois isto é o que existe de mais desumano quando se pensa em democracia, direitos humanos e exemplos para as futuras gerações. 


SEMPRE ELE

Não fugindo a sua tradição de egocêntrico, inescrupuloso e manipulador que vai até o fim negando o óbvio, arrastando a massas de ignorantes, analfabetos e brainwasheds, sem medir consequências para o Brasil ( o cara não vê que pode estar gerando fratricídio, guerra civil ou uma justificável intervenção militar?), o ministro GILMAR MENDES parece que vai ter, mesmo, um fim de carreira melancólico. Pra quem, reconhecidamente, tem saber jurídico e uma boa situação financeira, demonstrar tamanha escatologia nos últimos votos teratológicos proferidos quando de julgamentos de HCs (habeas corpus no jargão jurídico), como do empresário Eike Batista; Jacob Barata, o Rei dos ônibus do Rio) e o estuprador doutor Roger Abdelmassih, só para citar alguns, agora que já se aproxima da idade da 'expulsória' e da época de sair da vida pública, nos deixando livres daquela arrogância que lhe é peculiar, pode ter deixado, para sempre, seu nome marcado nos anais da história do momento importante que a Justiça tenta mostrar que lugar de ladrão, estuprador, corrupto e assassino é na cadeia. Uma pena que pessoas que tinham tudo para tomar atitudes acima de qualquer suspeita prefiram cair em desgraça, não se importando com o que dizem, pensam e precisam pessoas que  veem nos ministros de um tribunal superior uma espécie de tábua de salvação, onde vai haver proteção para quem só tem como alternativa o cumprimento de uma lei igual para todos e uma Constituição que as garanta.

DANDO (MAU) EXEMPLO

Dia esses, o"impoluto", o "moralista", o "impecável" presidente da Câmara, Rodrigo Maia, foi pra frente das câmeras de TV e pra trás dos muitos microfones - ambos dos muitos veículos chapa branca  - dizer que não iria abonar as faltas justificadas como atividade política porque senão a Câmara nunca mais daria quórum (número requerido de parlamentares para que seja possível se tomar uma decisão válida). O deputado, cuja cara mais parece uma daquelas bolachas de sal do nosso tempo de criança, disse, também, que só manteria o abono regimental automático a líderes partidários, presidentes de legendas, membros da Mesa Diretora e ex-presidentes da Casa, ou seja, um grande número daqueles parasitas que consomem muitos dos milhões do contribuinte. Sendo assim, as aberrações autoritárias, a gastança de dinheiro público e o desrespeito ao cidadãos que pagam seus impostos e trabalham dignamente, inclusive, cumprindo sua carga horária ( você aí, servidor ou empregado, público ou privado, consegue abonar faltas por ter ido a ' algum compromisso importante como movimento político-partidário', por exemplo?) vai continuar sendo protegido por regimentos internos das Câmaras federal e municipais, Assembleias que ainda servirão para continuar 'inspirando' a farra nos demais poderes, nos governos estaduais e nas prefeituras, todos, sem exceção, cumprindo muito pouco do que delas se espera. 
 No centro de uma das muitas patifarias feitas pela classe desqualificada de políticos (afinal, quem cria as regras e legisla não são eles?), está a senadora Gleise Hoffmann, conhecida como "Amante", presidente do Partido dos Trabalhadores(PT), uma das campeãs de "faltas justificadas" abonadas pelo coleguinha, Rodrigo Maia, do DEM, que ainda sonha em disputar as eleições presidenciais em outubro contra Bolsonaro, Alckmin, Marina, Álvaro, Ciro e os demais menos cotados. Aliás, tão ou menos cotados que os amiguinhos, presidente Temer e ministro Meirelles, do PMDB - atual MDB -; o ex-criminoso Collor; a comunista Manuela; alguém do PSol (quem sabe um tal de Boulos?); Amoedo, Castro ou os outros de um total de 19, agora que Lula já começa a se dizer carta fora do baralho.



terça-feira, 3 de abril de 2018

INSTÂNCIA INFERIOR

O Supremo Tribunal Federal (STF), guardião da Constituição e, portanto, maior instância para que se faça prevalecer a lei - e a ordem - e, em muitas vezes, o bom senso (pois o óbvio não permite teses em contrário, nem discussões acaloradamente vazias, tampouco formas de protecionismo a quem quer que tenha cometido crimes graves visto por muita gente nos dias de hoje) tem sido alvo de muitas críticas por causa da morosidade em relação a julgamentos importantes e, principalmente, pela passividade dos ministros que vêm fazendo daquele tribunal um palanque eleitoral, uma fogueira de vaidades, uma dança das cadeiras ( hoje eu voto assim, amanhã você vota assado, depois de amanhã, nós seis votamos, por exemplo, pelo aumento da criminalidade, pela soltura de condenados, pelo fim da Ficha Limpa, etc. ) e, em alguns casos, um circo onde, além dos quadros engraçados, aparecem até cenas de desaparecimento repentino, onde, dependendo da natureza da decisão, um ou outro some deixando como único vestígio passagens aéreas, reservas em hotéis da Europa, bem como milhões de pessoas (nós, os bobos da corte) na mão. Mas como todo ingresso para qualquer espetáculo tem um preço, a atitude do supremo brasileiro ( que vem merecendo ser escrito assim, em caixa cada vez mais baixa) trouxe como grave consequência um 'pito' nacional dado por mais de 5 mil magistrados e membros do Ministério Público que protocolaram uma nota técnica e um abaixo-assinado para que a corte (em minúsculo mesmo) não mude o entendimento que permite a prisão de condenados na segunda instância da justiça. Se isto vai valer a pena - uma vez que a maioria daquela turma tem certeza que vive no Olimpo - não sabemos. Entretanto, algumas coisas ficaram claras: ainda existe esperança para aqueles que querem um Brasil mais justo e tem muita gente boa e bem- intencionada  por este País que dizem ter grandes diferenças por ser de grandes dimensões, mas que sabemos ser assim por causa de leis ultrapassadas, da corrupção e por termos tanta gente malandra, safada e que, investida de muito poder, vestida de imponentes togas e se fazendo de rogado, ainda defende criminosos, lesa-pátrias, estupradores, assassinos de crianças, velhos, doentes e tudo mais que o dinheiro possa comprar. E matar.


PRA COMEÇAR A SEMANA

Nunca se mente tanto como antes das eleições, durante uma guerra e depois de uma caçada. (Otto von Bismarck) 

sexta-feira, 23 de março de 2018

ILUSTRE SUPREMO

Quem esperava que o uniforme laranja de Lula fosse separado, logo após a sessão do STF desta quinta-feira, caiu do cavalo. Mas só aqueles mais desavisados, que não conhecem, de verdade, como funciona aquele poder e alguns de seus ministros mais 'ilustres', como Gilmar Mendes, Ricardo Lewandowski, Alexandre de Moraes, Dias Toffoli, Rosa Weber, Marco Aurélio de Mello e Celso de Mello que votaram a favor do julgamento do habeas corpus para começar a livrar a cara de um condenado, igualmente, 'ilustre'. Sendo assim, quem, como nós, ainda tinha esperança de ver Lula atrás das grades, com ou sem bola de ferro nos pés, pode se preparar para outra desilusão pois, se depender do STF, nem elle, nem Renan, nem Jucá, nem Aécio, nem Temer nunca serão presos uma vez que muitos que lá estão não têm compromisso com a República, tampouco, com o povo brasileiro.

SALVO CONDUTO

Nós, como a maioria dos veículos, já tínhamos até a grande manchete da semana: SUPREMO NEGA HABEAS CORPUS E LULA VAI PRESO. Mas, aí,como estamos no Brasil, terra das impunidades e de um sistema judiciário, na maioria das vezes - quando se trata de julgar 'gente poderosa' - ineficiente e cheio de brechas, tivemos que baixar as armas e reescrever a história da decisão final do ex-presidente nesta quinta-feira (22) à noite no STF. Por maioria, os ministros do Supremo Tribunal Federal decidiram suspender o julgamento do pedido de habeas corpus de Lula, que será retomado dia quatro de abril. O STF deliberou, também, garantir, por medida liminar, que Lula não poderá ser preso antes do fim do julgamento. O adiamento não impede o julgamento do último recurso de Lula no Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), previsto para a próxima segunda-feira (26). É o último recurso de Lula contra a condenação a 12 anos e um mês de prisão na ação penal do triplex do Guarujá (SP), no âmbito da Operação Lava Jato. No julgamento realizado em segunda instância no TRF-4, em Porto Alegre, Lula foi condenado a 12 anos e 1 mês de prisão, por corrupção. Na primeira instância, o juiz Sérgio Moro tinha condenado o ex-presidente a nove anos de prisão. Em 2016, o Supremo autorizou a possibilidade de prisão de condenados em segunda instância, ainda que o réu recorra a tribunais superiores.

quinta-feira, 22 de março de 2018

MAL DO SÉCULO

Tem gente que ainda duvida, mas, há muito, fazemos parte do grupo que defende que o estresse pode ser contagioso, isto é, o estado emocional pode ser transmitido para pessoas perfeitamente calmas (se é que, no mundo de hoje, existe alguém assim). O estresse atinge cerca de 90% da população do planeta e é conhecido como o causador de muitos problemas físicos e hormonais nas pessoas. Só para se ter uma pequena ideia, a lista de problemas que podem surgir em função do estresse é imensa. Alguns deles são alergias, transtorno obsessivo compulsivo (TOC), transtorno de pânico, infecções causadas por baixa imunidade, depressão, asma, bronquite, contração muscular crônica, enxaqueca, gastrite, obesidade e até alguns tipos de câncer. Quando estressado, você pode ficar com dor de cabeça, dor no estômago e até enjoado, com ânsia. No entanto, poucas pessoas sabem que o estresse também pode causar mais estresse, só que em outras pessoas. Segundo pesquisa de neurocientistas da University of Calgary, do Canadá, publicada na revista Science Daily, o estresse é, de certa forma, contagioso e pode passar de uma pessoa muito irritada para outra completamente relaxada. A experiência foi feita com camundongos e um fato observado pelos cientistas é que os que não estavam expostos a um estresse real apresentaram mudanças no cérebro idênticas aos camundongos estressados. Por mais que a pesquisa tenha sido feita em uma população de ratinhos, o professor Jaideep Bains sugere que as descobertas podem estar presentes também em seres humanos. “Nós, prontamente, comunicamos o estresse às outras pessoas, às vezes sem nem sequer sabê-lo. Existe ainda a evidência de que alguns sintomas de estresse podem persistir em familiares e entes queridos de indivíduos que sofrem de transtorno de estresse pós-traumático. Por outro lado, a capacidade de sentir o estado emocional de outro é uma parte fundamental da criação e construção de vínculos sociais”, afirma o professor. Mesmo o estresse não sendo ainda, oficialmente, considerado uma doença pela Organização Mundial da Saúde (OMS), qualquer pessoa de bom senso - ligada ou não à medicina tradicional - percebe diferenças e sintomas naqueles que vêm sofrendo do mal do século 21.

REI DAS ASNEIRAS

E pra não deixar que alguém se engane e ache o 'velho' Gilmar um cara cândido que não faz nada de errado e não defende interesses diferentes do pleito da maioria da sociedade, a exemplo do que sempre fazem, os coleguinhas da Ascom, do Ministério Público Federal nos enviaram uma nota sobre notícia publicada no Jornal Migalhas na última terça-feira sob o título “Gilmar Mendes conta que procuradores do RJ ameaçaram Eike de ser estuprado na prisão". Nela, os procuradores da Lava Jato no Rio de Janeiro repudiam com veemência a afirmação irresponsável e leviana que teria sido lançada em sessão de  julgamento do STF. Um trecho diz que "o mínimo que se espera de um ministro da mais alta Corte do País é que profira seus votos com base em elementos de convicção seguros e de preferência produzidos nos autos do caso a ser julgado, não em insinuações ou aleivosias lançadas a partir de versões por “ouvir dizer”. As injustas palavras assacadas pelo Ministro Gilmar Mendes estão absolutamente dissonantes da realidade e principalmente do zelo que os membros da Lava Jato no RJ têm buscado conferir na condução dos complexos trabalhos de repressão ao crime organizado e à corrupção que assolam o nosso Estado". Quem conhece um pouco da trajetória do polêmico ministro, sabe que ele não vê com bons olhos (sem trocadilho em relação à venda da senhora justiça) o trabalho da galera nova e, muitas vezes, ousada dos procuradores e juízes que vêm investigando o maior projeto criminoso de poder instalado no Brasil pelo PT, PMDB e a esquerda que causaram - e vêm causando  - prejuízos irreparáveis a milhões de brasileiros e brasileiros. Prejuízos que Gilmar e outros representantes dos Três Poderes da República (pagos com o meu, o seu, o nosso dinheiro) parecem nem se importar

CABEÇA DE JUIZ

Não que o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, não tenha lá suas qualidades. O notável saber jurídico é indiscutível, mas, muitas vezes pelo excessos de leis, aparentemente, "injustas" (a máxima do legal mas imoral), o grande corporativismo praticado por aqui e o protecionismo constante aos poderosos, o levou à condição de um dos mais odiados juízes do País (sem falar nas ridículas brigas com colegas durante as sessões, como as protagonizadas contra Joaquim Barbosa, tempos atrás e as contra Barroso, esta semana). Ele, entre outras, foi o responsável direto por muitas decisões que contrariavam a maioria da sociedade que não aguenta mais outra máxima que diz: aos amigos, a lei; aos inimigos o rigor da lei.  Os muitos habeas corpus - emblemáticos (como ao Rei dos Ônibus; ao médico que estuprou dezenas de mulheres; ao empresário corrupto, diverso políticos, etc.) concedidos por Gilmar, sempre atraíam - e continuam atraindo - a fúria popular, pois no Brasil vão presos, e permanecem assim por mais tempo, pretos, pobres, analfabetos e, principalmente, os que não têm padrinho e morrem pagãos. Entretanto, como também somos um País de memória curta, nos últimos dias, os veículos de comunicação vêm dando ênfase aos habeas coletivos solicitados por advogados de réus condenados em segunda instância, o que poderia levar, por exemplo, o ex-presidente Lula a escapar da prisão. Pra começar, esta decisão não é definitiva pois o ministro tão somente o fez por considerar a pretensão de 10 juízes do Ceará " genérica, ou seja,  cada caso tem de ser analisado individualmente". E pra terminar, a cabeça do Gilmar, em relação aos poderosos, como Lula e outros da mesma estirpe, continua sendo vista como bundinha de neném e, a qualquer momento, pode mudar de ideia e levá-lo a concedr benefícios a outros perigosos criminosos que tanta porcaria fizeram e mal causaram a milhões de brasileiros e brasileiras. Sendo assim, muita calma e prudência nessa hora - ah, e caldo de galinha também como nos  recomendam os antepassados. Aliás, aqueles que não conviviam com tanta gente ruim e tanta safadeza.